Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que são e para que servem os Anticorpos Monoclonais

Os anticorpos monoclonais são proteínas usadas pelo sistema imunológico para identificar e neutralizar corpos estranhos, que podem ser bactérias, vírus ou mesmo células tumorais. Estas proteínas são específicas, pois elas reconhecem um alvo em especial, o chamado antígeno, que vai estar presente nas células estranhas ao organismo. Entenda como funciona o sistema imune.

Os anticorpos monoclonais, como o denosumab, obinutuzumab ou ustequinumabe, por exemplo, são produzidos em laboratório, muitas vezes idênticos aos encontrados no corpo humano, que vão ajudar o organismo a combater algumas doenças. Desta forma, dependendo do anticorpo monoclonal usado, estes remédios podem ser usados para tratar algumas doenças graves como osteoporose, leucemia, psoríase em placa ou alguns tipos de câncer, como o câncer da mama ou nos ossos, por exemplo.  

Ilustração que representa o modo de atuação dos anticorpos
Ilustração que representa o modo de atuação dos anticorpos

Exemplos de anticorpos monoclonais

Alguns exemplos de anticorpos monoclonais incluem: 

1. Trastuzumabe

Este anticorpo monoclonal, comercializado como Herceptin, foi desenvolvido por engenharia genética, e ataca especificamente uma proteína que está presente em pessoas com determinados cânceres de mama e de estômago. Assim, este remédio é indicado para o tratamento do câncer de mama em estado inicial ou com metástases e câncer gástrico em estado avançado.

2. Denosumabe

Comercializado como Prolia ou Xgeva, tem na sua composição o anticorpo IgG2 monoclonal humano, que interfere na ação de uma proteína específica que torna os ossos mais fortes, reduzindo as chances de partirem. Desta forma, Denosumab é indicado para o tratamento da perda de massa óssea, osteoporose, câncer do osso ou do câncer em estado avançado com metástases ósseas (que se espalhou para os ossos).

 3. Obinutuzumabe 

Também conhecido comercialmente como Gazyva, tem na sua composição anticorpos que reconhecem e de se ligam especificamente à proteína CD20, encontrada na superfície dos glóbulos brancos ou linfócitos B. Desta forma, o obinutuzumab é indicado no tratamento da leucemia linfocítica crônica, pois é capaz de interromper o crescimento anormal dos glóbulos brancos que origina esta doença. 

4. Ustequinumabe

Este remédio também pode ser conhecido comercialmente como Stelara e é composto pelo anticorpo monoclonal IgG1 humano, que inibe proteínas específicas que são responsáveis por causar psoríase. Desta forma, este remédio é indicado para o tratamento da psoríase em placa. 

5. Pertuzumabe

Também conhecido como Perjeta, é composto por anticorpos monoclonais que se ligam ao receptor 2 do fator de crescimento epidérmico humano, presente em alguma células cancerígenas, diminuindo ou parando o seu crescimento. Assim, Perjeta é indicado para o tratamento do câncer da mama. 

O que são e para que servem os Anticorpos Monoclonais

Como Tomar Anticorpos Monoclonais

Os remédios com Anticorpos Monoclonais apenas devem ser tomados sob indicação médica, pois o tipo de anticorpo a usar e as doses recomendadas dependem do problema a tratar e da sua gravidade. 

Em grande parte dos casos, estes remédios são utilizados no tratamento do câncer, tratando-se de remédios antineoplásicos que devem ser usados segundo as indicações específicas dadas pelo médico e que necessitam de ser administrados em hospitais ou clínicas.  

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem