Transferrina baixa: o que significa (e o que fazer)

A transferrina baixa é uma condição que pode ser causada por inflamações, desnutrição, problemas nos rins ou fígado e anemia crônica, por exemplo, podendo ser acompanhada de sintomas, como dor de cabeça, perda de peso, cansaço e pele e olhos amarelados.

A transferrina é uma proteína produzida principalmente pelo fígado e que tem a função de transportar o ferro para a medula óssea, baço, fígado e músculos, mantendo o bom funcionamento do organismo. Conheça melhor o que é e para que serve a transferrina.

O tratamento da transferrina baixa deve ser feito pelo médico e varia de acordo com a causa dessa condição, podendo ser indicado o uso de medicamentos antibióticos, vasopressores, diuréticos, suplemento de ferro e, em alguns casos, a transfusão de sangue e o transplante de medula.

Pessoa avaliando tubos de ensaio

7 principais causas

As principais causas de transferrina baixa são:

1. infecções e inflamações

A transferrina baixa pode surgir em algumas infecções e inflamações, como sepse, trauma e queimaduras graves, pois essas situações provocam a perda de proteínas do organismo, incluindo a transferrina.

O que fazer: O tratamento é feito pelo médico, conforme a causa das infecções e inflamações, incluindo antibióticos orais ou administrados pela veia, medicamentos vasopressores, como noradrenalina e dopamina, administração de soro na veia, pomadas cicatrizantes ou antibióticas, curativos ou ainda a diálise.

Não ignore os sinais que seu corpo está dando!

Conte com os nossos especialistas para entender a causa dos seus sintomas. Marque sua consulta já!

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

2. Anemia sideroblástica

A anemia sideroblástica é uma doença rara que altera a forma de uso de ferro durante produção dos glóbulos vermelhos, causando níveis normais a elevados de ferro no sangue

Essa condição pode ser hereditária ou ainda pode ser causada por situações como síndrome mielodisplásica, anemia refratária, alguns medicamentos, como antibióticos, hormônios, agentes quelantes de cobre e quimioterapia, deficiência de cobre, doença neoplásica crônica ou toxicidade por chumbo.

O que fazer: o tratamento deve ser feito de acordo com a indicação do médico e a causa e a gravidade da anemia, podendo ser recomendado o uso de suplemento de vitamina B6 e ácido fólico, transfusão de sangue e redução do consumo de bebidas alcoólicas.

Já nos casos mais graves, quando a anemia é causada por alterações no funcionamento da medula óssea, o médico pode indicar a realização de transplante de medula.

Leia também: Transplante de medula: o que é, quando fazer e como é feito tuasaude.com/transplante-de-medula

3. Desnutrição

A desnutrição é causada pela falta de proteína e energia na dieta, sendo uma condição que pode afetar a formação de transferrina, podendo baixar os seus níveis no organismo.

O que fazer: o tratamento deve ser feito inicialmente no hospital, mantendo a pessoa aquecida e administrando uma solução isotônica na veia. O uso de antibióticos também pode ser indicado em casos de infecção.

A alimentação deve ser indicada pelo nutricionista, com o uso de fórmulas nutricionais, por via oral ou com sondas e de forma gradativa, para evitar a síndrome da realimentação, uma complicação que pode causar arritmia e morte súbita. Entenda melhor como é o tratamento da desnutrição.

4. Problemas renais

Problemas renais, como nefrose, síndrome nefrótica, insuficiência renal, nefropatia e glomerulonefrite, por exemplo, aumentam a excreção de proteínas na urina, deixando os níveis de transferrina baixa no organismo.

O que fazer: O tratamento é feito pelo médico, conforme a causa a ser tratada, podendo incluir o uso de remédios para pressão alta, como captopril, diuréticos, como furosemida e espironolactona e remédios para reduzir a ação do sistema imunológico, como corticoides.

Em alguns casos, o médico pode apenas recomendar o acompanhamento regular e a mudança de hábitos alimentares, como redução da ingestão de alimentos ricos em proteínas, sódio e potássio. Já nos casos mais graves, o médico pode indicar a realização de diálise ou transplante de rins.

5. Doenças hepáticas

A transferrina baixa pode ser causada por doenças hepáticas, como esteatose hepática, hepatite e cirrose, por exemplo. Isso acontece porque o fígado é o principal órgão que produz a transferrina.

O que fazer: conforme a causa da transferrina baixa, o tratamento pode ser feito com o uso de medicamentos como corticoides ou imunossupressores, interferon, ribavirina e entecavir, que devem ser prescritos pelo médico.

Além disso, pode ser recomendado também fazer alterações na dieta, praticar exercícios físicos de forma regular, perder peso e eliminar o consumo de álcool.

Leia também: Como tratar as doenças do fígado tuasaude.com/tratamento-para-doencas-do-figado

6. Atransferrinemia

A transferrina baixa é comum na atransferrinemia, uma doença genética muito rara que é causada principalmente por mutações no gene da transferrina, resultando no acúmulo de excesso de ferro em vários órgãos do corpo.

O que fazer: o tratamento inclui infusões de plasma ou de uma forma purificada de transferrina pode diminuir os sinais e sintomas. Além disso, o transplante de fígado teoricamente poderia ser indicado pelo médico para ajudar na cura dessa condição.

7. Anemia crônica

A transferrina baixa pode estar presente na anemia crônica, um tipo de anemia que normalmente acontece em pessoas hospitalizadas e que têm doenças infecciosas crônicas, inflamações ou neoplasias, por exemplo.

O que fazer: o tratamento é feito conforme a causa desse tipo de anemia. No entanto, em casos graves, o médico pode indicar a transfusão de sangue, o uso de suplementos de ferro ou a administração de eritropoietina, que é o hormônio responsável pela estimulação da produção das hemácias.

Sintomas de transferrina baixa

Alguns dos possíveis sintomas de transferrina baixa são:

  • Dor de cabeça;
  • Pele e olhos amarelados;
  • Náuseas e vômitos;
  • Cansaço;
  • Perda de peso;
  • Diminuição do volume de urina;
  • Alteração dos batimentos cardíacos;
  • Inchaço corporal.

Já a atransferrinemia pode causar atrasos no crescimento, infecções recorrentes, cirrose hepática, artrite, hipotireoidismo e doenças cardíacas. Em casos graves, pode causar pneumonia ou acúmulo de líquido no coração, nos pulmões e em vários tecidos do corpo.

É importante ressaltar que a transferrina baixa não provoca sintomas. Assim, esses sintomas podem surgir devido às condições que causam a transferrina baixa no sangue.

Saturação de transferrina baixa

A saturação de transferrina baixa pode indicar a presença de situações como gravidez, deficiência de ferro, câncer, desnutrição ou uso de anticoncepcionais contendo estrogênio.

Leia também: Índice de saturação da transferrina: o que é, para que serve e resultados tuasaude.com/indice-de-saturacao-da-transferrina

Vídeos relacionados