Chikungunya: o que é, sintomas, transmissão e tratamento

setembro 2022

A chikungunya é uma doença causada pelo vírus Chikungunya que é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti, causando sintomas, como febre alta e dor intensa nas articulações, e podendo provocar sequelas, como rigidez articular e dor no corpo, que podem persistir por anos.  

Embora os sintomas possam ser semelhantes aos de doenças como dengue e zika, que também podem ser transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, a sua identificação é possível por meio de exames no sangue, como a pesquisa de anticorpos contra o vírus e o RT-PCR. Veja como identificar o mosquito Aedes aegypti e como combatê-lo. 

Em caso de suspeita de chikungunya é recomendado consultar um infectologista ou clínico geral para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento apropriado, que geralmente envolve medicamentos como antitérmicos e analgésicos.

Principais sintomas

Os principais sintomas de chikungunya são:

  • Febre alta; 
  • Dor muscular e nas articulações; 
  • Manchas vermelhas no tronco, braços, pernas e rosto;
  • Coceira;
  • Inchaço no rosto, mãos e pés;
  • Dor de cabeça, geralmente próximo aos olhos;
  • Ínguas no corpo; 
  • Diarreia;
  • Dor no abdome; 
  • Enjôo;
  • Olhos vermelhos e lacrimejando;
  • Sangramentos leves, pela gengiva ou nariz, por exemplo.

A dor nas articulações tende a ser intensa, prejudicando nas tarefas diárias e afetando principalmente as mãos, cotovelos, tornozelos e joelhos. Embora a dor geralmente desapareça entre 1 e 3 semanas, pode persistir por até 3 meses e causar a piora de outras doenças que afetam as articulações como osteoartrite e artrite reumatoide. Confira mais detalhes dos sintomas de chikungunya e a sua duração.

Além disso, quando grave, a chikungunya também pode afetar órgãos como o cérebro, coração ou rins, causando complicações como insuficiência cardíaca, insuficiência renal ou meningite. 

Em caso de suspeita de chikungunya é recomendado consultar um infectologista ou clínico geral para uma avaliação e iniciar o tratamento apropriado.

Diferenças entre dengue, zika e chikungunya

A tabela a seguir mostra as principais diferenças entre a dengue, zika e chikungunya:

SintomaDengueChikungunyaZika
FebreSempre presente: alta e de início imediatoQuase sempre presente: alta e de início imediatoPode estar presente: baixa
Dor nas articulaçõesQuase sempre presente: dor moderadaPresente em 90% dos casos: dor intensaPode estar presente: dor leve
Manchas vermelhas na pele

Pode estar presente

Pode estar presente: geralmente ocorre nas primeiras 48 horasQuase sempre presente: geralmente ocorre nas primeiras 24 horas
CoceiraPode estar presente: tende a ser leveGeralmente está presente: tende a ser levePode estar presente: varia de leve a intensa
Vermelhidão nos olhosNãoPode estar presentePode estar presente

No entanto, a confirmação do diagnóstico de uma ou outra infecção geralmente requer a realização de exames no sangue como a identificação de anticorpos contra os vírus causadores. Veja mais diferenças entre dengue, zika e chikungunya.

Como é a transmissão

A chikungunya geralmente é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti, que é o mesmo transmissor da dengue e Zika, acontecendo após o mosquito ter adquirido o vírus ao se alimentar do sangue de uma pessoa doente. No entanto, a chikungunya pode também ser transmitida da gestante para o bebê ou por meio de transfusão de sangue, no entanto essas formas de transmissão são mais raras.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico de chikungunya é confirmado pelo infectologista ou clínico geral levando em consideração os sintomas apresentados e exames no sangue, como a pesquisa de anticorpos contra o vírus ou RT-PCR, que permitem a identificação da infecção.

No entanto, devido à semelhança dos sintomas com os de infecções como dengue e zika, outros exames no sangue como a pesquisa de anticorpos específicos para esses vírus, hemograma e dosagem de enzimas hepáticas podem ser indicados. 

Como é feito o tratamento

O tratamento da chikungunya nas primeiras semanas da infecção geralmente envolve o uso de medicamentos para aliviar os sintomas, como antitérmicos e analgésicos, repouso, ingestão de líquidos em quantidade suficiente e uma alimentação adequada. 

Anti-inflamatórios não esteroidais, como ibuprofeno e diclofenaco, e AAS geralmente não são indicados devido ao risco de sangramento nos primeiros nos primeiros 2 dias do início dos sintomas, ou até 14 dias caso ainda exista a suspeita de dengue.

Além disso, o tratamento das sequelas pode envolver o uso de outros medicamentos, como corticoides ou hidroxicloroquina, que devem ser utilizados apenas com orientação médica. Entenda melhor para que serve a hidroxicloroquina.

Sequelas da chikungunya

As principais sequelas da chikungunya são:

  • Dor nas articulações e outras partes do corpo;
  • Inchaço;
  • Dificuldade de movimentar as articulações;
  • Alterações do humor;
  • Pressão baixa ao mudar de posição. 

Embora os sintomas da chikungunya geralmente desapareçam com a melhora da infecção, as sequelas podem persistir por até 6 anos ou mais. Assim, em caso de suspeita de sequelas da chikungunya, é recomendado consultar um infectologista ou clínico geral para confirmar o diagnóstico e, quando indicado, iniciar o tratamento.

Como prevenir

A prevenção da chikungunya pode ser feita por meio de medidas para evitar a picada pelo mosquito, como o uso de repelentes, telas nas janelas e mosquiteiros sobre as camas. Além disso, é importante adotar outras medidas para controlar a proliferação dos mosquitos transmissores, como eliminar reservatórios de água parada em casa e o uso de inseticidas. Veja mais medidas para prevenir doenças como a chikungunya.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Jonathan Panoeiro - Neuropediatra, em setembro de 2022.

Bibliografia

  • VAIRO, Francesco et al. Chikungunya: Epidemiology, Pathogenesis, Clinical Features, Management, and Prevention. Infect Dis Clin North Am. Vol.33, n.4. 1003-1025, 2019
  • VU, David M; JUNGKIND, Donald; LABEAUD, Angelle D. Chikungunya Virus. Clin Lab Med. Vol.37, n.2. 371–382, 2017
Mostrar bibliografia completa
  • AGÊNCIA FIOCRUZ. Zika, chikungunya e dengue: entenda as diferenças. Disponível em: <https://agencia.fiocruz.br/zika-chikungunya-e-dengue-entenda-diferenças>. Acesso em 08 set 2022
  • CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. Chikungunya Virus. Disponível em: <https://www.cdc.gov/chikungunya/index.html>. Acesso em 08 set 2022
  • STATPEARLS. Chikungunya Fever. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK534224/>. Acesso em 08 set 2022
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.

Tuasaude no Youtube

  • PARA A DENGUE NÃO TE PEGAR

    02:51 | 36011 visualizações
  • CHIKUNGUNYA: Tratamento para aliviar a dor RÁPIDO! | Marcelle comenta #9

    01:04 | 248884 visualizações
  • Repelente natural para afastar os mosquitos

    02:28 | 134235 visualizações