Paracetamol ou Ibuprofeno: qual é melhor tomar?

agosto 2022
  1. Paracetamol
  2. Ibuprofeno

O paracetamol e o ibuprofeno são provavelmente os medicamentos mais utilizados e mais comuns na prateleira de remédios e, apesar de serem usados para aliviar vários tipos de dor, apresentam propriedades diferentes.

O paracetamol e o ibuprofeno podem ser usados durante o mesmo tratamento, de maneira intercalada, devendo-se esperar cerca de 6 a 8 horas entre o uso dos medicamentos. Ou seja, se o paracetamol for usado, deve-se esperar 6 a 8 horas para tomar o ibuprofeno.

No entanto, é importante consultar o clínico geral ou o pediatra antes de iniciar o uso do paracetamol e/ ou do ibuprofeno, pois além de possuírem diferentes indicações, existem situações em que esses medicamentos não devem ser utilizados, como quando a pessoa tem problemas hepáticos ou doenças cardíacas, por exemplo.

Quando utilizar o paracetamol

O paracetamol, também conhecido como acetaminofeno, é um medicamento analgésico e antipirético indicado para o tratamento da dor de intensidade leve a moderada e de estados febris.

  • Nomes comerciais: Tylenol, Acetamil, Naldecon ou Parador.
  • Indicações: aliviar dores de cabeça, dor nas costas, dor de dente, dor de garganta, dor de ouvido, dor no pós-operatório, febre e situações que acompanham a gripe e o resfriado.
  • Dose máxima por dia: não se deve ingerir mais de 4 gramas por dia, no caso de pessoas saudáveis e sem problemas hepáticos, sendo recomendado o uso de 1 grama a cada 8 horas.
  • Mecanismo de ação: o paracetamol reduz a dor através da inibição da produção de prostaglandinas, que são substâncias liberadas quando acontece dor ou lesões. Dessa forma, o corpo fica menos consciente da dor, resultando na sensação de alívio. No entanto, o paracetamol não inibe as ciclooxigenases dos tecidos periféricos, de forma que não possui ação anti-inflamatória.
  • Possíveis efeitos colaterais: mal-estar, queda da pressão e aumento dos níveis das enzimas do fígado.

É importante ressaltar que se a dor se mantiver durante mais de 5 dias, a febre por mais de 3 dias, a febre piorar ou aparecerem outros sintomas, é indicado que seja interrompido o tratamento e o médico seja consultado. Além disso, antes de utilizar o paracetamol, podem ser buscadas opções naturais para baixar a febre. Confira algumas opções de chá para baixar a febre.

Contraindicações do paracetamol

O paracetamol deve ser tomado sob orientação médica no caso da pessoa apresentar alguma doença hepática, renal, pulmonar, cardíaca ou anemia. No caso de pessoas com alcoolismo, o paracetamol só deve ser utilizado sob indicação do médico, já que pode provocar danos graves no fígado.

No caso das mulheres grávidas ou em período de lactância, devem consultar o médico antes de iniciar. Além disso, o paracetamol não deve ser utilizado por pessoas que tenham alergia ao paracetamol ou a outros componentes do medicamento.

Quando utilizar o Ibuprofeno

O ibuprofeno é um anti-inflamatório não esteroide (AINES) e é utilizado como antipirético, analgésico e anti-inflamatório.

  • Nomes comerciais: Alivium, Motrin, Advil ou Ibupril.
  • Indicações: tratar a febre, aliviar a dor de intensidade leve a moderada, incluindo a enxaqueca, dor do pós-operatório e após alguma fratura. Também pode ser indicado para aliviar a dor em doenças como artrite, artrose, espondilite anquilosante e menstruação dolorosa.
  • Dose máxima por dia: não se deve tomar mais de 1600 mg deste medicamento por dia, sendo aconselhado ingerir até 400 mg a cada 8 horas.
  • Mecanismo de ação: da mesma forma que o paracetamol, o ibuprofeno também inibe a síntese de prostaglandinas, no entanto também á capaz de inibir a nível periférico, apresentando, portanto, efeito anti-inflamatório.
  • Possíveis efeitos colaterais: quando o ibuprofeno é usado por um tempo prolongado pode causar úlceras pépticas, hemorragia digestiva, perfurações, principalmente em idosos. Além disso, pode também haver náuseas, vômitos, diarreia, flatulência, prisão de ventre, ardor no estômago, dor abdominal, sangue nas fezes, aftas bucais, piora da colite ulcerativa e doença de Crohn. Menos frequentemente foi observado o desenvolvimento de gastrite.

Devido aos seus efeitos no trato gastrointestinal, o ibuprofeno deve ser ingerido após as refeições. No caso em que o ibuprofeno é indicado por mais de 1 semana, o médico pode indicar o uso de um protetor gástrico para evitar esses transtornos.

Contraindicações do ibuprofeno

O ibuprofeno não deve ser ingerido por mulheres grávidas e mulheres durante o período de amamentação sem antes consultar o médico. Além disso, também está contraindicado para pessoas com doença graves do fígado ou dos rins, insuficiência cardíaca grave, em caso de úlcera ou hemorragia digestiva ou intestinal ou caso se tenha tido uma perfuração do trato digestivo.

O ibuprofeno também não deve ser usado caso a pessoa tenha vômito com sangue, fezes escuras ou diarreia com sangue, se possui alterações hematológicas ou da coagulação sanguínea ou se está fazendo uso de medicamentos anticoagulantes.

Além disso, deve-se evitar o uso em caso de alergia a ibuprofeno ou a qualquer anti-inflamatório não esteroide.

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Flávia Costa - Farmacêutica, em agosto de 2022.

Bibliografia

  • AGENCIA ESPAÑOLA DE MEDICAMENTOS Y PRODUCTOS SANITARIOS,. Ibuprofeno Normon 600 mg comprimidos recubiertos con película EFG. Disponível em: <https://cima.aemps.es/cima/dochtml/p/65251/Prospecto_65251.html>. Acesso em 29 jul 2022
  • NPS MEDICINEWISE. Paracetamol/ibuprofen combinations for acute pain. Disponível em: <https://www.nps.org.au/news/paracetamol-ibuprofen-combinations-for-acute-pain>. Acesso em 01 ago 2022
Mostrar bibliografia completa
  • AGENCIA ESPAÑOLA DE MEDICAMENTOS Y PRODUCTOS SANITARIOS,. Paracetamol pensa 1 g comprimidos EFG. Disponível em: <https://cima.aemps.es/cima/dochtml/p/69481/Prospecto_69481.html#:~:text=Uso%20en%20adultos%20y%20adolescentes,deben%20consultar%20a%20su%20m%C3%A9dico.>. Acesso em 29 jul 2022
Revisão clínica:
Flávia Costa
Farmacêutica
Formada em Farmácia pelo Centro Universitário Newton Paiva em 2003. Mestre em Ciências Biomédicas pela UBI, Portugal.