Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Sintomas, causas e tratamento para Síndrome de Guillain-Barré

A Síndrome de Guillain-Barré é uma doença autoimune grave, em que o próprio sistema imunológico passa a tacar as células nervosas, levando à inflamação nos nervos e, consequentemente, fraqueza e paralisia muscular, podendo ser fatal. O diagnóstico da síndrome em estágios iniciais é difícil, pois os sintomas são semelhantes a outras doenças neurológicas.

A síndrome tem progressão rápida e a maioria dos pacientes recebe alta após 4 semanas, no entanto o tempo de recuperação total pode demorar meses ou anos. A maioria dos pacientes se recupera e volta a andar após 6 meses a 1 ano de tratamento, mas existem alguns que tem maior dificuldade e que precisam de cerca de 3 anos para se recuperar.

Sintomas, causas e tratamento para Síndrome de Guillain-Barré

Principais sintomas

Os sinais e sintomas da Síndrome de Guillain-Barré podem se desenvolver rapidamente e pioram ao longo do tempo, podendo deixar o indivíduo paralisado em menos de 3 dias. No entanto, nem todos os pacientes são gravemente afetados porque alguns podem somente apresentar fraqueza nos braços e nas pernas.

Os sintomas da Síndrome de Guillain-Barré podem ser:

  • Fraqueza muscular, que geralmente começa nas pernas, mas depois atinge os braços, diafragma e também os músculos da face e da boca, prejudicando a fala e a alimentação;
  • Formigamento e perda de sensibilidade nos braços e nas pernas;
  • Dor nas costas, nos quadris e nas coxas;
  • Palpitações no peito, coração acelerado;
  • Alterações da pressão, podendo haver pressão alta ou baixa;
  • Dificuldade para respirar e para engolir, devido à paralisia dos músculos respiratórios e digestivos;
  • Dificuldade em controlar a urina e as fezes;
  • Medo, ansiedade, desmaio e vertigem.

Quando o diafragma é atingido, o paciente começa a sentir dificuldade para respirar, e neste caso é importante que o paciente seja ligado a aparelhos para respirar. Caso isso não aconteça, o paciente pode vir à óbito, uma vez que os músculos respiratórios não funcionam, resultando em asfixia.

Em caso de suspeita de Guillain-Barré deve-se ir rapidamente para o hospital ou ao neurologista para que sejam feitos exames que possam concluir o diagnóstico da Síndrome de Guillain-Barré e, assim, evitar a paralisia total. Veja o que falar para o médico na consulta.

O que causa Síndrome de Guillain-Barré

A principal causa da Síndrome de Guillain-Barré é a infecção pelo Zika Vírus, que é transmitido por meio da picada do mosquito Aedes aegypti. No entanto, essa doença pode também ser consequência de infecções bacterianas, respiratórias ou intestinais, em que há comprometimento neurológico.

Devido a alterações no sistema imune, o organismo passa atacar o próprio sistema nervoso periférico, destruindo a bainha de mielina, que é a membrana que recobre os nervos e acelera a condução do impulso nervoso, originando os sintomas. Ao perder a bainha de mielina, os nervos ficam inflamados e isto impede que o sinal nervoso seja transmitido para os músculos, levando a fraqueza muscular e a sensação de formigamento nas pernas e nos braços, por exemplo.

Muitas pessoas antes de serem diagnosticados com a Síndrome de Guillain-Barré foram vacinados recentemente, fizeram alguma cirurgia ou apresentaram doenças como gastroenterite ou infecções virais, como: Epstein-Barr, citomegalovírus, HIV, Dengue ou Zika vírus.

Sintomas, causas e tratamento para Síndrome de Guillain-Barré

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da Síndrome de Guillain-Barré nos estágios iniciais é difícil, pois os sintomas são semelhantes a diversas outras doenças em que há comprometimento neurológico.

O diagnóstico é confirmado por meio da análise dos sintomas e realização de exames, como ressonância magnética, punção lombar, eletrocardiograma e eletroneuromiografia, que é um exame feito com o objetivo de avaliar a condução do impulso nervoso. Entenda mais sobre o exame de eletroneuromiografia.

Todos os pacientes diagnosticados com Síndrome de Guillain-Barré devem permanecer internados no hospital para serem devidamente acompanhados e tratados, porque quando esta doença não é tratada, pode levar à morte devido à paralisia dos músculos.

Como é o tratamento

O tratamento para a Síndrome de Guillain-Barré tem como objetivo aliviar os sintomas e acelerar a recuperação. O tratamento inicial deve ser feito no hospital, mas após a alta o tratamento deve ser continuado e é recomendado fazer fisioterapia.

O tratamento feito no hospital é a plasmaférese, em que o sangue é removido do corpo, filtrado com o objetivo de remover as substâncias que estão causando a doença, e depois devolvido ao corpo. Assim, a plasmaférese é capaz de reter os anticorpos responsáveis por atacar o sistema imune. Saiba como é feita a plasmaférese.

Uma outra opção de tratamento é a injeção de altas doses de imunoglobulinas (anticorpos) contra os anticorpos que estão atacando os nervos, reduzindo a inflamação e a destruição da bainha de mielina.

No entanto, quando surgem complicações graves, como dificuldade em respirar, problemas cardíacos ou gastrointestinais, pode ser necessário que o paciente fique internado para que seja monitorado e outras complicações sejam prevenidas. Saiba mais sobre o tratamento para a Síndrome de Guillain-Barré.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar