Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como tratar a rubéola

Não existe um tratamento específico para a rubéola e, por isso, o vírus precisa ser eliminado naturalmente pelo organismo. No entanto, é possível utilizar alguns remédios para aliviar os sintomas enquanto se recupera.

Alguns dos remédios mais usados incluem:

  • Remédios para a febre, como Paracetamol, Acetaminofeno ou Ibuprofeno: ajudam a diminuir a temperatura corporal e aliviam a dor de cabeça;
  • Antibióticos, como Amoxicilina, Neomicina ou Ciprofloxacina: nem sempre são necessários, mas podem ser indicados caso surjam infecções associadas à rubéola, como pneumonia ou infecção do ouvido.

Estes medicamentos devem ser sempre orientados por um pediatra, no caso da criança, ou por um clínico geral, no caso do adulto, já que é necessário adequar as doses, especialmente no caso das crianças.

Como tratar a rubéola

Como tomar vitamina A para rubéola

A Organização Mundial da Saúde também recomenda a suplementação com vitamina A em crianças durante uma crise de rubéola, já que esta vitamina ajuda a diminuir a gravidade dos sintomas e evita o surgimento de complicações da doença.

As doses recomendadas variam de acordo com a idade:

IdadeDose indicada
Até 6 meses de idade50.000 UI
Entre 6 a 11 meses100.000 UI
12 meses ou mais200.000 UI

Como recuperar mais rápido

Além dos remédios, alguns cuidados também podem ajudar a aliviar o desconforto durante o tratamento, como:

  • Beber, pelo menos, 2 litros de água por dia;
  • Manter o repouso em casa, evitando ir no trabalho ou em locais públicos;
  • Usar um umidificador no cômodo para facilitar a respiração, ou colocar uma bacia com água morna no quarto;

Algumas pessoas também podem apresentar desconforto e muita vermelhidão nos olhos. Nesses casos, deve-se evitar ficar exposto à luz direta do sol, evitar estar muito tempo na frente da televisão e aplicar compressas frias sobre os olhos.

Possíveis complicações da rubéola

Apesar de a rubéola ser uma doença leve em crianças e adultos, ela pode trazer complicações para mulheres grávidas, como artrite nos dedos, nos pulsos e nos joelhos, que costuma durar cerca de 1 mês. Já em recém-nascidos, a doença também pode causar problemas como:

  • Surdez;
  • Deficiência mental;
  • Problemas cardíacos, no pulmões, no fígado ou na medula óssea;
  • Catarata;
  • Atrasos no crescimento;
  • Diabetes tipo 1;
  • Problemas na tireoide.

É importante lembrar que as consequências rubéola para os bebês são piores quando a mulher é infectada pela doença até a 10ª semana de gestação, reduzindo os riscos de problemas quando a doença aparece após a 20ª semana. Veja as alterações que podem acontecer no bebê caso a mãe seja afetada durante a gravidez.

Como prevenir a rubéola

Para prevenir a rubéola deve-se manter a vacinação em dia e evitar o contato com pessoas infectadas. Os bebês tomam vacina contra a rubéola no 1º ano de vida, e depois a dose de reforço é dada entre os 10 e os 19 anos.

Mulheres que planejam engravidar devem pedir ao médico para fazer o teste que verifica a imunidade contra a rubéola, e se não forem imunes devem tomar a vacina, lembrando que é preciso esperar pelo menos 1 mês após a vacina para engravidar, e que esta vacina não deve ser tomada durante a gravidez.

Saiba outras situações em que a vacina da Rubéola pode ser perigosa.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...