Unhas fracas: o que pode ser e o que fazer

agosto 2022

As unhas fracas e quebradiças podem surgir devido ao contato direto das mãos com produtos químicos, como detergentes ou acetona, que podem levar ao ressecamento das unhas, ou devido ao hábito de roer unha, que causa microtraumas na unha, não sendo motivo de preocupação.

No entanto, as unhas fracas, ressecadas ou quebradiças também podem ser sinal de problemas de saúde, como deficiências de vitaminas e minerais, anemia, problemas na tireóide ou alterações na circulação, por exemplo, sendo geralmente acompanhada de outros sintomas, como fraqueza, cansaço excessivo, ressecamento da pele ou inchaço nos dedos.

Por isso, é importante consultar o clínico geral ou dermatologista sempre que a unha fraca e quebradiça estiver acompanhada de outros sintomas, para que sejam feitos exames que ajudem a identificar a causa e, assim, iniciar o tratamento mais adequado.

As principais causas de unhas fracas e quebradiças são:

1. Roer as unhas

O hábito de roer as unhas constantemente pode deixá-las mais frágeis, devido à ocorrência de microtraumas que facilitam a quebra, além de aumentar o risco de infecções por fungos ou bactérias ao redor das unhas.

O que fazer: é recomendado parar de roer as unhas, evitando assim os microtraumas. Uma das formas de evitar esse hábito é deixar as unhas sempre bem cortadas e lixadas, ou passar um esmalte que tenha um gosto amargo, por exemplo. Veja outras formas de parar de roer as unhas

2. Exposição a produtos químicos

A exposição a produtos químicos, como produtos de limpeza ou detergentes, sem que haja a proteção das mãos com luvas, pode ressecar a região e deixar as unhas mais frágeis e quebradiças. 

Além dos produtos de limpeza, o uso de acetona para remover o esmalte das unhas,  esmaltes ou produtos para unha contendo formol, também pode causar o ressecamento das unhas, favorecer o aparecimento de manchas e deixar as unhas mais frágeis.

O que fazer: é recomendado que seja colocada uma luva, evitando assim o contato das mãos e das unhas com o produto. No caso da remoção do esmalte, é recomendado que seja utilizado removedor de esmalte que não tenha acetona, pois assim é possível evitar dano às unhas.

3. Deficiências nutricionais

As deficiências nutricionais, especialmente de vitaminas e minerais, como ferro, ácido fólico, vitaminas A, B12 ou C, também podem resultar em unhas fracas e quebradiças, uma vez que são nutrientes responsáveis por produzir uma proteína que confere força às unhas.

As deficiências nutricionais podem surgir devido ao baixo consumo de alimentos, como carnes e ovos, por exemplo, ou ainda devido a dietas restritivas ou à cirurgia bariátrica, que pode alterar a absorção de nutrientes da alimentação.

Além das unhas fracas e quebradiças, as deficiências nutricionais podem levar ao surgimento de sintomas como cansaço excessivo, tontura, palidez ou alterações na visão, por exemplo.

O que fazer: é importante consultar o clínico geral para que sejam realizados exames e identificado o tipo de nutriente que está deficiente. Assim, o médico pode encaminhar para o  nutricionista para que seja indicado um plano alimentar de acordo com a necessidade nutricional da pessoa e ajudando a fortalecer as unhas. 

4. Anemia

A anemia é umas das principais causas de unhas fracas, isso porque há diminuição da quantidade de hemoglobina circulante, o que faz com que a quantidade de oxigênio transportada para os tecidos também diminua. 

Dessa forma, como consequência da quantidade de oxigênio circulante, há não só enfraquecimento das unhas, mas também cansaço excessivo, fraqueza e falta de disposição, por exemplo. Saiba reconhecer os sintomas de anemia

O que fazer: caso a anemia seja confirmada por meio de exames de sangue, o médico poderá indicar o tratamento mais adequado de acordo com o tipo de anemia, o que ajuda a reduzir os sintomas, incluindo as unhas fracas. Veja como deve ser o tratamento para anemia

5. Alterações na tireoide

Algumas alterações na tireoide também podem deixar as unhas mais fracas e quebradiças. No caso do hipotireoidismo, é verificada diminuição do metabolismo e diminuição do transporte de nutrientes para o corpo, tornando as unhas mais frágeis, além de outros sintomas como pele ressecada, dor de cabeça ou cansaço excessivo, por exemplo. Saiba identificar todos os sintomas do hipotireoidismo

Já no caso do hipertireoidismo, há aumento na produção de hormônios tireoidianos, o que estimula o crescimento das unhas, porém são bastante frágeis. Confira outros sintomas do hipertireoidismo.  

O que fazer: o tratamento deve ser feito de acordo a recomendação do endocrinologista, que poderá indicar a reposição dos hormônios tireoidianos no caso do hipotireoidismo, ou uso de remédios que regulam a produção dos hormônios tireoidianos no caso do hipertireoidismo. Veja os principais remédios para alterações na tireoide

Assista o vídeo a seguir com dicas de alimentação para melhorar o funcionamento da tireoide:

6. Infecções nas unhas

Algumas infecções nas unhas, como a micose, causada por fungos, ou infecções bacterianas, podem deixar as unhas fracas e quebradiças, além de alterar seu aspecto, deixando escamosa. 

O que fazer: o tratamento das infecções nas unhas deve ser feito de acordo com a recomendação do dermatologista, sendo normalmente indicado o uso de pomadas ou cremes antifúngicos ou antibacterianos. Veja como deve ser o tratamento para a infecção na unha causada por fungo

7. Uso prolongado de unhas em gel

O uso prolongado das unhas em gel, pode deixar as unhas mais fracas e quebradiças, porque pode causar desidratação e ressecamento nas unhas. 

Além disso, a remoção das unhas em gel, quando feita de forma incorreta ou em casa, utilizando espátula, acetona, removedor de esmalte, ou lixando a unha, pode danificar as unhas, deixando-as mais finas, fracas e quebradiças.

O que fazer: deve-se fazer a manutenção da unha em gel na manicure, além de manter as unhas e as cutículas hidratadas, utilizando cremes hidratantes próprios para as mãos. Além disso, a remoção das unhas em gel deve ser feita pela manicure, e os cuidados em casa após a remoção incluem manter as unhas curtas e limpas, fazer hidratação das unhas com  óleo de semente de uvas, por exemplo, utilizar uma base fortalecedora, ou esmaltes de cor clara, e evitar remover excessivamente as cutículas. Veja outras formas de como fortalecer as unhas fracas.   

8. Problemas circulatórios

Os problemas circulatórios, como a síndrome de Raynaud, podem deixar as unhas mais fracas, devido a um estreitamento dos vasos sanguíneos, o que promove diminuição do fluxo sanguíneo e, consequentemente, de oxigênio para as mãos e dedos. Além disso, outros sintomas são inchaço, dor ou aumento da sensibilidade da mão e dos dedos.

A síndrome de Raynaud pode ser causada pela exposição prolongada ao frio, ou problemas de saúde como esclerodermia, hipotireoidismo ou policitemia vera, por exemplo.

O que fazer: deve-se consultar o clínico geral ou angiologista, para que seja feito o diagnóstico e orientado o melhor tratamento de acordo com a causa, sendo geralmente receitados remédios anti-hipertensivos, que ajudam a melhorar a circulação sanguínea, aliviando os sintomas. Veja como é feito o tratamento da síndrome de Raynaud

9. Retirar as cutículas profundamente

As cutículas são uma camada de pele fina na base da unha que conferem uma barreira de proteção contra traumas, inflamações ou infecções por fungos ou bactérias, por exemplo.

Ao retirar profundamente as cutículas, ou ainda morder ou arrancar as cutículas, pode danificar a base da unha, deixando as unhas mais fracas, quebradiças, onduladas ou com manchas brancas. Além disso, pode favorecer o desenvolvimento de infecções, como paroníquia ou unha encravada, por exemplo.

O que fazer: o ideal é não remover as cutículas para garantir a proteção da unha e evitar que fiquem fracas. Uma boa forma de manter as unhas bonitas, sem remover as cutículas, é utilizar cremes hidratantes para as mãos, aplicados após lavar as mãos ou banho, além de beber bastante água durante o dia para manter o corpo hidratado, e utilizar luvas sempre que for preciso ter contato com detergentes ou outros produtos de limpeza.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em agosto de 2022. Revisão médica por Drª. Aleksana Viana - Dermatologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • DELOUGHERY, T. G. Iron Deficiency Anemia. Med Clin North Am. 101. 2; 319-332, 2017
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA - SÃO PAULO. Onicomicose: transmissão, sintomas e como tratar as unhas. Disponível em: <https://www.sbd-sp.org.br/geral/onicomicose-transmissao-sintomas-e-como-tratar-as-unhas/>. Acesso em 11 ago 2022
Mostrar bibliografia completa
  • PAULING, J. D. Raynaud's phenomenon-an update on diagnosis, classification and management. Clin Rheumatol. 38. 12; 3317-3330, 2019
  • KOEHLER, V. F.; REINCKE, M.; SPITZWEG, C. Hypothyroidism-when and how to treat?. Internist (Berl) . 59. 7; 644-653, 2018
  • MCDERMOTT, Michael T.. Hyperthyroidism. Ann Intern Med. 172. 7; ITC49-ITC64, 2020
Revisão médica:
Drª. Aleksana Viana
Dermatologista
Especialista em Dermatologia pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, em 2007 com registro profissional no CRM/PE – 16907.

Tuasaude no Youtube

  • Alimentação para Problemas na Tireoide

    04:47 | 875171 visualizações