Parada cardiorrespiratória: o que é, sintomas, causas e tratamento

agosto 2022
  1. Sintomas
  2. O que fazer
  3. Causas
  4. Tratamento

A parada cardiorrespiratória, conhecida popularmente por parada cardíaca, acontece quando a pessoa para de respirar e o coração também para de bater, fazendo com que o sangue não chegue a todos os órgãos do corpo e colocando a vida em risco.

A parada cardiorrespiratória pode acontecer de repente e por diversas causas, mas é mais comum em pessoas com doenças cardíacas, insuficiência respiratória ou que sofreram acidentes graves que possam interferir com o batimento cardíaco, como acontece no caso de choques elétricos.

Antes da parada cardiorrespiratória podem surgir alguns sintomas como forte dor no peito, falta de ar, formigamento no braço esquerdo ou fortes palpitações, por exemplo. A parada cardiorrespiratória representa uma situação de emergência pois pode levar à morte em poucos minutos. Assim, se a pessoa não estiver respirando é importante iniciar a massagem cardíaca e chamar a ajuda médica o mais rápido possível.

Passo a passo para fazer massagem cardíaca
Passo a passo para fazer massagem cardíaca

Principais sintomas

Antes da parada cardiorrespiratória acontecer, existem alguns sintomas que podem alertar para essa possibilidade, como:

  • Dor forte no peito, que irradia para o abdômen ou costas;
  • Dor forte de cabeça;
  • Falta de ar ou dificuldade em respirar;
  • Visão turva ou embaçada;
  • Suores frios e palpitações.

Deve-se ainda considerar uma parada cardiorrespiratória quando a pessoa é encontrada desacordada, não responde quando chamada, não respira e não tem pulso.

O que fazer em caso de parada cardiorrespiratória

Em caso de parada cardiorrespiratória, deve-se seguir o seguinte passo a passo:

  1. Chamar pela vítima, na tentativa de verificar se está consciente ou não;
  2. Verificar se a pessoa realmente não está respirando, colocando o rosto perto do nariz e da boca e observando se o peito se mexe com as respirações:
    1. Se estiver respirando: colocar a pessoa na posição lateral de segurança, chamar a ajuda médica e avaliar frequentemente se a pessoa continua respirando;
    2. Se não estiver respirando: chamar a ajuda médica, ou pedir a alguém que o faça, e iniciar a massagem cardíaca.
  3. Para fazer a massagem cardíaca deve-se:
    1. Colocar a pessoa de barriga para cima numa superfície dura, como uma mesa ou o piso;
    2. Posicionar as duas mãos no ponto médio entre os mamilos da vítima, uma em cima da outra, com os dedos entrelaçados;
    3. Fazer compressões sobre o peito da vítima, com os braços esticados e fazendo pressão para baixo, até que as costelas desçam cerca de 5 cm. Manter as compressões a um ritmo de 2 compressões por segundo, até a chegada da ajuda médica.

A massagem cardíaca também pode ser feita intercalando 2 respirações boca a boca a cada 30 compressões, porém, caso seja uma pessoa desconhecida ou caso não se sinta à vontade para fazer as respirações, as compressões devem ser mantidas de forma contínua até à chegada da ambulância.

Possíveis causas

A parada cardiorrespiratória acontece quando há alteração na atividade elétrica do coração, interferindo na contração cardíaca e chegada de sangue para outras partes do corpo. As causas da parada cardiorrespiratória repentina ainda não são muito bem esclarecidas, no entanto a comunidade médica indica que algumas situações podem aumentar o risco deste problema:

1. Arritmia

A arritmia corresponde a qualquer alteração no ritmo dos batimentos cardíacos e que na maioria dos casos não provoca risco de vida e permite uma boa qualidade de vida quando o tratamento é feito de forma adequada. No entanto, existem casos mais raros onde pode surgir uma arritmia de fibrilação ventricular, que é maligna e que pode causar parada súbita do coração.

2. Doença coronariana

A parada cardiorrespiratória pode também acontecer quando a pessoa possui doença coronariana, em que as artérias apresentam placas de colesterol que dificultam a passagem do sangue para o coração, o que pode acabar afetando o músculo cardíaco e o ritmo elétrico.

3. Choque

O choque é uma situação em que há diminuição da quantidade de oxigênio distribuído pelo organismo e maior acúmulo de toxinas, o que pode provocar alterações no funcionamento do músculo cardíaco e do sistema respiratório, aumentando o risco de parada cardiorrespiratória. Saiba mais sobre os tipos de choque.

4. Insuficiência respiratória

Na insuficiência respiratória há dificuldade para os pulmões realizarem as trocas gasosas normalmente, o que faz com que ocorra aumento da concentração de dióxido de carbono, além de poder interferir no funcionamento do coração, podendo provocar arritmia e aumentar o risco de parada cardiorrespiratória.

5. Excesso de estresse ou atividade física extenuante

Embora seja uma das causas mais raras, o excesso de estresse ou a prática de exercício físico muito intensa também podem causar uma parada cardíaca súbita. Isso acontece especialmente em quem já tem antecedentes de doenças cardíacas devido ao aumento dos níveis de adrenalina ou diminuição dos níveis de potássio e magnésio no organismo, que afetam a atividade elétrica do coração.

6. Sedentarismo

O estilo de vida sedentário é um fator que aumenta muito o risco de qualquer tipo de problema cardíaco, incluindo o desenvolvimento de uma parada cardiorrespiratória. Isso acontece porque a falta de exercício leva ao aumento de peso e consequente aumento de esforço para o coração.

Além disso, pessoas com estilo de vida sedentário também têm maior tendência para apresentar outros maus hábitos, como fumar, beber bebidas alcoólicas em excesso ou fazer uma alimentação mais rica em gordura e carboidratos, o que acaba aumentando o risco de qualquer problema cardíaco.

Como é feito o tratamento

O tratamento inicial para uma parada cardiorrespiratória passa por fazer o coração voltar a bater, o que pode ser feito por meio da massagem cardíaca ou através de um desfibrilador, que é um equipamento que emite ondas elétricas para o coração com o objetivo de que volte a bater.

Quando o coração volta a bater, é preciso fazer exames que evidenciem o que causou a parada cardíaca, para que, assim, possa ser tratada a causa e evitada uma nova parada cardiorrespiratória. Em alguns casos, pode ser necessário o implante de um marcapasso ou até mesmo um CDI (cardiodesfibrilador implantável), que são pequenos aparelhos que diminuem ou revertem a parada cardíaca. Saiba mais sobre a colocação do marcapasso.

Para diminuir as chances de sofrer uma parada cardiorrespiratória, é necessário que a pessoa faça o tratamento adequado para alguma doença cardíaca que possa ter, tenha um estilo de vida saudável e evite o estresse.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em agosto de 2022. Revisão médica por Drª. Ana Luiza Lima - Cardiologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • NARAYAN, Sanjiv M. et al. New Concepts in Sudden Cardiac Arrest to Address an Intractable Epidemic. Journal of the American College of Cardiology. Vol.73, n.1. 70-88, 2019
  • PENNSYLVANIA DEPARTMENT OF HEALTH. Sudden Cardiac Arrest Fact Sheet. 2012. Disponível em: <https://www.health.pa.gov/topics/Documents/School%20Health/2012%20SCA%20fact%20sheet.pdf>. Acesso em 31 dez 2019
Mostrar bibliografia completa
  • NATIONAL HEART, LUNG AND BLOOD INSTITUTE. Sudden Cardiac Arrest. Disponível em: <https://www.nhlbi.nih.gov/health-topics/sudden-cardiac-arrest>. Acesso em 31 dez 2019
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE ARRITMIAS CARDÍACAS. POR QUE TANTOS JOVENS TÊM MORTE SÚBITA CARDÍACA?. Disponível em: <https://sobrac.org/publico-geral/wp-content/uploads/2014/04/release-set-01.pdf>. Acesso em 31 dez 2019
  • SIEBRA, Felipe B. A.; FEITOSA-FILHO, Gilson S.. Morte Súbita em Atletas: Fatores Predisponentes e Preventivos. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica. Vol.6. 184-190, 2008
Revisão médica:
Drª. Ana Luiza Lima
Cardiologista
Médica Cardiologista, formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional nº CRM/PE – 16886. 

Tuasaude no Youtube

  • O que comer para EVITAR INFARTO

    04:31 | 80472 visualizações
  • Ansiedade ou infarto: como diferenciar os sintomas

    04:34 | 163155 visualizações