Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Tratamento da Chikungunya aguda ou crônica

O tratamento para Chikungunya aguda ou crônica pode ser feito com o uso de analgésicos, antitérmicos ou corticóides indicados pelo médico, para aliviar os sintomas como febre, dor ou inchaço nas articulações, dor muscular ou dor de cabeça, por exemplo. Além disso, é recomendado repouso e beber muitos líquidos como água, chás e água de coco, para manter a hidratação e ajudar o corpo a combater o vírus. 

Ainda não existe vacina para a Chikungunya e nenhum antiviral específico para o tratamento dessa doença, que apesar de não ser uma doença grave, os sintomas podem ser bastante limitantes, já que as articulações ficam inflamadas, o que causa bastante dor. Por isso, em alguns casos o tratamento da Chikungunya pode ser prolongado, principalmente se os sintomas persistirem por mais de 3 meses, o que caracteriza a Chikungunya crônica.

É importante sempre procurar ajuda médica ao apresentar os sintomas da Chikungunya para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento para alívio dos sintomas e evitar complicações e sequelas da doença. Confira todos os sintomas da Chikungunya

Tratamento da Chikungunya aguda ou crônica

Quanto tempo para curar a Chikungunya

Geralmente, o tratamento dura entre 7 a 30 dias, mas a dor nas articulações podem permanecer por mais de 1 ano, sendo necessário, nesses casos, fazer fisioterapia. E o repouso durante a fase aguda, que correspondem aos primeiros 10 dias da doença, é muito importante porque previne complicações e diminui a duração da doença.

Remédios para Chikungunya

Os remédios mais indicados pelo médico para tratamento da Chikungunya na fase aguda, que corresponde aos primeiros 14 dias da doença, são analgésicos como paracetamol e/ou dipirona para controlar a febre e a dor nos músculos e nas articulações, no entanto outros como cloridrato de tramadol, codeína ou oxicodona podem ser indicados quando os primeiros não são suficientes para aliviar os sintomas.

Inicialmente pode ser indicado o uso de uma combinação de paracetamol com codeína para aliviar a dor intensa, por ser um analgésico mais forte, e o tramadol pode ser usado em último caso, mas deve ser usado com cautela por idosos e pessoas que já tiveram convulsões e/ou doenças no fígado ou nos rins.

Para gestantes que apresentam febre, o tratamento inicial da Chikungunya na fase aguda indicado pelo médico é o paracetamol, e para crianças pode ser utilizado o paracetamol ou a dipirona, com doses específicas para crianças calculadas pelo médico.

Assim como na dengue os remédios que não devem ser utilizados na fase aguda da Chikungunya são aspirina (ácido acetilsalicílico) e anti-inflamatórios como ibuprofeno, naproxeno, diclofenaco, nimesulida e os corticóides, devido ao risco de complicações relacionadas como problemas renais e sangramentos.

Tratamento para Chikungunya crônica

O tratamento para a Chikungunya crônica pode ser feito com o uso de anti-inflamatórios como ibuprofeno ou naproxeno, mas que não devem ser usados por idosos ou pessoas com problemas renais, hepáticos ou cardíacos, diabetes ou úlcera péptica.

Os corticoides como a prednisona ou prednisolona também podem ser utilizados na fase crônica por até 21 dias, na dose recomendada pelo médico. Estes medicamentos, no entanto, não podem ser utilizados por pessoas com doenças como diabetes, hipertensão descontrolada, osteoporose, transtorno bipolar, insuficiência renal crônica, síndrome de Cushing, obesidade ou doenças cardíacas.

Além disso, pessoas com sintomas de dor neuropática, que é causada pela sensibilidade dos nervos no corpo, podem ser tratadas com amitriptilina ou gabapentina nas doses e pelo tempo recomendado pelo médico para o alívio da dor intensa.

