Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Necrólise Epidérmica Tóxica: o que é, sintomas e como é feito o tratamento

A necrólise epidérmica sistêmica, ou NET, é uma doença rara de pele caracterizada pela presença de lesões em todo corpo que podem levar à descamação permanente da pele. Essa doença é causada principalmente por uso de medicamentos como o Alopurinol e a Carbamazepina, mas também pode ser resultado de infecções bacterianas ou virais, por exemplo.

A NET é dolorosa e pode ser fatal em até 30% dos casos, por isso assim que surgirem os primeiros sintomas, é importante consultar um dermatologista para que possa ser confirmado o doagnóstico e iniciado o tratamento.

O tratamento é realizado na Unidade de Terapia Intensiva e é feito principalmente com a suspensão do medicamento que está causando a doença. Além disso, devido à exposição da pele e da mucosa, são realizadas medidas preventivas para evitar infecções hospitalares, que podem comprometer ainda mais o quadro clínico do paciente.

Necrólise Epidérmica Tóxica: o que é, sintomas e como é feito o tratamento

Sintomas da NET

O sintoma mais característico da necrólise epidérmica tóxica é a lesão de pele em mais de 30% do corpo que podem sangrar secretar líquidos, favorecendo a desidratação e infecções.

Os principais sintomas são semelhantes a uma gripe, como por exemplo:

  • Mal-estar;
  • Febre alta;
  • Tosse;
  • Dor muscular e nas articulações.

Esses sintomas, porém, desaparecem depois de 2 a 3 dias e são seguidos de:

  • Erupções de pele, que podem sangrar e ser dolorosas;
  • Áreas de necrose ao redor das lesões;
  • Descamação da pele;
  • Surgimento de bolhas;
  • Alteração no sistema digestivo devido à presença de lesões na mucosa;
  • Surgimento de úlceras na boca, garganta e ânus, menos frequentemente;
  • Inchaço dos olhos.

As lesões da necrólise epidérmica tóxica acontecem em praticamente todo o corpo, diferentemente da Síndrome de Stevens-Johnson, que apesar de possuir as mesmas manifestações clínicas, diagnóstico e tratamento, as lesões são mais concentradas no tronco, rosto e tórax. Saiba mais sobre a Síndrome de Stevens-Johnson.

Principais causas

A necrólise epidérmica tóxica é causada principalmente por medicamentos, como o Alopurinol, Sulfonamida, anticonvulsivantes ou antiepiléticos, como Carbamazepina, Fenitoína e Fenobarbital, por exemplo. Além disso, pessoas que possuem doenças auto-imunes, como o Lupus Eritematoso Sistêmico, ou possuem o sistema imunológico comprometido, como por exemplo na AIDS, possuem mais chance de ter as lesões de pele características da necrólise.

Além de poder ser causada por medicamentos, as lesões de pele podem acontecer devido a infecções por vírus, fungos, protozoários ou bactérias e presença de tumores. Essa doença também pode ser influenciada pela idade avançada e fatores genéticos.

Necrólise Epidérmica Tóxica: o que é, sintomas e como é feito o tratamento

Como é feito o tratamento

O tratamento da necrólise epidérmica tóxica é feito em Unidade de Terapia Intensiva de queimados e consiste na eliminação do medicamento que está sendo usado pelo paciente, já que normalmente a NET é resultado de reações adversas a determinados medicamentos.

Além disso, é feita reposição de líquidos e eletrólitos perdido devido às lesões extensas de pele por meio de injeção de soro na veia. Também são realizados cuidados diários das lesões por um enfermeiro para evitar infecções de pele ou generalizadas, que podem ser bastante sérias e comprometer ainda mais a saúde do paciente.

Quando as lesões atignem a mucosa, a alimentação pode se tornar difícil para a pessoa e, por isso, os alimentos são administrados por via endovenosa até que as mucosas estejam recuperadas.

Para diminuir o desconforto causado pelas lesões também podem ser feitas compressas de água fria ou uso de cremes neutros que promovam a hidratação da pele. Além disso, o médico também pode recomendar o uso de anti-alérgicos, corticóides ou antibióticos, por exemplo, caso a NET seja causada por bactérias ou caso o paciente tenha adquirido uma infecção como consequância da doença e que possa piorar o quadro clínico.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico é feito baseado principalmente nas características das lesões. Não existe exame laboratorial que possa indicar qual o medicamento responsável pela doença e os testes de estímulo não são indicados nesse caso, pois pode provocar um agravamento da doença. Assim, é importante que a pessoa informe ao médico se possui alguma doença ou se faz uso de algum medicamento, para que assim o médico possa confirmar o diganóstico da doenças e identificar o agente causador.

Além disso, para confirmar o diagnóstico o médico normalmente solicita biópsia de pele, além de hemograma, exames microbiológicos de sangue, urina e secreção de ferida, para verificar se há alguma infecção, e a dosagem de alguns fatores responsáveis pela resposta imunológica.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...