Ceratocone: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
julho 2022
  1. Sintomas
  2. Causas
  3. Tratamento

O ceratocone é uma doença ocular não inflamatória que provoca a deformação da córnea, que é a membrana transparente que protege o olho, tornando-a mais fina e curva e adquirindo a forma de um pequeno cone, levando ao surgimento de sintomas como visão embaçada ou distorcida, dificuldade para enxergar ou maior sensibilidade à luz, por exemplo.

Geralmente, os sintomas do ceratocone têm início por volta dos 10 anos de idade, progredindo lentamente, e afetando os dois olhos, podendo ser causado por esfregar com frequência os olhos de forma agressiva, ou surgir devido a doenças do tecido conectivo, como artrite reumatóide ou lúpus.

O tratamento do ceratocone é feito pelo oftalmologista para corrigir o grau de visão, aliviar os sintomas e evitar a progressão da doença, podendo ser indicado o uso de óculos ou lentes de contato, implante de anel intraocular, ou até transplante de córnea nos casos mais graves. Saiba como é feito o transplante de córnea

Sintomas de ceratocone

Os principais sintomas de ceratocone são:

  • Visão embaçada;
  • Visão distorcida, em que linhas retas podem ser percebidas como dobradas ou onduladas;
  • Maior sensibilidade à luz;
  • Dificuldade para enxergar à noite;
  • Enxergar halos ao redor da luz;
  • Enxergar imagens "fantasma";
  • Visão dupla;
  • Irritação nos olhos;
  • Vermelhidão ou inchaço nos olhos;
  • Dor de cabeça, associada à dor nos olhos;
  • Dificuldade de focar objetos.

Os sintomas de ceratocone podem surgir ainda durante a puberdade, podendo progredir até por volta dos 30 anos, e costumam afetar os dois olhos ao mesmo tempo, apesar de que um dos olhos costuma ser mais afetado que o outro.

Estes sintomas são muito semelhantes ao de qualquer outro problema de visão, no entanto, no ceratocone é possível observar a piora da visão em pouco tempo obrigando a troca constante de óculos e lentes de contato. 

Dessa forma, na presença de sintomas indicativos de ceratocone e caso seja observada piora progressiva da visão em pouco tempo, é importante que o oftalmologista seja consultado para que seja realizado o diagnóstico e iniciado o tratamento mais adequado.

Ceratocone pode cegar?

O ceratocone normalmente não causa cegueira completa, porém, com o agravamento progressivo da doença e alteração da córnea, a imagem enxergada vai-se tornando muito embaçada, acabando por dificultar as atividades diárias.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico inicial do ceratocone é feito pelo oftalmologista a partir da avaliação dos sintomas e de exames oftalmológicos, como exame de refração ou exame da lâmpada de fenda. Veja os principais exames de vista que podem ser feitos pelo médico

Além disso, o médico deve realizar um exame para verificar a curvatura da córnea, a topografia de córnea ou ceratoscopia, que no caso do ceratocone está mais fina e cônica. Entenda como é feita a topografia da córnea.

Possíveis causas

O ceratocone é causado por alterações na córnea, que se torna mais fina e gradualmente se projeta para fora, adquirindo um aspecto de cone.

Apesar das causas ainda não serem completamente esclarecidas, alguns fatores podem aumentar o risco de desenvolvimento de ceratocone, como: 

  • Histórico familiar de ceratocone;
  • Uso de lentes de contato rígidas gás permeáveis ;
  • Esfregar com frequência os olhos de forma agressiva;
  • Doença ocular alérgica, como a ceratoconjuntivite vernal;
  • Amaurose congênita de Leber;
  • Síndrome de Ehler-Danlos;
  • Retinose pigmentar;
  • Síndrome de Down;
  • Síndrome de Turner;
  • Doenças atópicas;
  • Febre do feno;
  • Osteogênese imperfeita;
  • Pseudoxantoma elástico.

Além disso, algumas doenças do tecido conectivo, como artrite reumatóide, lúpus, escleroderma ou síndrome de Marfan, por exemplo, também podem aumentar o risco de desenvolvimento do ceratocone.