Outro tratamento que pode ser indicado pelo médico inclui o uso de hidroxicloroquina, metotrexato ou sulfassalazina, que devem ser acompanhados e avaliados pelo médico através de exames laboratoriais devido ao alto risco de efeitos colaterais como náuseas, vômitos, diminuição da imunidade, feridas na boca ou alterações na visão, além de não serem indicados para gestantes, mulheres em amamentação e crianças.

A fisioterapia também é recomendada para controlar os sintomas e melhorar a movimentação das articulações, sendo que os exercícios devem ser indicados pelo fisioterapeuta. Em casa a pessoa pode realizar diariamente alongamentos, devendo evitar longas caminhadas e muitos esforços. As compressas frias são mais recomendadas e podem ser usadas durante 20 minutos para diminuir a dor nas articulações.

Confira estas e outras dicas, no vídeo seguinte:

Sinais de melhora

Os sinais de melhora surgem quando o organismo é capaz de eliminar o vírus e incluem a diminuição dos sintomas.

Em alguns casos, o cansaço e a dor e o inchaço articular podem se manter após a cura da doença e, por isso, o clínico geral pode recomendar sessões de fisioterapia para ajudar a diminuir o desconforto.

Sinais de piora

Quando o tratamento não é feito de forma adequada, ou o sistema imune se encontra alterado, podem surgir sinais de piora como febre acima de 38º por mais de 3 dias e piora da dor nas articulações, levando à artrite, que pode persistir por meses.

Em casos muito raros a Chikungunya pode ser fatal. Nesse caso, a doença pode causar miosite, uma inflamação dos músculos, que pode até mesmo levar à morte porque o sistema imune começa a atacar os músculos do corpo. Os sintomas podem começar a se manifestar cerca de 3 semanas depois do diagnóstico da doença.

Complicações e sinais de alerta para voltar ao médico

É importante voltar ao médico quando após o início do tratamento, a febre se manter por 5 dias ou se surgirem outros sintomas que podem indicar complicações como sangramento, convulsões, desmaio, dor no tórax e vômitos frequentes. Nestes casos a pessoa pode ter que ficar internada no hospital para receber o tratamento específico.

Sequelas da Chikungunya

As principais sequelas da Chikungunya são a dor crônica nas articulações que pode durar por mais de 1 ano, perda do tônus muscular ou deformação nas articulações. Além disso, podem ocorrer danos no cérebro, dificultando a coordenação motora, o que pode prejudicar as atividades do dia a dia. 

Por isso, é importante fazer o tratamento e seguir as recomendações médicas assim que é feito o diagnóstico da Chikungunya, para evitar complicações que podem deixar sequelas.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Chikungunya: manejo clínico. 2017. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/chikungunya_manejo_clinico.pdf>. Acesso em 06 Abr 2021
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Chikungunya: causas, sintomas, tratamento e prevenção. Disponível em: <http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/chikungunya>. Acesso em 06 Abr 2021
  • Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. Guia de Vigilância em Saúde: volume único. 3 ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2019. 414; 424-430.
  • Cunha, Rivaldo V.; TRINTA, Karen S. Chikungunya virus: clinical aspects and treatment - A Review. Mem. Inst. Oswaldo Cruz. 112. 8; 523-531, 2017
  • MARQUES, Claudia Diniz Lopes; et al. Recomendações da Sociedade Brasileira de Reumatologia para diagnóstico e tratamento da febre chikungunya. Parte 1 – Diagnóstico e situações especiais. Revista Brasileira de Reumatologia. 57. S2; S421–S437, 2017
  • CDC - CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION . Chikungunya Virus: Symptoms, Diagnosis, & Treatment. 2018. Disponível em: <https://www.cdc.gov/chikungunya/symptoms/index.html>. Acesso em 06 Abr 2021
  • CDC - CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PEVENTION. Chikungunya: Information for healthcare providers . 2014. Disponível em: <https://www.cdc.gov/chikungunya/pdfs/CHIKV_Clinicians.pdf>. Acesso em 06 Abr 2021
Mais sobre este assunto:

Carregando
...