O que você precisa saber?

Saiba os riscos da Sífilis na Gravidez

A sífilis na gravidez pode prejudicar o bebê, pois quando a grávida não faz o tratamento há um grande risco do bebê pegar sífilis através da placenta, podendo desenvolver graves problemas de saúde como surdez, cegueira, problemas neurológicos e nos ossos. 

O tratamento da sífilis na gravidez, geralmente, é feito com Penicilina e é importante que o parceiro também faça o tratamento e que a grávida não tenha contato íntimo sem camisinha até o final do tratamento.

Saiba os riscos da Sífilis na Gravidez

Principais riscos para o bebê

A sífilis na gravidez é grave principalmente se a sífilis estiver na fase inicial, em que é mais transmissível, embora a contaminação possa acontecer em qualquer fase da gestação. O bebê também pode ser contaminado durante o parto normal se houver alguma ferida de sífilis na região da vagina.

Nesse caso há risco de:

  • Parto prematuro, morte fetal, bebê com baixo peso ao nascer,
  • Manchas na pele, alterações nos ossos;
  • Fissura perto da boca, síndrome nefrótica, edema, 
  • Convulsões, meningite;
  • Deformação do nariz, nos dentes, na mandíbula, céu da boca
  • Surdez e dificuldade de aprendizado.

O bebê poderá ser amamentado à menos que a mãe tenha alguma ferida da sífilis nos mamilos.

A maioria dos bebês infectados não apresentam qualquer sintoma ao nascer e por isso todos precisam realizar o exame VDRL ao nascer, 3 e 6 meses depois, iniciando o tratamento logo que a doença seja descoberta.

Felizmente a maior parte das gestantes que realiza o tratamento seguindo todas as orientações médicas não passam a doença para o bebê.

Como tratar a sífilis na gravidez

O tratamento para sífilis na gravidez deve ser indicado pelo obstetra e, normalmente, é feito com injeções de Penicilina em 1, 2 ou 3 doses, dependendo da gravidade e do tempo de contaminação.

É muito importante que a gestante faça o tratamento até o fim para evitar transmitir a sífilis para o bebê, que não tenha contato íntimo até acabar o tratamento e que o parceiro também realize o tratamento para a sífilis para evitar a progressão da doença e para evitar a recontaminação da mulher.

É importante ainda que, ao nascer, o bebê seja avaliado para que, caso seja necessário, faça o tratamento também com Penicilina, o mais rapidamente possível. Saiba mais sobre a sífilis no bebê aqui.

Sífilis pode ser curada na gravidez

A sífilis na gravidez tem cura quando o tratamento é feito corretamente e é confirmado no exame de VDRL que a bactéria da sífilis foi eliminada. Nas gestantes diagnosticadas com sífilis, o exame de VDRL deve ser realizado mensalmente até ao final da gravidez para confirmar a eliminação da bactéria.

O exame de VDRL é um exame de sangue que serve para identificar a doença e deve ser feito no início do pré-natal e repetido no 2º trimestre, mesmo que o resultado seja negativo, pois a doença pode estar na fase latente e é importante que o tratamento seja feito da mesma forma.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...