Pé chato: causas, tratamento e exercícios

Revisão clínica: Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
maio 2022
  1. Sintomas
  2. Causas
  3. Diagnóstico
  4. Tratamento
  5. Quando ir ao médico
  6. Complicações

O pé chato é quando existe diminuição ou falta de altura no arco plantar interno, que faz com que o pé fique completamente plano e encostado ao chão. Esta alteração do pé é muito comum na infância, mas pode persistir na idade adulta.

Na maioria dos casos, o pé chato não costuma causar dor, por isso pode passar despercebido por muitos anos. No entanto, também existem casos em que o pé plano causa dor, principalmente durante o exercício.

Geralmente não é necessário tratamento para o pé chato na infância, pois com o crescimento é comum que o arco plantar acabe se formando. Porém, nos casos em que há dor ou pé chato rígido, o podólogo ou ortopedista podem recomendar algum tratamento específico, que pode ser feito com sapato ortopédico, fisioterapia e/ou cirurgia.

Principais sintomas

Na maioria dos casos, o pé chato não causa sintomas, no entanto, algumas pessoas podem ter um certo desconforto, sendo que a dor é o principal sintoma, o que ocorre frequentemente em crianças, sendo uma indicação para consultar o médico e receber uma avaliação clínica. Em adultos, os sintomas que podem ser observados são pé arqueado, além da dor.

Por isso, é recomendado consultar o ortopedista ou o podólogo no caso de surgir dor na sola do pé, pois pode indicar problemas no desenvolvimento do pé, lesões, fraturas ou até deformidades que necessitam de tratamento cirúrgico.

Possíveis causas

O pé chato é uma condição normal que ocorre desde o nascimento, sendo que o arco plantar normalmente se desenvolve na infância. No entanto, o desenvolvimento do arco pode não ocorrer em algumas crianças, sem que isso cause sintomas, por isso passa despercebido ao longo da vida.

Algumas causas do pé chato são:

  • Alongamento natural excessivo dos ligamentos que fazem parte da estrutura do arco plantar no pé;
  • Problema congênito;
  • Sobrepeso;
  • Trauma ou lesão no pé;
  • Doenças ósseas, como artrite;
  • Diabetes, devido a danos nos nervos que afetam os ossos e articulações das extremidades inferiores.

A idade também pode ser uma causa do pé chato, pois com o envelhecimento pode ocorrer um enfraquecimento do tendão que sustenta essa estrutura, produzindo pés chatos e levando ao surgimento dos sintomas. Além disso, os pés chatos podem ser rígidos, o que pode causar dor, necessitando de atendimento médico para aliviar esse sintoma.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do pé chato pode ser feito por podólogo, clínico geral, ortopedista ou fisioterapeuta, por meio de avaliação dos sintomas e exame clínico da estrutura do pé, observando-se a perda ou falta de desenvolvimento do arco plantar, o que pode ser notado em um ou ambos os pés.

Em alguns casos, quando os pés chatos são acompanhados de alterações em outros locais, como joelhos, quadris ou costas, por exemplo, ou existem dúvidas sobre a origem da dor, o médico pode solicitar exames de imagem como um raio X, tomografia ou ultrassom, para avaliar com mais precisão as articulações e ossos nessas áreas.

A identificação do pé chato ou falta de desenvolvimento do arco plantar pode ser observada pelos pais ou cuidadores da criança, que podem consultar ao médico para confirmar o diagnóstico e orientar o tratamento adequado.

Como é feito o tratamento

O pé chato causado pelo alongamento natural excessivo dos ligamentos nessa área não necessita de nenhum tipo de tratamento, pois geralmente é corrigido com o crescimento na adolescência. No entanto, se a criança ou adulto apresentar dor, o médico pode recomendar:

1. Uso de sapato ortopédico e/ou palmilhas

No caso da criança com pé chato e dor na planta do pé, o ortopedista pediátrico ou podólogo pode indicar o uso de um sapato ortopédico e/ou palmilhas, pois ajudam a formar o arco do pé e permitem maior sustentação ao caminhar.

É importante que os pais ou responsáveis ​​estejam atentos ao desenvolvimento do pé da criança, pois devido ao crescimento, a criança precisará trocar de calçados e palmilhas com frequência, sendo recomendado o contato com o podólogo ou ortopedista. Saiba como escolher o tamanho certo de sapato para crianças de acordo com a idade

2. Sessões de fisioterapia

As sessões de fisioterapia podem ser realizadas 1 ou 2 vezes por semana, com exercícios e manipulações no pé da criança. É importante que a criança ou adulto com dor façam a fisioterapia para tentar aliviar a dor, além de receber orientação e apoio do podólogo e do fisioterapeuta sobre os tipos de exercícios que podem ser feitos em casa.

4. Exercícios físicos específicos

Algumas exercícios físicos podem ser indicados para ajudar na formação do arco do pé, como:

  • Andar na pontas dos pés e só sobre os calcanhares;
  • Apoiar o peso do corpo em apenas 1 pé e fazer um agachamento nessa posição;
  • Segurar uma bolinha de gude com os dedos dos pés e colocar numa bacia;
  • Subir escadas na ponta dos pés;
  • Deitar de barriga para cima e manter a sola dos dois pés juntas.

É importante que os exercícios para pés chatos sejam indicados pelo podólogo ou ortopedista e orientados pelo fisioterapeuta, pois assim se obtém um grande benefício, de forma individualizada, o que pode ajudar a reduzir os sintomas e melhorar essa alteração.

5. Cirurgia

O podólogo ou ortopedista pode indicar a cirurgia para correção de pés chatos quando outros tratamentos não foram eficazes e a criança ou adulto continua com pés chatos e sintomas dolorosos.

Quando ir ao médico

É recomendado consultar o médico no caso da criança ou do adulto apresentar dor no pé, para que sejam identificadas alterações na caminhada, como desvio dos joelhos ao andar ou postura anormal, para que o médico avalie o pé e indique o tratamento adequado em caso de pé chato rígido.

No entanto, como esta é uma situação normal e se não houver sintomas, recomenda-se acompanhar o desenvolvimento do pé até a adolescência, quando ocorre normalmente o arco do pé.

Em adultos, quando os pés chatos causam outros problemas, como dores na coluna, calcanhar ou problemas na articulação do joelho, é necessário consultar um ortopedista para diagnosticar a causa e indicar o tratamento mais adequado.

Possíveis complicações

O arco do pé serve para ajudar a amortecer a pressão que o corpo exerce sobre os pés ao andar, correr e saltar e, por isso, quando a pessoa não tem o arco do pé bem formado e apresenta o pé chato, podem surgir complicações, como fascite plantar, que é uma inflamação na sola do pé que causa dor intensa, esporão, que é a formação de um calo ósseo nessa mesma área do pé, além de dor e desconforto nos tornozelos, joelhos e quadris, por exemplo.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em maio de 2022. Revisão clínica por Marcelle Pinheiro - Fisioterapeuta, em maio de 2022.

Bibliografia

  • VICENTE, Evelin et al. Pé plano na infância: limites temporais entre o fisiológico e as disfunções locais e ascendentes. Revista de Pediatria SOPERJ. Vol.16, n.3. 15-20, 2016
  • CARVALHO FILHO, Guaracy et al. Pé Plano: Tratamento pela ratamento pela Técnica de Koutsogiannis modificada. ACTA ORTOP BRAS. Vol.11, n.4. 195-205, 2003
Mostrar bibliografia completa
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE ORTOPEDIA PEDIÁTRICA. Pé Chato Quando os pais devem se preocupar. 2016. Disponível em: <https://www.sbop.org.br/noticia/969/orientacao>. Acesso em 10 dez 2019
  • REVISTA PORTUGUESA DE CLÍNICA GERAL. Deformidades do Pé – conceitos básicos e orientações para Médico de Família. 2009. Disponível em: <http://repositorio.chlc.min-saude.pt/bitstream/10400.17/463/1/Rev%20Port%20Clin%20Geral_2009_25.pdf>. Acesso em 10 dez 2019
Revisão clínica:
Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
Formada em Fisioterapia pela UNESA em 2006 com registro profissional no CREFITO- 2 nº. 170751 - F e especialista em dermatofuncional.