Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é e Como Tratar a Candidíase vaginal

A candidíase vaginal é uma infecção muito comum na mulher devido ao aumento da população do fungo Candida albicans, que está normalmente presente na flora da região íntima da mulher mas que se desenvolve muito em algumas situações.

A candidíase vaginal é mais frequente em grávidas e mulheres com o sistema imune enfraquecido e, algumas das principais causas incluem o uso excessivo de antibióticos ou corticoides, a diabetes ou os maus hábitos de higiene, porque facilitam o crescimento de fungos.

Porém, a candidíase vaginal tem cura e o seu tratamento deve ser feito com o uso de comprimidos que se podem tomar ou colocar na vagina ou mesmo com pomadas antifúngicas receitadas pelo ginecologista.

Além disso, a candidíase vaginal não é uma doença sexualmente transmissível, mas durante o tratamento o casal deve utilizar preservativo para evitar transmitir fungos de uma pessoa para a outra e, em muitos casos, o tratamento deve ser feito também pelo homem, mesmo que não tenha sintomas, para evitar a recorrência da infecção.

Vagina normal
Vagina normal
Candidíase vaginal
Candidíase vaginal

Como tratar a candidíase vaginal

O tratamento da candidíase vaginal pode durar até 15 dias e é um tratamento que não dói, sendo na maioria dos casos, feito com a aplicação de pomadas antifúngicas aplicadas diretamente na vagina, como nistatina, gino-canesten, miconazol, itraconazol, terconazol​cicloexilmetilamina ou cetoconazol, por exemplo durante pelo menos uma semana.

Estas pomadas devem ser aplicadas até 2 vezes por dia ou de acordo com as indicações do ginecologista e, é mais confortável fazer a sua aplicação antes de deitar, não devendo existir contato íntimo durante o tratamento, principalmente sem preservativo.

Em alguns casos, também pode ser utilizada um comprimido antifúngico, como Fluconazol, em dose única oral ou 3 doses, durante 3 dias separados de 72 horas. Além disso, especialmente em situações de candidíase vaginal recorrente é necessário manter a toma do comprimido 1 vez por semana durante pelo menos 6 meses. Tanto os comprimidos por via oral como os pomadas são eficazes, no entanto, os sintomas diminuem mais rapidamente quando o tratamento é feito diretamente na vagina, com pomada, comprimido ou óvulos. 

Alimentação para curar mais rápido

Uma ótima estratégia para curar a candidíase é tomar água com limão, sem adoçar, durante o dia, mas além disso colocar iogurte natural dentro da vagina é uma outra ótima estratégia natural, que tem ótimos resultados. Veja mais dicas de estratégias naturais e de como a alimentação pode ajudar a curar a candidíase mais rápido neste vídeo da nutricionista Tatiana Zanin:

Tratamento caseiro para candidíase vaginal

Um ótimo tratamento caseiro para candidíase vaginal é lavar a região íntima com água e vinagre, na proporção de 4 colheres de vinagre para meio litro de água. Veja também um ótimo remédio natural em: Lactobacilos para infecção vaginal.

Além disso, é também importante adotar alguns cuidados para evitar a recorrência da candidíase vaginal, como:

  • Lavar e secar bem a região íntima antes de dormir;
  • Utilizar roupa pouco apertada e de algodão;
  • Dar preferência para a ingestão de probióticos e lactobacillus, como iogurte;
  • Dormir sem calcinha;
  • Fazer a higiene íntima com gel vaginal com ph entre 3,8 e 4,5, evitando todos os produtos e sabonetes com químicos.

Também é importante evitar alimentos ricos em carboidratos, gordura e açúcar, pois são a principal fonte de alimento do fungo causador da candidíase vaginal.

Sintomas da candidíase vaginal

Os sintomas da candidíase vaginal, geralmente, aparecem quando a imunidade do organismo está diminuída e incluem:

  • Corrimento de cor branca, tipo leite coalhado;
  • Coceira intensa e sensação de ardência na região íntima;
  • Dor e ardência durante o contato íntimo;
  • Inchaço e vermelhidão da região íntima.

A mulher com estes sintomas deve consultar o ginecologista para fazer o diagnóstico da infecção através de um exame à vagina, como o papanicolau e, caso necessário iniciar o tratamento adequado.

Quando a mulher tem candidíase, pode transmitir ao homem durante as relações, mas geralmente, os homens não desenvolvem sintomas, podendo voltar a infectar a mulher depois do tratamento e, por isso, quando a mulher tem candidíase o homem também deve fazer o tratamento mesmo sem sintomas.

Outras causas de coceira na vagina 

Um dos sintomas mais comuns de candidíase vaginal é a coceira na vagina, mas este sintoma também pode indicar outros problemas de saúde. Assinale a seguir os sintomas que apresenta e fique sabendo o que pode ser:

  1. 1. Vermelhidão e inchaço em toda a região íntima
    Sim
    Não
  2. 2. Placas esbranquiçadas na vagina
    Sim
    Não
  3. 3. Corrimento esbranquiçado com grumos, semelhante a leite talhado
    Sim
    Não
  4. 4. Dor ou sensação de queimação ao urinar
    Sim
    Não
  5. 5. Corrimento amarelado ou esverdeado
    Sim
    Não
  6. 6. Presença de pequenas bolinhas na vagina ou pele áspera
    Sim
    Não
  7. 7. Coceira que surge ou piora após usar algum tipo de calcinha, sabonete, creme, cera ou lubrificante na região íntima
    Sim
    Não
  8. 8. Presença de pequeno inchaço localizado na lateral da vagina
    Sim
    Não
Imagem que indica que o site está carregando

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Carregando
...