Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Pupilas dilatadas: o que pode ser e quando é perigoso

A pupila dilatada, cujo nome técnico é midríase, normalmente não representa grandes problemas, sendo apenas situacional e voltando ao normal pouco tempo depois. No entanto, quando as pupilas demoram para voltar ao normal, possuem tamanhos diferentes ou não reagem a estímulos luminosos, pode ser sinal de condições mais sérias, como infarto, tumor cerebral ou problemas respiratórios, por exemplo.

As pupilas são estruturas presentes nos olhos responsáveis por regular a entrada de luz e garantir qualidade e nitidez da visão. Em situações normais, a pupila reage a estímulos luminosos dilatando ou contraindo de acordo com a quantidade de luz.

Pupilas dilatadas: o que pode ser e quando é perigoso

Principais causas

A pupila pode dilatar em diversas situações, sendo, na maioria das vezes, completamente normal. Algumas situações que podem levar à dilatação das pupilas são:

  1. Uso de colírios, especialmente os utilizados para fazer os exames oftalmológicos, que são utilizados justamente para dilatar as pupilas e permitir a visualização do fundo do olho. Saiba mais sobre o exame oftalmológico;
  2. Diminuição da quantidade de oxigênio no cérebro, que pode ser devido a problemas respiratórios ou envenenamento, por exemplo;
  3. Situações que causam dor, o que leva à dilatação da pupila de acordo com a intensidade da dor;
  4. Situações de estresse, tensão, medo ou choque;
  5. Danos no cérebro, seja devido à acidentes ou devido à presença de tumor no cérebro - veja quais são os principais sintomas de tumor cerebral;
  6. Uso de drogas, como anfetamina e LSD, por exemplo, que além de causarem alterações psicológicas e comportamentais, também podem levar a alterações físicas. Saiba quais são os sinais que podem indicar o uso de drogas;
  7. Atração física, que frequentemente é associada à dilatação das pupilas, no entanto a dilatação não pode ser utilizada como medidor da vontade ou atração sexual.

Além disso, as pupilas podem dilatar quando se está fazendo muito esforço para pensar ou se está muito concentrado para realizar determinada tarefa, por exemplo. Assim que a situação que demanda foco e atenção tem fim ou quando se perde o interesse, as pupilas voltam ao normal.

Quando pode ser perigoso

A dilatação pode significar um problema mais grave quando a pupila não reage a estímulos e permanece dilatada, sendo essa situação denominada midríase paralítica, que pode acontecer em um ou nos dois olhos. Por isso, caso a pupila não volte ao normal depois de algumas horas ou dias, é importante buscar ajuda médica, pois pode se tratar de problemas respiratórios, traumatismo craniano, infarto ou aneurisma, por exemplo.

É comum que após acidentes seja feita a avaliação das pupilas, que é feita por meio do estímulo das pupilas por uma lanterna. Isso tem como objetivo verificar se as pupilas reagem ao estímulo luminoso e, assim, poder indicar o estado geral da pessoa. Caso não haja reação, permaneçam dilatadas ou tenham tamanhos diferentes, pode significar traumatismo craniano ou aumento da pressão intracraniana, por exemplo.

Como é feito o tratamento

A pupila dilatada normalmente não é grave, não necessitando de tratamento. Geralmente a pupila dilatada volta ao normal em pouco tempo, mas no caso da dilatação da pupila para realização de exames oftalmológicos pode demorar algumas horas.

No entanto, quando ocorre devido a problemas cardíacos ou cerebrais, por exemplo, cabe ao cardiologista ou neurologista identificar a causa e iniciar o tratamento.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar