Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

DHEA: o que é, para que serve e efeitos colaterais

DHEA é a sigla para desidroepiandrosterona, um hormônio que é produzido naturalmente pelas glândulas suprarrenais e que é responsável por participar na produção de hormônios sexuais, como testosterona e estrogênio. A produção de DHEA atinge sua quantidade máxima entre os 20 e os 30 anos, tendo sua concentração diminuída a partir dessa idade.

O DHEA também pode ser obtido sinteticamente a partir da soja ou do inhame, sendo usado como suplemento. Na forma de suplemento, o DHEA é normalmente utilizado com o objetivo de retardar o envelhecimento, facilitar a perda de peso e evitar a perda de massa muscular.

Embora seja vendido em vários países, incluindo os Estados Unidos, a comercialização de DHEA está proibida pela Anvisa no Brasil, por existirem poucos estudos que comprovem seus benefícios. Além disso, o DHEA também pode causar vários efeitos colaterais, especialmente o desenvolvimento de gordura abdominal, contribuindo para o aumento do risco de diabetes, pressão alta, infarto e AVC, por exemplo.

DHEA: o que é, para que serve e efeitos colaterais

Para que serve

O DHEA é um dos hormônios mais abundantes no corpo humano, sendo importante para a manutenção do equilíbrio hormonal. Normalmente, com o envelhecimento e diminuição da concentração de DHEA, existe um risco aumentado de várias doenças como osteoporose, diabetes, Alzheimer, doenças autoimunes e até problemas causados pelo estresse. Assim, a suplementação de DHEA é muitas vezes usada para reposição do hormônio natural, combatendo os efeitos do envelhecimento.

O suplemento tem ainda sido indicado para:

  • Manter a massa muscular;
  • Aumentar a libido;
  • Evitar a impotência.

Além disso, o DHEA pode atuar melhorando o sistema imunológico, controlando os níveis de colesterol e garantindo maior energia para realizar as atividades do dia-a-dia.

Contraindicações e efeitos colaterais 

O uso indiscriminado de DHEA pode aumentar os níveis de hormônios sexuais, podendo levar a alterações na voz e no ciclo menstrual, perda de cabelo e crescimento de pelos no rosto, no caso das mulheres, e no caso dos homens aumento dos seios e da sensibilidade na região, por exemplo.

Além disso, o uso em excesso do DHEA pode resultar em insônia, surgimento de acne, dor abdominal, aumento do colesterol e alteração nos batimentos cardíacos.

O DHEA é um hormônio, por isso é importante que seu uso seja feito apenas com orientação médica. O uso de suplemento de DHEA não é recomendado para grávidas, mulheres que estejam amamentando e crianças, a não ser que seja recomendado pelo clínico geral ou endocrinologista.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Revisão científica adverte sobre efeitos adversos do uso de DHEA. Disponível em: <https://ww3.icb.usp.br/revisao-cientifica-adverte-sobre-efeitos-adversos-do-uso-de-dhea/>. Acesso em 20 Jul 2021
Mais sobre este assunto:

Carregando
...