Medicina ortomolecular: o que é, como funciona e como fazer a dieta

Revisão clínica: Tatiana Zanin
Nutricionista
outubro 2021

A medicina ortomolecular é um tipo de terapêutica complementar que muitas vezes faz uso de suplementos nutricionais e alimentos ricos em vitaminas, como a vitamina C ou vitamina E, para reduzir a quantidade de radicais livres no organismo, evitando que o corpo esteja num processo constante de inflamação e evitando o surgimento de algumas doenças comuns do envelhecimento, como artrite, cataratas ou até câncer.

Além disso, como funciona principalmente pelo uso de antioxidantes, a medicina ortomolecular também pode melhorar o aspeto da pele, melhorando a elasticidade e disfarçando marcas do envelhecimento, como rugas e manchas escuras, por exemplo.

Como funciona

A medicina ortomolecular funciona por eliminar o excesso de radicais livres que estão no corpo. Os radicais livres são moléculas muito reativas que conseguem afetar as células saudáveis e que, embora sejam um resultado normal do funcionamento corporal, geralmente precisam ser mantidos em baixas quantidades para não causar danos à saúde.

Assim, quando a quantidade desses radicais é muito elevada, especialmente devido a hábitos de vida pouco saudáveis como o uso de cigarro, consumo de bebidas alcoólicas, uso excessivo de medicamentos ou até exposição solar prolongada, podem acontecer danos nas células saudáveis, provocando um processo de inflamação constante que favorece o surgimento de doenças como:

  • Artrite;
  • Aterosclerose;
  • Cataratas;
  • Alzheimer;
  • Parkinson;
  • Câncer.

Além disso, o envelhecimento precoce da pele também é afetado pelo excesso de radicais livres no corpo, sendo a medicina ortomolecular uma boa terapia para melhorar a saúde da pele, especialmente em fumantes.

Porque ajuda a emagrecer

A inflamação crônica causada pela presença excessiva de radicais livres pode prejudicar a perda de peso em pessoas que estão fazendo dieta para emagrecer, pois as células ficam inchadas e não conseguem funcionar normalmente, favorecendo o acúmulo de líquidos por todo o corpo.

Além de que, fazer uma dieta ortomolecular antioxidante geralmente inclui o uso preferencial de legumes e frutas, que possuem menos calorias e, por isso, contribuem para o emagrecimento. Este tipo de dieta pode ser muitas vezes associado à alimentação mediterrânea, já que segue os mesmos princípios para manter a saúde e emagrecer.

Como fazer uma dieta ortomolecular

Na dieta da medicina ortomolecular o segredo está em desintoxicar o organismo. Nesta dieta nada está proibido, mas algumas coisas devem ser evitadas como comer alimentos muitos condimentados, industrializados, gordurosos e beber bastante água.

Para se seguir a dieta ortomolecular é aconselhado:

  • Preferir alimentos naturais, como frutas e legumes;
  • Não comer fritos, não beber refrigerantes e evitar bebidas alcoólicas;
  • Comer mais fibras, através da ingestão de vegetais crus em todas as refeições;
  • Evitar a carne vermelha, e embutidos;
  • Tomar 3g ômega 3 diariamente;
  • Cozinhar em panelas de barro, evitando o alumínio, para diminuir o risco de câncer.

Segundo as orientações de médicos ortomoleculares, o ideal é que se atinja o peso ideal, comendo melhor e praticando atividade física. Comer em fast foods e ter uma vida estressante e sedentária agravam o problema e deixam o organismo muito intoxicado.

Veja qual peso que é considerado ideal para você, de acordo com o IMC:

Erro
anos
Erro
cm
Erro
kg
Erro

Como usar os suplementos nutricionais

Os suplementos nutricionais antioxidantes devem sempre ser orientados por um nutricionista ou um profissional especializado em fitoterapia ou medicina ortomolecular, já que o tipo e as doses podem variar de acordo com a idade e os problemas de saúde associados, como pressão alta, diabetes ou obesidade.

No entanto, as orientações gerais são:

  • Vitamina C: tomar cerca de 500 mg por dia;
  • Vitamina E: cerca de 200 mg por dia;
  • Coenzima Q10: ingerir 50 a 200 mcg por dia;
  • L-carnitina: 1000 a 2000 mg diariamente;
  • Quercetina: tomar 800 a 1200 mg por dia.

Estes suplementos podem ser usados em separado ou em conjunto, sendo muito frequente fazer vitamina C e E juntas, por exemplo.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em outubro de 2021. Revisão clínica por Tatiana Zanin - Nutricionista, em outubro de 2021.
Revisão clínica:
Tatiana Zanin
Nutricionista
Formada pela Universidade Católica de Santos em 2001, com registro profissional no CRN-3 nº 15097.