Molusco contagioso: o que é, causa, sintomas e tratamento

O molusco contagioso é uma doença infecciosa, causada pelo vírus poxvírus, que afeta a pele e leva ao aparecimento de pequenas bolhas da cor da pele e indolores em qualquer parte do corpo, com exceção das palmas das mãos e das plantas dos pés.

Essa infecção normalmente desaparece sozinha, no entanto é importante que o dermatologista seja consultado para que seja possível ser indicado o tratamento mais adequado para tratar as bolhas e diminuir o risco de transmissão para outras pessoas, já que o vírus pode ser transmitido por meio do contato direto com as bolhas ou através do compartilhamento de objetos de uso íntimo.

Molusco contagioso: o que é, causa, sintomas e tratamento

Principais sintomas

Os sintomas de molusco contagioso costumam surgir entre 2 e 7 semanas após o contato com o vírus responsável pelo molusco contagioso, sendo notado principalmente o aparecimento de bolhas na pele com as seguintes características:

  • Pequenas, com um diâmetro entre 2 mm e 5 mm;
  • Apresentam um ponto mais escuro no centro;
  • Podem surgir em qualquer região do corpo, exceto nas palmas das mãos e planta dos pés;
  • Não coçam;
  • Podem estar isoladas ou agrupadas, em forma de linha;
  • Geralmente peroladas e da cor da pele, mas podem ficar vermelhas e inflamadas.

É importante que o médico seja consultado na presença de sinais e sintomas de molusco contagioso, pois assim é possível que seja indicado o tratamento mais adequado para prevenir a transmissão do vírus para outras pessoas.

Causa de molusco contagioso

O molusco contagioso é uma doença infecciosa causada pelo poxvírus que pode ser transmitido de pessoa para pessoa por meio do contato direto com as lesões ativas ou com objetos contaminados com o vírus. Além disso, as lesões do molusco contagioso podem surgir quando a pessoa infectada coça as lesões que possui, o que faz com que o vírus seja espalhado pela pele, resultando no desenvolvimento de novas lesões.

Como é feito o tratamento

O tratamento para molusco contagioso deve ser orientado por um dermatologista ou por um pediatra, no caso da criança, uma vez que em muitos casos não é necessário qualquer tipo de tratamento para a cura. Isso porque o organismo é capaz de combater o vírus responsável pela doença, no entanto essa recuperação natural pode durar entre meses e anos. Dessa forma, o médico pode indicar a realização do tratamento para fins estéticos e para prevenir a transmissão e o surgimento de mais lesões.

O tratamento pode variar de acordo com a idade da pessoa, quantidade e tamanho das lesões e local em que aparecem, podendo ser indicado pelo médico os seguintes tratamentos:

  • Pomadas: com ácido tricloroacético, combinação de ácido salicílico e ácido lático ou hidróxido de potássio;
  • Crioterapia: aplicação de frio sobre as bolhas, congelando-as e removendo-as;
  • Curetagem: o médico retira as bolhas com um utensílio semelhante a um bisturi;
  • Laser: destrói as células das bolhas, ajudando a reduzir o seu tamanho.

É importante que durante o tratamento a pessoa com molusco contagioso evite o contato próximo com outras pessoas, não compartilhe objetos de uso pessoal e íntimo e evite ter relações sexuais desprotegidas, assim, é possível prevenir a transmissão do poxvírus.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • MAYO CLINIC. Molluscum contagiosum. Disponível em: <https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/molluscum-contagiosum/symptoms-causes/syc-20375226>. Acesso em 29 Abr 2019
  • LONGO, Dan L. et al.. Medicina interna de Harrison. 18.ed. São Paulo: AMGH Editora, 2013. 1476-1478.
  • FRAUCHES, Diana O.; SIQUEIRA, Carla C. et al.. Tratamento de Molusco Contagioso em crianças: uma revisão sistemática de literatura. Revista Brasileira de Família e Comunidade. 39. 12; 1 - 12, 2017
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA. Molusco. Disponível em: <https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/molusco/61/>. Acesso em 06 Jul 2021
  • KATZ, Kenneth A. Dermatologists, imiquimod, and treatment of molluscum contagiosum in children: righting wrongs. JAMA Dermatol. Vol 151. 2 ed; 125-126, 2015
Mais sobre este assunto: