Vômito: o que é, sintomas, causas e tratamento

agosto 2022
  1. Sintomas
  2. Causas
  3. Tratamento
  4. Quando ir ao médico

O vômito é a saída forçada do conteúdo do estômago através da boca, que pode ocorrer de forma involuntária como forma do corpo se livrar de substâncias ou agentes irritantes para o estômago ou intestino, como no caso de gastroenterites ou intoxicação alimentar, mas também pode ocorrer de forma voluntária, como na bulimia.

O vômito, também conhecido como êmese, também pode surgir no primeiro trimestre da gravidez, ou ainda pode ocorrer devido a condições de saúde, como apendicite, pedra nos rins ou úlceras no estômago, por exemplo, estando normalmente associado a outros sintomas, como dor abdominal, febre, dor nas parte inferior das costas, aumento da frequência urinária ou sangue no vômito, por exemplo.

É importante consultar o gastroenterologista ou clínico geral quando os vômitos durarem mais de 1 dia ou forem acompanhados de outros sintomas, para que seja diagnosticado e iniciado o tratamento mais adequado de acordo com sua causa, para evitar complicações como a desidratação, por exemplo.

Sintomas de vômito

O principal sintoma de vômito é a saída do conteúdo do conteúdo gástrico pela boca devido à contração do estômago que pode estar acompanhado de outros sintomas, como:

  • Náusea;
  • Mal-estar;
  • Gosto amargo na boca;
  • Suor frio;
  • Palidez;
  • Dor de cabeça;
  • Dor abdominal;
  • Diarreia;
  • Vertigem;
  • Dor nas parte inferior das costas;
  • Aumento da frequência urinária;
  • Dificuldade para urinar;
  • Sonolência;
  • Perda do apetite;
  • Aumento da salivação;
  • Sensibilidade à luz ou sons;
  • Tontura;
  • Confusão mental.

É importante que na presença desses sintomas, o gastroenterologista ou o clínico geral seja consultado para identificar a causa do vômito e iniciar o tratamento mais adequado.

Além disso, deve-se procurar atendimento médico imediato ou o pronto socorro mais próximo no caso de vomitar em grandes quantidades, ou se os vômitos forem acompanhados de sintomas como dor de cabeça intensa, rigidez no pescoço, dor abdominal intensa, sangue no vômito, dor no peito ou dormência em alguma parte do corpo.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do vômito é feito pelo gastroenterologista ou clínico geral, através da avaliação histórico de saúde, início e frequência dos vômitos, e dos sintomas associados.

Além disso, o médico deve fazer o exame físico, para avaliar se existem sinais de desidratação, como pele seca, boca seca, olheira ou febre, por exemplo. Saiba identificar os sintomas de desidratação.

O médico também pode solicitar exames de sangue ou de urina, para avaliar a presença de infecções, ou teste de gravidez.

Possíveis causas

O vômito é causado pela liberação de de neurotransmissores, como dopamina, histamina, serotonina ou neurocinina, que ativam o uma região do cérebro chamada centro do vômito, que estimula a contração involuntária dos músculos abdominais e expulsão do conteúdo do estômago.

Algumas situações podem causar o vômito, como:

Além disso, o vômito pode ser causado pela gravidez, e surgir várias vezes por dia, sendo chamada de hiperemese gravídica.

Outra causa dos vômitos é a bulimia, que é um transtorno alimentar, em que a pessoa apresenta uma compulsão alimentar seguida de comportamento compensatório, como induzir o vômito após a refeição ou até utilizar laxantes em excesso. Saiba identificar os sintomas de bulimia.

Como é feito o tratamento

O tratamento do vômito deve ser feito com orientação do gastroenterologista ou clínico geral, de acordo com a gravidade e a causa dos vômitos.

Geralmente, são indicados pelo médico remédios antieméticos, como ondansetrona, metoclopramida, domperidona ou difenidramina, por exemplo, para aliviar os episódios de vômito. Veja os principais remédios para vômito.

Além disso, no caso do vômito ter sido causado por doenças gastrointestinais, neurológicas, ou cardíacas, o médico deve indicar o tratamento específico para a doença.

No caso de desidratação, o médico pode recomendar aumentar a ingestão de líquidos, como água ou chás, além de soro caseiro, soluções de reidratação oral ou, nos casos mais graves, soro fisiológico na veia aplicada em ambiente hospitalar.

Assista o vídeo com a nutricionista Tatiana Zanin sobre como preparar o soro caseiro corretamente:

Cuidados durante o tratamento

Alguns cuidados durante o tratamento do vômito podem ajudar a acelerar a recuperação, e incluem:

  • Manter o corpo hidratado, bebendo pelo menos 2 L de água por dia;
  • Evitar beber café, refrigerantes, bebidas açucaradas ou alcoólicas;
  • Comer alimentos leves, como sopa de legumes, arroz branco, gelatina ou biscoito tipo cream cracker;
  • Evitar alimentos gordurosos ou doces;
  • Comer em pequenas quantidades em intervalos mais curtos;
  • Evitar alimentos muitos quentes, pois o vapor do alimento pode causar náusea e vômito;
  • Evitar alimentos apimentados ou muito condimentados;
  • Consumir bebidas geladas;
  • Repousar.

Além disso, é importante evitar cheiros fortes que possam desencadear o vômitos, como perfumes, produtos de limpeza, ou fumaça de cigarro, por exemplo.

Quando ir ao médico

É importante ir ao médico sempre que o vômito durar mais de 1 dia ou for acompanhado de outros sintomas.

No caso de crianças, deve-se sempre procurar atendimento médico imediatamente, se o vômito for acompanhado de sintomas como:

  • Diarreia;
  • Sinais de desidratação;
  • Febre acima de 37,8ºC;
  • Ausência de urina por mais de 6 horas;
  • Falta de apetite e de sede;
  • Sonolência e cansaço;
  • Dor ou dificuldade para mover o pescoço;
  • Confusão mental.

Além disso, adultos também devem procurar atendimento médico imediatamente, no caso de sintomas de AVC, infarto, cetoacidose diabética, apendicite ou obstrução intestinal, que são situações graves que podem colocar a vida em risco.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em agosto de 2022.

Bibliografia

  • HAUSER, J. M.; AZZAM, J. S.; KASI, A. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Antiemetic Medications. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK532303/>. Acesso em 10 ago 2022
  • ADEL, N. Overview of chemotherapy-induced nausea and vomiting and evidence-based therapies. Am J Manag Care. 23. 14; S259-S265, 2017
Mostrar bibliografia completa
  • BUSTUS, M.; et al. Nausea and vomiting of pregnancy - What's new?. Auton Neurosci. 202. 62-72, 2017
  • AUSTIN, K.; et al. Hyperemesis gravidarum. Nutr Clin Pract. 34. 2; 226-241, 2019
  • BELKACEMI, L.; DARMANI, N. A. Dopamine receptors in emesis: Molecular mechanisms and potential therapeutic function. Pharmacol Res. 161. 105124, 2020
  • LACY, B. E.; et al. Chronic nausea and vomiting: evaluation and treatment. Am J Gastroenterol. 113. 5; 647-659, 2018
  • SHIELDS, T. M.; LIGHTDALE, J. R. Vomiting in Children. Pediatr Rev. 39. 7; 342-358, 2018
  • VEIGA-GIL, L. Postoperative nausea and vomiting: physiopathology, risk factors, prophylaxis and treatment. Rev Esp Anestesiol Reanim. 64. 4; 223-232, 2017
  • MACDOUGALL, M. R.; SHARMA, S. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Physiology, Chemoreceptor Trigger Zone. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK537133/>. Acesso em 10 ago 2022
  • DAVIS, A.; BRYANT, J. H. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Cyclic Vomiting Syndrome. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK500018/>. Acesso em 10 ago 2022
  • POPA, S. L.; et al. Functional Emesis. J Gastrointestin Liver Dis. 28. 3; 319-325, 2019
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.

Tuasaude no Youtube

  • GASTROENTERITE: o que comer nos 4 primeiros dias

    10:06 | 79845 visualizações
  • COMO FAZER SORO CASEIRO

    02:34 | 2599531 visualizações