Boca e língua dormente: 10 principais causas e o que fazer

Existem alguns fatores que podem causar formigamento e dormência na língua e na boca e que geralmente não são graves, sendo consequência de estresse, ansiedade ou enxaqueca, podendo ser solucionadas sem que seja necessário tratamento. No entanto, é importante ficar atento ao surgimento de outros sintomas associados a uma doença, como deficiência de vitaminas e minerais, alterações neurológicas, como o AVC, por exemplo.

Caso a dormência na língua e na boca aconteçam com frequência ou surjam repentinamente associada a outros sintomas, o ideal é que o clínico geral seja consultado para que seja realizada uma avaliação e identificada a possível causa, podendo então ser indicado o tratamento mais adequado, caso haja necessidade.

Boca e língua dormente: 10 principais causas e o que fazer

As principais causas de boca e língua dormentes são:

1. Alergia alimentar

Uma alergia alimentar pode causar uma sensação de formigamento, dormência e inchaço na boca, na língua e nos lábios, aftas e desconforto na garganta. Além disso, podem ainda ocorrer outros sintomas que se manifestam na pele, como coceira e vermelhidão ou desconforto gastrointestinal, como dor abdominal, excesso de gases, vômitos, diarreia ou prisão de ventre.

Em casos mais graves, a pessoa pode ter dificuldade para respirar, o que pode por em risco a sua vida. Saiba quais as causas e como identificar uma alergia alimentar.

O que fazer: O tratamento para alergia alimentar deve ser feita pelo médico o mais brevemente possível, e depende da gravidade dos sintomas. De forma geral, os casos agudos são tratados com remédios anti-histamínicos, como a ebastina, loratadina ou cetirizina, por exemplo, corticoides como a prednisolona ou deflazacorte, por exemplo, e broncodilatadores. Em casos severos, em que ocorra anafilaxia, deve ser administrada adrenalina subcutânea.

Além disso, é muito importante identificar quais os alimentos que provocam alergias alimentares, através da avaliação de sinais e sintomas que produzem certos alimentos e por meio de exames imunológicos, e retirá-los da alimentação e ter muito cuidado quando se fazem refeições fora de casa.

2. Hipocalcemia

A hipocalcemia é a diminuição dos níveis de cálcio no sangue que, na maioria das vezes, não provoca qualquer tipo de sintoma. No entanto, quando a quantidade de cálcio está muito baixa, podem surgir sintomas graves como espasmos musculares, confusão mental, convulsões e formigamento da boca e das mãos.

Esta deficiência em cálcio, pode ser causada por deficiência de vitamina D, hipoparatireoidismo, baixa ingestão ou má absorção de cálcio, doenças renais , alcoolismo e alguns medicamentos.

O que fazer: O tratamento da hipocalcemia depende da causa, da gravidade e dos sintomas. Quando há uma hipocalcemia grave e com sintomas, deve-se repor o cálcio, com gluconato de cálcio ou cloreto de cálcio, no hospital, até aliviar os sintomas. Caso seja mais leve, podem ser indicados alimentos e suplementos com cálcio.

Além disso, também se deve investigar a causa e solucioná-la, o que pode incluir a reposição de magnésio, vitamina D e tratamento de problemas renais ou das paratireoides.

3. Deficiência em vitamina B

Alguns dos sintomas mais frequentes da falta de vitaminas do complexo B são cansaço fácil, irritabilidade, inflamação e formigamento na boca e na língua e dor de cabeça, que pode ser causada pela insuficiente ingestão de alimentos com estas vitaminas ou do uso de algum medicamento que impeça a sua absorção. Veja outros sintomas de deficiência em vitaminas do complexo B.

O que fazer: O tratamento da deficiência em vitaminas do complexo B deve ser feito com o aumento da ingestão de alimentos que contenham estas vitaminas e suplementos alimentares. Caso se trate de uma deficiência severa de alguma destas vitaminas, existem também medicamentos que podem ser receitados pelo médico.

4. Medicamentos

Alguns medicamentos com anestésicos na sua composição, como elixires para bochechar, pastilhas para a garganta, sprays para dor de dente ou os remédios anestésicos usados pelo dentista, causam geralmente dormência e formigamento na boca e na língua.

Dependendo do tipo de medicamento, estes sintomas podem durar de minutos a horas, não devendo ser motivo de preocupação, devendo o médico que os prescreve alertar a pessoa acerca destes efeitos colaterais, antes da administração do remédio.

