Pólipo endometrial: o que é, sintomas, causas e tratamento

outubro 2022

O pólipo endometrial é um tumor benigno na parede do útero, que pode causar sintomas como sangramento vaginal, dor no abdome e, em alguns casos, dificuldade para engravidar.

Embora o pólipo endometrial nem sempre seja considerado um problema grave, existe um risco de evoluir para um pólipo maligno. Esse risco é maior em mulheres mais velhas, especialmente após a menopausa ou quando existem doenças,como diabetes e obesidade, por exemplo.

Em caso de suspeita de pólipo endometrial é importante consultar um ginecologista ou um clínico geral para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento, que pode envolver uma cirurgia para retirar o pólipo.

Principais sintomas

Os principais sintomas de pólipo endometrial são:

  • Sangramento vaginal excessivo, prolongado ou fora do período menstrual;
  • Dor abdominal;
  • Dificuldade para engravidar.

No entanto, os pólipos endometriais podem causar poucos ou nenhum sintoma, em alguns casos sendo muitas vezes descobertos em exames de rotina como o ultrassom da pelve. 

Além disso, a gravidade dos sintomas não necessariamente está relacionada ao tamanho, localização ou número de pólipos na parede do útero.

Pólipo endometrial é grave?

O pólipo endometrial normalmente não é grave, sendo considerado uma alteração benigna que pode diminuir de tamanho com o tempo sem necessidade de tratamento específico. No entanto, existe um risco pequeno do pólipo evoluir para um maligno e, por esse motivo, geralmente é recomendado fazer uma biópsia. 

O risco de pólipos malignos é maior quando os pólipos provocam sintomas, em mulheres acima de 60 anos de idade ou na menopausa, em caso de doenças, como diabetes ou obesidade, e uso de tamoxifeno.

Sintomas do pólipo endometrial maligno

Os sintomas de pólipo endometrial maligno não costumam ser diferentes daqueles causados pelos pólipos benignos. Por isso, quando um pólipo é identificado, é importante a sua avaliação através da biópsia. 

Possíveis causas

O pólipo endometrial não tem uma causa específica, mas parece acontecer devido a alterações hormonais ou genéticas, que levam à multiplicação anormal de células do endométrio, que é a parte mais superficial da parede do útero.

Além disso, o pólipo endometrial é mais comum em mulheres mais velhas e em caso de doenças, como síndrome dos ovários policísticos ou insuficiência hepática, uso de alguns medicamentos, como contraceptivos hormonais ou tamoxifeno, e terapia de reposição hormonal.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do pólipo endometrial é feito pelo ginecologista ou clínico geral levando em consideração os sintomas apresentados e alterações identificadas em exames, como ultrassom transvaginal e histeroscopia. Veja como é feita a histeroscopia e quando é indicada.

Além disso, após a identificação do pólipo, o médico também pode indicar uma biópsia para identificar se o pólipo é maligno ou benigno. A biópsia pode ser realizada durante o exame de histeroscopia, que é utilizado para confirmar o diagnóstico. Entenda melhor como a biópsia é feita.

Como é feito o tratamento

O tratamento do pólipo endometrial normalmente inclui a retirada do pólipo por meio de cirurgia. 

No entanto, em mulheres sem sintomas e com pólipos menores que 1 cm, a chance do pólipo diminuir sem necessidade de tratamento específico é maior. Nestes casos, pode ser indicado apenas o acompanhamento regular com o médico. 

A utilização de um DIU com levonorgestrel pode ser indicada após a retirada dos pólipos endometriais para diminuir o risco de o pólipo voltar. Confira o que é um DIU com levonorgestrel e como funciona.

Cirurgia para retirada do pólipo endometrial

A polipectomia, que é a cirurgia para retirada do pólipo, pode ser feita por histeroscopia e é útil para aliviar os sintomas, como dor e sangramento. Após a cirurgia, o risco de o pólipo voltar a surgir é baixo. 

Embora seja mais raro, a histerectomia, que é a retirada completa do útero, também pode ser indicada. Entenda quando a histerectomia é indicada e como é feita.

Pólipo endometrial prejudica a gravidez?

O pólipo endometrial pode causar dificuldade para engravidar em algumas mulheres e a sua retirada pode aumentar a chance de engravidar em alguns casos. 

Além disso, em caso de gravidez, o risco de aborto geralmente é maior em caso de pólipo endometrial e não necessariamente está relacionado ao seu tamanho ou quantidade. Conheça outras causas de aborto e o que fazer.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Jonathan Panoeiro - Neuropediatra, em outubro de 2022.

Bibliografia

  • NIJKANG, Njume P. et al. Endometrial polyps: Pathogenesis, sequelae and treatment. SAGE Open Med. Vol.7. 2019
  • STATPEARLS. Spontaneous Abortion. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK560521/>. Acesso em 20 out 2022
Mostrar bibliografia completa
  • MUNRO, Malcom G. Uterine polyps, adenomyosis, leiomyomas, and endometrial receptivity. Fertil Steril. Vol.111, n.4. 629-640, 2019
  • STATPEARLS. Endometrial Polyp. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK557824/>. Acesso em 20 out 2022
  • VITALE, Salvatore G. et al. Endometrial polyps. An evidence-based diagnosis and management guide. Eur J Obstet Gynecol Reprod Biol. Vol.260. 70-77, 2021
  • RAZ, Nili et al. Endometrial polyps: diagnosis and treatment options - a review of literature. Minim Invasive Ther Allied Technol. Vol.30, n.5. 278-287, 2021
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.