Dor nos dedos do pé: 12 principais causas e o que fazer

novembro 2022

A dor nos pés pode ser facilmente provocada pelo uso de sapatos inadequados, calos, unha encravada ou joanete, porém pode ser também sinal de doenças ou deformidades que atingem as articulações e os ossos, como artrite, gota ou neuroma de Morton, por exemplo, que devem ser avaliados pelo médico para verificar a necessidade de tratamento específico.

Normalmente, a dor nos pés pode ser aliviada com repouso, um escalda pés ou uma massagem local com creme hidratante.

No entanto, quando a dor nos dedos do pé demora mais de 5 dias para aliviar é recomendado consultar um ortopedista ou um fisioterapeuta para identificar identificar o que está causando este sintoma e recomendar o tratamento, que pode incluir medicamentos, infiltrações de corticoides e sessões de fisioterapia, por exemplo.

Principais causas

As principais causas de dor nos dedos do pé são:

1. Sapato apertado

O uso de calçado inapropriado é a causa mais comum de dor nos dedos e outros locais do pé, pois sapatos muito apertados, com bico fino ou que sejam muito rígidos podem provocar deformidades do pés e, até, inflamação das articulações, quando utilizados por muito tempo.

É importante ter atenção às crianças, já que seus pés estão em constante crescimento, sendo importante mudar o tamanho do sapato assim que a criança relatar dor nos pés. Veja como escolher o sapato da criança.

O que fazer: deve-se utilizar sapatos confortáveis e que não apertem muito os pés. Além disso é recomendado que o sapato tenha um pequeno salto com cerca de 2 a 3 cm para permitir um bom apoio do pé.

2. Torção ou fratura

A torção ou fratura do dedo é também uma das principais causas de dor nos dedos do pé, podendo ser acompanhada por vermelhidão do local, inchaço e dificuldade para realizar movimentos.

O que fazer: é importante que o ortopedista seja consultado para que seja feita uma avaliação do pé e seja verificado se é uma torção ou fratura do dedo. Em alguns casos, pode ser necessário o uso de botas ortopédicas e a realização de sessões de fisioterapia pra melhorar a mobilidade dos dedos dos pés. Nos casos mais graves pode ser necessária a realização de cirurgia.

O médico pode também indicar o uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios indicados pelo médico para controlar a dor e a inflamação.

3. Joanete

O joanete causa dor especialmente na lateral do pé, mas em alguns casos, também pode causar dor nos dedinhos do pé. Nesse caso é fácil observar que os ossos dos pés não estão devidamente alinhados, o que causa inflamação e dor.

O que fazer: colocar uma compressa fria no local da dor ajuda no alívio deste sintoma, mas é preciso fazer exercícios para corrigir os pés. Confira alguns exercícios para tratar o joanete.

4. Calos

As calosidades, também conhecidas como calos, são provocadas pelo acúmulo de células mortas na camada mais superficial da pele que acontece devido à pressão constante sobre os pés, especialmente na lateral do dedão.

O que fazer: pode-se utilizar uma palmilha ortopédica para proteger a calosidade durante o dia e evitar o surgimento de dor ao caminhar, por exemplo. No entanto, é recomendado também remover o calo com o uso de pomadas ou da pedra pomes após o banho.

5. Unha encravada

A unha encravada é muito comum nos casos em que as unhas não são cortadas de forma correta, permitindo que se encravem na pele. Neste caso, as unhas encravadas causam o surgimento de feridas e inchaço.

O que fazer: deve-se ir ao posto de saúde ou a um podólogo para desencravar a unha, no entanto, em casa, pode-se colocar o pé dentro de uma bacia com água morna por 20 minutos para aliviar a dor. Conheça outros cuidados para a unha encravada.

6. Artrose ou artrite

Os problemas de reumatismo, como artrose ou artrite, podem surgir nas articulações dos dedos do pé, especialmente em atletas ou idosos, provocando dor ao caminhar e inchaço na região da articulação.

O que fazer: deve-se consultar um ortopedista para iniciar o tratamento adequado do problema com o uso de remédios anti-inflamatórios, como Ibuprofeno ou Diclofenaco. Além disso, em casa pode-se fazer um escalda pés no final do dia para aliviar a dor.

7. Dedos em garra ou martelo

Os dedos em garra ou em martelo são duas deformidades do pé que causam o alinhamento errado dos dedos, aumentando a pressão sobre esses locais durante o dia e causando dor.

O que fazer: deve-se consultar um ortopedista para fazer o reposicionamento correto do dedo com o uso de talas ortopédico. Além disso, utilizar palmilhas ortopédicas também pode ajudar a aliviar a pressão sobre os dedos e reduzir a dor.

8. Neuroma de Morton

O neuroma de Morton é uma pequena massa que surge no nervo digital plantar que se encontra entre o 3º 3 4º dedo do pé, causando dor entre esses 2 dedos e sensação de formigamento no peito do pé.

O que fazer: deve-se utilizar calçado confortável com palmilha ortopédica para aliviar a pressão sobre o local, assim como tomar os remédio anti-inflamatórios receitados pelo ortopedista. Nos casos mais graves, pode ser necessário fazer cirurgia. Veja como é feita a cirurgia para o neuroma de Morton.

9. Gota

A gota, também chamada de artrite gotosa, é uma doença inflamatória causada pelo excesso de ácido úrico no sangue, o que causa dor nas articulações, principalmente nos dedos dos pé. Além da dor, é comum que exista dor ao caminhar ou ao tentar movimentar o dedo, inchaço e enrijecimento da articulação.

O que fazer: o tratamento da gota deve ser orientado por um reumatologista, que pode indicar o uso de medicamentos para diminuir os níveis de ácido úrico nas articulações, como Colchicina, Alopurinol ou Probenecida, que ajudam a aliviar a dor nos dedos dos pés e a evitar novas crises.

10. Paroníquia

A paroníquia é uma infecção que atinge a pele ao redor da unha, podendo atingir tanto as mãos quanto os pés, e normalmente é consequência de uma lesão, como pode acontecer durante a pedicure, por exemplo. Essa ferida pode causar enrijecimento, inchaço e dor nos dedos, além de surgimento de pus por baixo ou ao redor da unha afetada.

O que fazer: o tratamento da paroníquia deve ser realizado de acordo com a orientação do dermatologista, que pode indicar o uso de antibióticos, corticoides ou antifúngicos, dependendo das características e da causa da inflamação dos dedos do pé.

11. Fenômeno de Raynaud

A doença ou fenômeno de Raynaud é caracterizada por uma alteração na circulação sanguínea das mãos e dos pés, podendo afetar também os dedos, nariz e lóbulos das orelhas. Essa alteração tem sido associada à exposição ao frio com mudanças emocionais repentinas ou mudanças de estados emocionais, causando sintomas como sensação de formigamento, inchaço e dor nos dedos das mãos e dos pés.

O que fazer: o tratamento da doença de Raynaud deve ser orientado pelo reumatologista, que pode indicar o uso de alguns medicamentos, como Nifedipina, Diltiazem, Prazosina ou Nitroglicerina em pomada, por exemplo. No entanto, também é indicado que a região afetada seja aquecida para que a circulação seja ativada e restabelecida.

12. Perniose

A perniose é uma situação que acontece devido à exposição prolongada ao frio, o que faz com que exista um estreitamento dos vasos sanguíneos das extremidades, incluindo dos pés, resultando na diminuição da oxigenação dessa região e causando sintomas como bolhas, úlceras e dor nos dedos dos pés.

O que fazer: é recomendado evitar o frio e manter a pele seca e aquecida. Além disso, no caso de lesões, pode ser indicado o uso de solução antisséptica para evitar complicações.

Caso a lesão não melhore, é indicado que o clínico geral ou dermatologista seja consultado para que seja iniciado o tratamento com medicamentos mais específicos com o objetivo de promover o alívio da dor e facilitar a cicatrização.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em novembro de 2022. Revisão clínica por Marcelle Pinheiro - Fisioterapeuta, em novembro de 2022.

Bibliografia

  • THE ROYAL MELBOURNE HOSPITAL. Toe fracture. 2022. Acesso em 01 nov 2022
  • JUÁREZ, Maria Victoria et al. Perniosis y su abordaje desde el punto de vista preventivo en Atención Primaria. Med fam Andal. Vol.18. 2.ed; 212-214, 2017
Mostrar bibliografia completa
  • TOBÓN, María Ximena et al. Eritema pernio: una enfermedad misteriosa. CES MEDICINA. Vol.27. 1.ed; 113-126, 2013
  • REYES, Armando. Calzado en la edad pediátrica. Acta Pediátrica de México . 39. 2; 202-207, 2018
  • INSTITUTO DE BIOMECÁNICA DE VALENCIA. GUÍA PARA EL ASESORAMIENTO EN LA SELECCIÓN DEL CALZADO INFANTIL. Disponível em: <https://www.ibv.org/wp-content/uploads/2020/01/Guia_calzado_INFANTIL.pdf>. Acesso em 03 nov 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE REUMATOLOGIA. Gota. Disponível em: <https://www.reumatologia.org.br/doencas-reumaticas/gota/>. Acesso em 14 out 2021
  • MACIEL, Thainá Cristina A.; STROPARO, Elenice. Fenômeno de Raynaud: Causas, Sintomas, Diagnóstico e Tratamento - Revisão. Revista Eletrônica Biociências, Biotecnologia e Saúde. 15 ed; 2016
  • AZEVEDO, Valderilio F. et al. Revisão crítica do tratamento medicamentoso da gota no Brasil. Revista Brasileira de Reumatologia. Vol 57. 4 ed; 346-355, 2017
Revisão clínica:
Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
Formada em Fisioterapia pela UNESA em 2006 com registro profissional no CREFITO- 2 nº. 170751 - F e especialista em dermatofuncional.

Tuasaude no Youtube

  • EXERCÍCIOS PARA JOANETE (e COMO NUNCA TER!)

    06:45 | 625430 visualizações