O que fazer: Caso o incômodo causado pelos produtos contendo anestésicos seja muito grande, pode-se evitar o seu uso e substituir por outros que não contenham anestésicos na composição. No entanto, geralmente a sensação de boca dormente causada por anestésicos não dura muito tempo.

5. Enxaqueca

Além da dor de cabeça forte causada pela enxaqueca, pode ainda ocorrer formigamento nos braços, lábios e língua, sensibilidade à luz, enjoo e vômitos. Estes sintomas podem ocorrer antes de surgir a dor de cabeça e manter-se durante toda a crise.

O que fazer: O tratamento da enxaqueca depende dos sintomas e deve ser indicado por um neurologista, que pode receitar alguns remédios como anti-inflamatórios, triptanos ou ergotamina, por exemplo. Veja com mais detalhes como é feito o tratamento para enxaqueca.

6. Ansiedade e estresse

Algumas pessoas que sofrem de estresse e ansiedade podem sentir um ligeiro formigamento na língua, que pode gerar mais ansiedade e pânico. Outros sintomas característicos são medo constante, dor de barriga, tontura, insônia, boca seca ou tensão muscular, por exemplo. Saiba reconhecer os sintomas de ansiedade e possíveis causas.

O que fazer: Pessoas que sofrem de estresse e ansiedade constante, devem consultar um médico ou um psicólogo, de forma a perceber qual o tratamento mais indicado, que pode ser feito com terapia, remédios naturais ou em casos mais severos, remédios ansiolíticos.

7. AVC

Em alguns casos, a língua pode ficar dormente ou com uma sensação de formigamento durante um acidente vascular cerebral (AVC). Neste caso, outros sintomas que podem ocorrer são dor de cabeça intensa, diminuição da força de um dos lados do corpo e dificuldade em levantar um dos braços e permanecer em pé, perda da sensibilidade, alterações na visão, rosto assimétrico, fala embolada, confusão mental, náuseas e vômitos, o que se deve a uma diminuição no suprimento de sangue ao cérebro, devido ao AVC.

O que fazer: Em caso de suspeita de estar ocorrendo um AVC deve-se ir ou chamar imediatamente a emergência médica. Veja como identificar e tratar o AVC.

8. Hipoglicemia

A hipoglicemia é a diminuição do açúcar no sangue, o que pode resultar em dormência da língua e da boca, tremores, fraqueza, visão turva e palidez.

O que fazer: Quando se tem uma crise de hipoglicemia, é indicado consumir cerca de 15g de carboidratos na forma líquida, preferencialmente, como uma colher com mel, por exemplo, e posteriormente medir a glicose 15 minutos após a ingestão da porção de carboidrato. Caso seja verificado que o nível de glicose é inferior a 70 mg/dL, é recomendado ir ao posto médico mais próximo.

9. Queimadura

A sensação de dormência na língua e na boca pode ser sentida depois do consumo de um alimento ou bebida muito quente, como uma sopa ou café, por exemplo, provocando lesão nesse órgão e causando sintomas como a perda de sensibilidade, vermelhidão, dor e ardor que podem durar algumas horas ou dias dependendo da gravidade da queimadura.

O que fazer: Uma forma de aliviar os sintomas relacionados com a queimadura é comer algo frio, como sorvete, por exemplo, para refrescar a região afetada. Comer umas pastilha para tosse ou mascar um chiclete de menta também pode ajudar a aliviar o ardor e a sensação de queimação e dormência na língua. Caso a queimadura tenha sido grave ou seja verificada a presença de sangue, é recomendado consultar o médico para que seja feita uma avaliação clínica e iniciado o tratamento adequado.

10. Paralisia facial

A paralisia facial ou paralisia de Bell acontece quando um nervo facial inflama e a pessoa perde o controle dos músculos de um lado do rosto, produzindo sintomas como boca torta, dificuldade para fazer expressão faciais e ligeira dormência no lado afetado, assim como a língua.

O que fazer: Para melhorar a paralisia e promover o movimento dos músculos do rosto, é recomendada a realização de exercícios, como encher balão de ar, abrir a boca o máximo que conseguir ou fazer caretas, por exemplo. Pode ser também necessário o uso de medicamentos prescritos pelo médico e, em casos graves, a realização de cirurgia. Entenda melhor como é feito o tratamento para a paralisia de Bell.

Esta informação foi útil?
Mais sobre este assunto: