Alergia ao látex: sintomas, causas e como tratar

agosto 2022

A alergia ao látex é uma reação anormal do sistema imunológico às proteínas presentes no látex, que pode acontecer em algumas pessoas quando entram em contato com esse material, causando sintomas, como vermelhidão, coceira, formação de bolinhas na pele ou até dificuldade para respirar, que podem surgir imediatamente ou 12 a 72 horas após ou contato com o látex.

O látex é uma substância extraída da seringueira, utilizada para o preparo de diversos materiais, como luvas, balões ou preservativos, por exemplo, sendo que uma forma simples para testar se tem alergia ao látex consiste em cortar um dedo de uma luva de látex e, depois, vestir esse pedaço de luva no dedo, por cerca de 30 minutos. Depois desse tempo, deve-se observar se surgiram alguns dos sintomas típicos de alergia.

O tratamento da alergia ao látex deve ser orientado pelo clínico geral ou alergologista, sendo recomendado evitar o contato prolongado com objetos que sejam feitos desse tipo de material, ou em alguns casos, uso de pomadas antialérgicas para aliviar os sintomas. 

Sintomas de alergia ao látex

Os principais sintomas da alergia ao látex são:

  • Pele seca e áspera;
  • ​Coceira intensa;
  • Vermelhidão;
  • Inchaço da região afetada;
  • Formação de pequenas bolhas na pele;
  • Olhos avermelhados ou lacrimejando;
  • Espirros;
  • Sensação de nariz escorrendo ou entupido.

É importante consultar o o clínico geral ou o alergologista, sempre que surgirem os sintomas de alergia ao látex, para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento, caso seja necessário. 

Além disso, em alguns casos, a alergia ao látex pode ser grave e causar reação anafilática, que necessita de atendimento médico imediato. Por isso, deve-se procurar o pronto-socorro mais próximo se surgirem sintomas como dificuldade para respirar, inchaço na língua, boca ou garganta, tontura, confusão mental, náusea, vômito, ou perda da consciência. Saiba identificar todos os sintomas de reação anafilática

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da alergia ao látex é feito pelo clínico geral ou alergologista através da avaliação dos sintomas, histórico de saúde, além de alguns exames de sangue para avaliar a presença de alguns tipos específicos de anticorpos. Saiba mais sobre os exames para identificar alergias.

Além disso, o médico pode solicitar o teste alérgico, que é realizado no consultório médico aplicando diferentes substâncias na pele, para verificar o surgimento dos sintomas e assim, confirmar o diagnóstico.

Possíveis causas

A alergia ao látex é causada por uma resposta exagerada do sistema imunológico às proteínas presentes no látex, fazendo com que o corpo produza anticorpos contra essas proteínas ou substâncias inflamatórias no corpo, como a histamina, o que leva ao surgimento dos sintomas.

Qualquer pessoa pode desenvolver sensibilidade ou alergia ao látex, especialmente quando se tem contato diário ou frequente com esse material, como no caso de enfermeiros e médicos, jardineiros, cozinheiros, profissionais da área de beleza e da construção civil , por exemplo.

Além disso, pessoas que têm alergia a alimentos como abacate, tomate, kiwi, figo, mamão papaia, noz e banana, geralmente também tem um risco maior de ter alergia ao látex. Além disso, também é frequente ter alergia a poeira, pólen e pelo de animais.

Como é feito o tratamento

Pessoas com alergia ao látex devem, sempre que possível, evitar o contato com esse tipo de material, especialmente por longos períodos, dando preferência para equipamentos que sejam feitos de outros materiais como luvas de polietileno ou polivinil, por exemplo. No caso da camisinha deve-se optar por preservativo sem látex, que é vendido nas farmácias.

Além disso, nos casos em que existe uma reação mais severa ao látex, o médico também pode receitar algumas pomadas de anti-histamínicos ou corticóides, para aliviar os sintomas. 

No caso de reação alérgica grave ou choque anafilático, o tratamento é feito no hospital, com injeção de epinefrina, além de soro na veia, aplicada pelo enfermeiro sob supervisão médica. Veja como é feito o tratamento do choque anafilático

Principais produtos com látex

A melhor forma de prevenir a alergia ao látex é evitar o contato com materiais que contêm látex, como: 

  • Luvas cirúrgicas e de limpeza;
  • Brinquedos com borracha flexível;
  • Balões de festa;
  • Preservativos;
  • Diafragma;
  • Coletor menstrual;
  • Bicos de mamadeira;
  • Chupetas;
  • Garrotes utilizados para exames de sangue;
  • Produtos odontológicos, como elásticos ortodônticos;
  • Materiais escolares, como borracha, elásticos ou fita adesiva.

Além disso, alguns tipos de tênis, botas tipo galocha, e roupas de ginástica também podem conter látex.

O ideal é que sempre se leia o rótulo dos produtos para verificar se contêm látex. Geralmente, produtos sem látex possuem um selo informando que são "sem látex" ou "latex free".

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em agosto de 2022.

Bibliografia

  • RAULF, M. Current state of occupational latex allergy. Curr Opin Allergy Clin Immunol. 20. 2; 112-116, 2020
  • NUCERA, E.; et al. Latex Allergy: Current Status and Future Perspectives. J Asthma Allergy. 13. 385-398, 2020
Mostrar bibliografia completa
  • PARISI, C. A. S.; et al. Update on latex allergy: New insights into an old problem. World Allergy Organ J. 14. 8; 100569, 2021
  • GOSH NHS. Latex allergy. Disponível em: <https://www.gosh.nhs.uk/conditions-and-treatments/conditions-we-treat/latex-allergy>. Acesso em 08 mai 2020
  • AMERICAN COLLEGE OF ALLERGY, ASTHMA & IMMUNOLOGY. Latex Allergy. Disponível em: <https://acaai.org/allergies/types/latex-allergy>. Acesso em 08 mai 2020
  • ASTHMA AND ALLERGY FOUNDATION OF AMERICA. Latex Allergy. Disponível em: <https://www.aafa.org/latex-allergy/>. Acesso em 08 mai 2020
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.