Como é feito o tratamento

O tratamento para ceratocone deve ser feito por um oftalmologista e varia de acordo com a gravidade dos sintomas e da evolução da doença.

Os principais tratamentos para o ceratocone são:

1. Uso de óculos ou lentes de contato

O tratamento do ceratocone em estágio inicial que pode ser indicado pelo oftalmologista é o uso de óculos ou lentes de contato gelatinosas, para correção do grau de visão ou a visão embaçada ou distorcida, que podem ser substituídas à medida que há progressão da condição.

Além disso, o médico também pode recomendar o uso de lentes de contato rígidas ou lentes esclerais, no caso do ceratocone em estágio mais avançado.

2.  Crosslinking da córnea

O crosslinking da córnea, ou crosslinking corneano, é um tipo de tratamento feito pelo oftalmologista, aplicando colírio de riboflavina, ou vitamina B2, diretamente no olho e, em seguida, realizando a aplicação de luz UV-A, para estimular a formação de novas ligações entre o colágeno na córnea, resultando no seu enrijecimento e evitando que continue a mudar de forma.

Essas novas ligações entre as moléculas de colágeno na córnea, podem evitar a progressão da doença, por promover um aumento da estabilidade da córnea nos estágios iniciais do ceratocone.

3. Implante de anel de Ferrara

O implante do anel Ferrara, também conhecido com anel corneano ou anel intraestromal, é um procedimento cirúrgico feito pelo oftalmologista em que um pequeno anel curvo, na forma de C, feito de PMMA (polimetilmetacrilato), é colocado dentro da córnea, para deixar a córnea mais lisa, evitando o agravamento do ceratocone.

Geralmente, o implante do anel de Ferrara dura cerca de 15 minutos, feito com anestesia local, sendo que esse tipo de tratamento é indicado quando a pessoa não tolera o uso de óculos ou lentes de contato

4. Transplante de córnea

O transplante de córnea, também chamado de ceratoplastia, pode ser indicado pelo oftalmologista quando as outras opções de tratamento não foram eficazes para atrasar a progressão do ceratocone e os sintomas são graves.

Esse tipo de tratamento é feito com o tecido da córnea de um doador saudável, podendo substituir a córnea totalmente ou apenas em parte.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em julho de 2022. Revisão médica por Dr. Arthur Frazão - Oftalmologista, em abril de 2019.

Bibliografia

  • TUR, V. M.; et al. A review of keratoconus: Diagnosis, pathophysiology, and genetics. Surv Ophthalmol. 62. 6; 770-783, 2017
  • DAVIDSON, A. E; et al. The pathogenesis of keratoconus. Eye (Lond). 28. 2; 189-95, 2014
Mostrar bibliografia completa
  • JOHNS HOPKINS MEDICINE. Keratoconus. Disponível em: <https://www.hopkinsmedicine.org/health/conditions-and-diseases/keratoconus>. Acesso em 08 nov 2021
  • AMERICAN OPTOMETRIC ASSOCIATION. Keratoconus. Disponível em: <https://www.aoa.org/healthy-eyes/eye-and-vision-conditions/keratoconus?sso=y>. Acesso em 08 nov 2021
  • LOPES, Ana Carolina N.; PINTO, Anderson Gustavo T.; SOUSA, Benedito A. Ceratocone: uma revisão. Rev Med Saude Brasilia. Vol 4. 2 ed; 219-232, 2015
  • CONSELHO BRASILEIRO DE OFTALMOLOGIA, ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA E SOCIEDADE BRASILEIRA DE LENTES DE CONTATO, CÓRNEA E REFRAÇÃO. Diretriz em Ceratocone. Disponível em: <http://www.cbo.net.br/novo/publicacoes/ultima%20Diretrizes%20em%20Ceratocone.pdf>. Acesso em 08 nov 2021
Revisão médica:
Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
Médico generalista, especialista em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em 2008, com registro profissional no CRM/PE 16878