Retinoblastoma: o que é, sintomas, causas, tratamento e sequelas

Revisão médica: Dr.ª Sani Santos Ribeiro
Pediatra e Pneumologista infantil
setembro 2022

O retinoblastoma é um tipo de câncer raro que surge em um ou nos dois olhos do bebê, mas que, quando é identificado precocemente, pode ser tratado, sem deixar sequelas.

Uma vez que esta condição tende a surgir em bebês muito pequenos, é comum que não seja fácil identificar sintomas, já que o bebê não consegue expressar o que vê ou sente.

Dessa forma, todos os bebês devem fazer o teste do olhinho logo após o nascimento, para avaliar se existe alguma alteração no olho que possa ser sinal deste problema. Entenda como é feito o teste do olhinho para identificar o retinoblastoma.

Pediatra realizando o teste do olhinho
Pediatra realizando o teste do olhinho

Sintomas do retinoblastoma

É possível suspeitar de retinoblastoma através de sinais e sintomas como:

  • Reflexo branco no centro do olho, especialmente nas fotos com flash;
  • Estrabismo em um ou ambos os olhos;
  • Alteração da cor do olho;
  • Vermelhidão constante no olho;
  • Dificuldade para enxergar, que faz com que o bebê tenha dificuldade para perceber e agarrar objetos próximos.

Estes sintomas podem surgir até aos cinco anos de idade, mas é muito mais comum que o problema seja identificado ainda durante o primeiro ano de vida, especialmente quando o problema afeta ambos os olhos.

Como confirmar o diagnóstico

A melhor forma de confirmar o diagnóstico de retinoblastoma é fazendo o teste do olhinho, que deve ser realizado na primeira semana após o nascimento, na maternidade, ou na primeira consulta com o pediatra.

Além do teste do olhinho, o pediatra pode ainda pedir um ultrassom do olho para ajudar no diagnóstico do retinoblastoma.

Possíveis causas

O retinoblastoma é causado pelo crescimento exagerado da retina, que é uma parte do olho que se desenvolve muito rapidamente nas fases iniciais do desenvolvimento do bebê.

Esse crescimento excessivo é causado por uma alteração genética que pode ser hereditária, passando de pais para filhos, mas a alteração também pode acontecer devido a uma mutação aleatória, surgindo mesmo quando não existe histórico da condição na família.

Assim, quando algum dos pais teve retinoblastoma durante a infância é importante informar o obstetra, para que o pediatra fique mais atento ao problema logo após do nascimento, aumentando as chances de identificar o retinoblastoma precocemente. 

Como é feito o tratamento

O tratamento para retinoblastoma varia de acordo com o grau de desenvolvimento do câncer. Como na maior parte dos casos, o tumor está pouco desenvolvido, o tratamento normalmente é feito com uma pequena cirurgia, em que é utilizado um pequeno laser ou um jato gelado para destruir as células do tumor. Estas duas técnicas são feitas com anestesia geral, para evitar que a criança sinta dor ou algum desconforto.

Já nos casos mais graves, em que o câncer já afetou outras regiões fora do olho, pode ser necessário fazer quimioterapia para tentar reduzir o tumor antes de experimentar realizar a cirurgia. Quando isso não é possível, pode ser necessária fazer uma cirurgia para retirar o olho e evitar que o câncer continue crescendo e colocando em risco a vida da criança.

Além disso, o médico também pode indicar a realização de radioterapia, nos casos avançados de retinoblastoma, ou braquiterapia, feita quando o tratamento com a quimioterapia não foi eficaz para eliminar o tumor.

Após o tratamento, é necessário fazer consultas regulares no pediatra para garantir que o problema foi eliminado e não existem células cancerígenas que podem levar o câncer a voltar a surgir.

Possíveis sequelas

O retinoblastoma pode causar algumas sequelas quando não tratado, como:

  • Descolamento da retina;
  • Necrose da retina;
  • Cegueira;
  • Catarata;
  • Metástases do tumor para o cérebro;
  • Metástases para outras partes do corpo, como linfonodos regionais, fígado, ossos ou pulmões, por exemplo.

Algumas complicações também podem surgir mesmo após o tratamento do retinoblastoma, como recorrência do tumor, o que significa que o retinoblastoma pode voltar a surgir dentro ou ao redor do olho afetado, retinopatia ou neuropatia devido à radioterapia.

Além disso, após o tratamento do retinoblastoma hereditário, ainda existe um risco aumentado de desenvolvimento de outros tipos de tumor no corpo, especialmente no cérebro, como o pineoblastoma, que é um câncer da glândula pineal.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em setembro de 2022. Revisão médica por Dr.ª Sani Santos Ribeiro - Pediatra e Pneumologista infantil, em janeiro de 2022.

Bibliografia

  • ISHAQ, H.; PATEL, B. C. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Retinoblastoma. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK545276/>. Acesso em 21 set 2022
  • NHS. Retinoblastoma (eye cancer in children). Disponível em: <https://www.nhs.uk/conditions/retinoblastoma/>. Acesso em 31 jan 2022
Mostrar bibliografia completa
  • CANCER RESEARCH UK. What is retinoblastoma?. Disponível em: <https://www.cancerresearchuk.org/about-cancer/childrens-cancer/eye-cancer-retinoblastoma/about>. Acesso em 31 jan 2022
  • Brasil, Eduardo Assis et al.. Retinoblastoma: atualização sobre avaliação diagnóstica e tratamento. Acta Médica. Vol.2. 402-415, 2018
Revisão médica:
Dr.ª Sani Santos Ribeiro
Pediatra e Pneumologista infantil
Médica formada pela Universidade Federal do Rio Grande com CRM nº 28364 e especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria.