Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
Fechar Coronavírus: Informações sobre COVID-19 Ler mais
O que você precisa saber?

O que pode ser dor no pé da barriga e o que fazer

Podem ser várias as causas da dor no pé da barriga, estando normalmente relacionada com os órgãos presentes nessa região, como o útero, a bexiga ou o intestino, por exemplo. Além disso, também é possível que a dor comece num outro local e fique irradiando para o pé da barriga.

Assim, e uma vez que existem várias causas para este tipo de dor, é muito importante consultar um clínico geral fazer o diagnóstico correto e orientar o melhor especialista para cada caso.

O que pode ser dor no pé da barriga e o que fazer

Algumas das causas mais comuns para este tipo de dor incluem:

1. Alterações no trânsito intestinal 

Alterações no trânsito intestinal como diarreia, prisão de ventre ou gases, podem provocar dor abdominal, podendo surgir por diversos fatores como intolerâncias alimentares à lactose ou ao glúten, por exemplo, gastroenterites ou viroses, ou após a ingestão aumentada de alguns alimentos que produzem gases, como leite, couve-flor e queijo, por exemplo. Veja como identificar os sintomas de gases.

O que fazer: Para tratar a diarreia mais rápido deve-se evitar alimentos gordurosos, ovos e leite, deve-se tomar chá preto ou de camomila ou optar por um probiótico, como o Floratil ou Repoflor, por exemplo.

Já para tratar a prisão de ventre e os gases é recomendado fazer uma alimentação rica em fibras, beber muita água, evitar alimentos ricos em carboidratos como arroz, batata e pão branco, ou fazer uma massagem abdominal abaixo do umbigo, no sentido da direita para a esquerda. O chá de funcho pode também ser uma opção natural para acabar rápido com os gases. 

Confira no vídeo a seguir algumas dicas para eliminar os gases:

2. Má digestão

A má digestão também pode provocar dor e inchaço no fundo da barriga, assim como outros sintomas como azia, enjoos, vômitos, diarreia ou prisão de ventre.

O que fazer: O tratamento da má digestão pode ser feito optando por alimentos de fácil digestão e que não irritem o estômago, como gelatina, sucos de frutas, pão e biscoitos sem recheio, devendo-se evitar o consumo de líquidos durante a digestão.

Além disso, fazer alterações nos hábitos de comer também podem ajudar bastante a digestão. Alguns hábitos importantes são: comer mais devagar, mastigar bem os alimentos antes de engolir e evitar falar enquanto se mastiga.

Também se pode optar pelo uso de remédios obtidos na farmácia, como Gaviscon ou leite de magnésia, ou pelo uso de remédios caseiros como chá de boldo ou chá de erva-doce, por exemplo. Veja mais formas de tratar a má digestão.

3. Infecção urinária

A infecção urinária é normalmente causada por bactérias do intestino que chegam ao sistema urinário, sendo por isso mais frequente nas mulheres, devido à proximidade do ânus com a uretra. Os sintomas variam com a pessoa, mas normalmente surge dor ao urinar, e caso a infecção atinja a bexiga, pode-se sentir mau cheiro, presença de sangue na urina e uma dor abdominal ou sensação de peso no fundo da bexiga.

O que fazer: Os remédios mais usados para o tratamento da infecção urinária são os antibióticos, como Ciprofloxacino e Cefalexina, e os analgésicos, como o Pyridium ou o Uristat, por exemplo. Esses medicamentos devem ser sempre aconselhados pelo médico. Veja mais sobre como tratar a infecção urinária.

4. Pedra no rim

A pedra nos rins, quando não é eliminada na urina, pode ficar presa nos canais por onde passa a urina, gerando dor muito intensa e por vezes, sangue na urina. Esta dor intensa normalmente é sentida no fundo das costas, mas pode atingir também o fundo da barriga, virilha ou testículos.

O que fazer: O tratamento consiste na administração de um analgésico, como Paracetamol ou Tramadol, assim como um medicamento antiespasmódico para relaxar as vias urinárias e facilitar as vias urinárias, reduzindo a dor. Além disso, beber muita água e reduzir o teor de sal na alimentação também são pequenas dicas que podem ajudar.

Em casos menos graves, pode-se também optar por um tratamento natural, usando um chá de quebra-pedra, devido à sua ação diurética e facilitadora da eliminação das pedras. Saiba como preparar esse chá.

5. Cólicas menstruais

Também conhecidas por dismenorreia, as cólicas menstruais podem provocar dor intensa no fundo da barriga e das costas, desconforto e mal-estar na mulher, e caso sejam muito intensas, deve-se consultar um ginecologista, de forma a identificar se existe alguma disfunção dos órgãos reprodutivos.

O que fazer: Existem várias formas de atenuar as cólicas menstruais, como o uso de anticoncepcional para regular o ciclo menstrual, e anti-inflamatórios ou analgésicos, como Paracetamol ou Ibuprofeno, para alívio da dor.

Além disso, pode-se também recorrer a outras técnicas como fazer exercícios que ajudem a reduzir as cólicas, deitando-se de barriga para cima e levando os joelhos ao peito, segurando as pernas com as mãos, aplicando compressas de água morna no abdômen, ou mesmo praticando exercício físico. Saiba mais dicas para reduzir as cólicas menstruais.

O que pode ser dor no pé da barriga e o que fazer

6. Endometriose

A endometriose é uma doença que se caracteriza pelo crescimento de tecido endometrial fora do útero, provocando cólicas abdominais intensas durante a menstruação, podendo ir aumentando ao longo do tempo. Porém, a doença só é descoberta mais tarde, principalmente quando a mulher não consegue engravidar.

O que fazer: As mulheres que desejam ter filhos podem tratar a endometriose através do uso de anticoncepcionais orais, medicamentos hormonais como o Zoladex, por exemplo, através da colocação de um dispositivo intra-uterino ou fazendo uma cirurgia em que se removem os focos da endometriose. Em casos de mulheres que não desejem ter filhos, pode fazer-se uma cirurgia em que se faz uma remoção do tecido endometrial e dos órgãos envolvidos. Veja quais as opções de tratamento para endometriose.

7. Cistos no ovário

O cisto no ovário consiste numa bolsa de líquido que se forma dentro ou em torno do ovário podendo ou não comprometer a gravidez. O cisto no ovário pode provocar sintomas quando tem grande volume, como exemplo, dor na região pélvica e durante as relações sexuais, atraso na menstruação, sangramento, enjoos e vômitos e cansaço excessivo. Veja como identificar o cisto no ovário.

O que fazer: O tratamento pode variar consoante o tipo de cisto que a mulher possui, podendo ser resolvido apenas com a mudança de anticoncepcional, ou em casos mais graves, recorrer a cirurgia.

O que pode ser dor no pé da barriga e o que fazer

8. Gravidez

Um dos primeiros sintomas da gravidez são as cólicas e inchaço abdominal, devido a um aumento do fluxo sanguíneo na região pélvica e devido às alterações pélvicas que estão acontecendo. Além disso, por volta das 7 semanas de gestação, a parte de baixo do umbigo começa a ficar dura.

O que fazer: Quando surgir dor de barriga provocada pela gravidez, é recomendado ingerir líquidos, alimentos de fácil digestão, comer pequenas quantidades e evitar ingerir alimentos ricos em fibras como cereais, frutas com casca ou leguminosas, por exemplo. Porém, se a dor for muito intensa deve-se ir ao médico. Veja mais alimentos para ajudar a tratar a dor de barriga na gravidez.

9. Gravidez ectópica

Embora a dor no pé da barriga seja comum na gravidez, caso se torne muito intensa, poderá ser causada por gravidez ectópica, que acontece quando o embrião se desenvolve fora do útero, podendo provocar dor abdominal intensa somente de um lado, inchaço abdominal e perdas de sangue pela vagina. Saiba que causas podem provocar uma gravidez ectópica.

O que fazer: O tratamento depende da localização do embrião e tempo de gestação, mas pode ser feito com o uso de remédios para interromper a gestação, ou pode ser feita uma cirurgia para retirar o embrião e reconstruir a tuba uterina, por exemplo.

10. Doença inflamatória pélvica

Esta doença é caracterizada por uma infecção que começa na vagina ou no colo do útero, e atinge o endométrio, as trompas e os ovários, podendo demorar apenas uns dias ou se for crônica, pode persistir por meses ou mesmo anos. Essa pode ser uma doença sexualmente transmissível ou estar relacionada com procedimentos na região genital feminina, como cirurgia, que fazem bactérias se proliferarem na região vaginal.

Além de provocar dores no fundo da barriga, também pode ocorrer febre, corrimento vaginal branco ou amarelado e dor durante o contacto íntimo. Saiba mais sobre doença inflamatória pélvica.

O que fazer: O tratamento consiste no uso de antibióticos por cerca de 14 dias. Durante o tratamento deve-se evitar o contacto íntimo, e caso se use um dispositivo intra uterino, este deve ser retirado.

O que pode ser dor no pé da barriga e o que fazer

11. Hérnia inguinal

A hérnia inguinal é mais frequente em homens e consiste numa protuberância na região da virilha, provocada pela passagem de uma parte do intestino através de um ponto mais fraco dos músculos abdominais, causando dor e desconforto na região ao fazer alguns movimentos como levantar-se ou curvar-se.

O que fazer: A melhor forma de tratamento para a hérnia inguinal é a cirurgia, em que a porção do intestino é colocada de volta no local e a parede abdominal é reforçada. Esta cirurgia é normalmente curta e de rápida recuperação. Veja em que consiste a cirurgia e como é feita a recuperação

12. Torção testicular

A torção testicular é um problema que ocorre geralmente em homens jovens quando um testículo torce em volta do cordão espermático, diminuindo a circulação de sangue, podendo provocar lesões graves no testículo. Os sintomas mais comuns são uma dor intensa nos testículos, com inchaço e aumento da sensibilidade no escroto e dor na barriga ou na virilha. Veja mais sintomas da torção testicular.

Esse tipo de problema é mais comum em homens que apresentam algum tipo de tumor testicular, têm antecedentes de horizontalização do testículo, têm histórico de descida incompleta dos testículos ou têm um cordão espermático largo, por exemplo.

O que fazer: O tratamento deve ser feito o mais rápido possível no hospital, com cirurgia, para colocar o testículo no local correto e permitir assim a passagem do sangue, evitando a morte do órgão.

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem