Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
Fechar Coronavírus: Informações sobre COVID-19 Ler mais
O que você precisa saber?

Meningite C: o que é, principais sintomas e tratamento

A meningite C, também conhecida como meningite meningocócica, é um tipo de meningite bacteriana causada pela bactéria Neisseria meningitidis que pode ser fatal caso não seja tratada corretamente. Esta infecção pode acontecer em qualquer idade, mas é mais frequente em crianças com menos de 5 anos.

Os sintomas da meningite C são bastante semelhantes aos da gripe e, por isso, o diagnóstico pode ser mais difícil, atrasando o início do tratamento e aumentando a probabilidade de desenvolver sequelas, como surdez, amputação e lesões cerebrais.

Assim, é recomendado que, sempre que exista suspeita de meningite C, se consulte um clínico geral para avaliar os sintomas e fazer os exames necessários, de forma a confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado o mais cedo possível.

Meningite C: o que é, principais sintomas e tratamento

Principais sintomas

O sintoma mais característico da meningite C é a rigidez na nuca que resulta em dificuldade de encostar o queixo no peito. Além disso, são sintomas da meningite C:

  • Febre alta;
  • Dor de cabeça;
  • Manchas grandes ou pequenas na pele;
  • Confusão mental;
  • Dor de garganta;
  • Vômitos;
  • Náuseas;
  • Sonolência;
  • Dificuldade para acordar;
  • Dor nas articulações;
  • Irritação;
  • Fotofobia;
  • Cansaço;
  • Falta de apetite.

Ao perceber estes sintomas é importante encaminhar a pessoa ao hospital o mais rápido possível para que o tratamento seja iniciado e as chances de complicações diminuam.

O diagnóstico da meningite é feito a partir da observação dos sinais e sintomas apresentados pela pessoa e é confirmado pelo exame de punção lombar, que consiste na análise laboratorial de uma pequena quantidade de líquido que é retirado da medula espinhal.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico inicial da meningite C é feito pelo infectologista ou neurologista a partir da análise dos sintomas. A confirmação, porém, só pode ser feita por meio de exames laboratoriais, como por exemplo hemograma, punção lombar e análise do líquido cefalorraquidiano (LCR) ou líquor, em que é investigada a presença da Neisseria meningitidis.

Após a realização do exame, o médico poderá confirmar a doença e, assim, elaborar de um plano de intervenção da forma mais rápida possível de modo a evitar possíveis complicações. Veja quais são as sequelas da meningite.

Como se transmite e como evitar

A transmissão da meningite C ocorre através do contato direto com as secreções respiratórias ou fezes de uma pessoa infectada pela bactéria Neisseria meningitidis. Dessa forma, a tosse, o espirro, e a saliva são maneiras de transmissão da bactéria, sendo recomendado evitar compartilhar talheres, copos e roupas com pessoas infectadas.

A forma mais fácil e eficaz de se prevenir contra a meningite é a partir da vacinação, que pode ser administrada a partir dos 3 meses de idade. A vacina para esse tipo de meningite é chamada de Vacina Meningocócica C e é disponibilizada em postos de saúde. Essa vacina tem duração que varia entre 1 e 2 anos e, por isso, deve ser tomado reforço em crianças até 4 anos e em adolescentes entre 12 e 13 anos. Saiba mais sobre a vacina que protege da meningite.

No entanto, o hábito de lavar as mãos com frequência, assim como evitar ocontato com pessoas aparentemente doentes também ajuda a diminuir a probabilidade de infecção.

Como é feito o tratamento

O tratamento para a meningite C é feito em internamento e com o uso de antibióticos, já que a transmissão dessa bactéria para outras pessoas é muito fácil, sendo necessário manter a pessoa em isolamento até que não represente risco de contágio. Além disso, o internamento é importante para que a equipe médica monitore o estado de saúde do paciente e, assim, possa evitar complicações. Veja quais são as sequelas da meningite.

A melhor forma de prevenção da meningite C é por meio da vacinação, que pode ser feita a partir dos 3 meses de vida, devendo ser reforçada em crianças até 4 anos de idade e em adolescentes entre 12 e 13 anos. Saiba mais sobre as vacinas que protegem contra a meningite.

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem