Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Exame de Eletroneuromiografia: o que é, para que serve e como é feito

Setembro 2019

A eletroneuromiografia (ENMG) é um exame que avalia a presença de lesões que afetam os nervos e músculos, como pode acontecer em doenças como esclerose lateral amiotrófica, neuropatia diabética, síndrome do túnel do carpo ou doença de guillain-barré, por exemplo, sendo importante para ajudar o médico a confirmar o diagnóstico e planejar o melhor tratamento.

Este exame é capaz de registrar a condução de um impulso elétrico em um nervo e avaliar a atividade do músculo durante um determinado movimento e, geralmente, são avaliados os membros inferiores ou superiores, como pernas ou braços.

Exame de Eletroneuromiografia: o que é, para que serve e como é feito

Como é feito o exame Eletroneuromiografia

O exame é realizado em 2 etapas:

  • Eletroneurografia ou neurocondução: pequenos sensores são estrategicamente posicionados sobre a pele para avaliar determinados músculos ou trajetos de nervos, e, em seguida, pequenos estímulos elétricos são feitos para produzir atividades nesses nervos e músculos, que são captadas pelo aparelho. Esta etapa pode provocar um desconforto semelhante a pequenas pancadas, mas que são suportáveis;
  • Eletromiografia: um eletrodo em forma de agulha é inserido na pele até alcançar o músculo, para avaliar diretamente a atividade. Para isso, é pedido para que o paciente realize alguns movimentos enquanto o eletrodo detecta os sinais. Nesta etapa, há uma dor de picada durante a inserção da agulha, e pode haver um desconforto durante o exame, que é tolerável. Saiba mais sobre a eletromiografia.

O exame de eletroneuromiografia é feito pelo médico, e está disponível em hospitais ou clínicas especializadas. Este exame é feito gratuitamente pelo SUS e coberto por alguns planos de saúde, ou pode ser feito de forma particular, por um preço de cerca de 300 reais, o que pode ser bastante variável, de acordo com o local onde é realizado.

Para que serve

A eletroneuromiografia é utilizada para fazer o diagnóstico de determinadas doenças que estejam relacionadas com os impulsos nervosos ou com a atividade elétrica muscular, de forma a planear um tratamento adequado. Em alguns casos, também pode ser útil para avaliar a evolução da doença.

O eletromiograma não é o exame considerado padrão para o diagnóstico de doenças nervosas e musculares, no entanto o seu resultado é interpretado de acordo com a história clínica e resultado de exames neurológicos do paciente.

Quais as doenças que o exame deteta

O exame de eletroneuromiografia estuda o funcionamento dos nervos e músculos, que podem estar alterado em situações como:

Com as informações obtidas durante o exame, o médico poderá confirmar o diagnóstico, indicar as melhores formas de tratamento ou, em alguns casos, acompanhar a gravidade e evolução da doença.

Como se preparar para o exame

Para a realização da eletroneuromiografia, recomenda-se comparecer ao local do exame bem alimentado e levar roupas folgadas ou de fácil remoção, como saias ou shorts. Não se deve usar óleos ou cremes hidratantes nas 24h anteriores ao exame, pois estes cosméticos podem dificultar a aderência dos eletrodos.

É importante informar o médico se usa medicamentos, pois alguns, como os anticoagulantes, podem interferir ou contra-indicar o exame e se tem um marca-passo se sofre de doenças de sangue, como a hemofilia.

Além disso, deve-se lembrar que a eletroneuromiografia costuma ser feita em ambos os lados (ambas as pernas ou braços), pois é importante comparar as alterações encontradas entre o lado afetado e o lado sadio.

Não existem efeitos permanentes após o exame, por isso, é possível retornar às atividades diárias normalmente.

Quem não deve fazer

A eletroneuromiografia não traz riscos à saúde, no entanto, é contra-indicada para pessoas que usam marca-passo cardíaco ou que utilizam medicamentos anticoagulantes, como Varfarina, Marevan ou Rivaroxaban, por exemplo. Nestes casos, deve-se informar ao médico, que irá avaliar a contraindicação ou que tipo de tratamento poderá ser feito.

Há algumas contraindicações absolutas para realização do exame, sendo elas: a não cooperação do paciente para a realização do exame, a recusa do paciente para a realização do procedimento e a presença de lesões do local em que seria feita a investigação.

Possíveis riscos

O exame de eletroneuromiografia é seguro na maioria dos casos, no entanto podem haver situações cujo procedimento por apresentar risco, como por exemplo:

  • Pacientes em tratamento com anticoagulantes;
  • Doenças de sangue, como hemofilia e alterações plaquetárias;
  • Doenças que enfraquecem o sistema imunológico, como AIDS, diabetes, e doenças autoimunes;
  • Pessoas que possuem marcapasso;
  • Lesões infecciosas ativas no local em que seria realizado o exame.

Dessa forma, é importante comunicar ao médico caso apresente alguma das condições em que é considerado risco, além do uso de medicamentos para que assim se possa diminuir o risco de complicações.

Bibliografia >

  • HOSPITAL SOERAD. ELETRONEUROMIOGRAFIA (ENMG). 2014. Disponível em: <http://www.soerad.com/attachments/files/56125fed-d000-48cc-af56-4670b946641e.pdf>. Acesso em 16 Ago 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem