Alergia na pele: principais causas e como tratar

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
dezembro 2021
  1. Sintomas
  2. Causas
  3. Tratamento
  4. Diagnóstico
  5. Na gravidez

A alergia na pele é uma reação inflamatória que pode manifestar-se em diferentes regiões da pele, como mãos, pés, face, braços, axilas, pescoço, pernas, costas ou barriga, causando sintomas como vermelhidão, coceira e bolinhas brancas ou avermelhadas na pele. Além disso, em alguns casos a alergia na pele pode levar a outros problemas como inchaço alérgico, por exemplo.

A alergia na pele pode ter diferentes causas, como alergia ao desodorante, a medicamentos, a alimentos, ao sol, a picadas de insetos ou mesmo ao alergia ao protetor solar, e o seu tratamento pode ser feito com o uso de medicamentos anti-histamínicos, como desloratadina ou ebastina, por exemplo, indicados pelo dermatologista ou pelo alergologista.

Principais sintomas

Os principais sintomas de alergia na pele incluem:

  • Coceira;
  • Vermelhidão;
  • Descamação;
  • Irritação;
  • Presença de manchas ou de borbulhas (bolinhas avermelhadas ou brancas).

Estes sintomas podem aparecer poucos minutos após o contato com o alérgeno, mas também podem demorar várias horas e até dias para se desenvolverem completamente. Dessa forma, deve-se tentar lembrar dos objetos ou substâncias que estiveram em contato com a região nos últimos 3 dias, ou dos medicamentos ou alimentos que comeu, para tentar achar uma causa.

Nos casos mais graves e menos comuns, a alergia na pele pode também levar ao aparecimento de sintomas graves, como inchaço nos olhos e boca, dificuldade para respirar e desconforto na garganta, sendo nestes casos muito importante ir rapidamente ao pronto socorro ou chamar o SAMU.

O que se deve fazer quando surgem sintomas

Assim que os primeiros sintomas de alergia surgem, é importante que tome medidas rapidamente, lavando com água abundante e sabão com pH neutro as regiões da pele onde os sintomas de alergia estão a surgir. Após lavar bem essas regiões, é importante passar na pele produtos hipoalérgicos com calmantes, como cremes ou loções com ação calmante como camomila ou alfazema, para aliviar o desconforto e acalmar a irritação na pele, ajudando também a manter a sua hidratação.

Além disso, a Água Termal também é uma excelente opção para usar nestas situações, pois hidrata a pele e reduz a coceira e a irritação. Conheça outros tratamentos caseiros para tratar a alergia na pele clicando aqui.

Porém, se após lavar e hidratar a pele, os sintomas não desaparecerem completamente após aproximadamente 2 horas ou se estes piorarem nesse espaço de tempo e se tornarem exuberantes ou incomodativos, é recomendado que consulte um médico para que ele possa prescrever remédios para o tratamento da alergia.

O que pode causar a alergia

A alergia na pele pode ter diversas causas, que incluem:

  • Picadas de insetos;
  • Suor;
  • Bijuteria;
  • Intoxicação alimentar;
  • Medicamentos ou alimentos;
  • Plantas ou pelos de animais;
  • Roupas, cintos ou a alguns tipos de tecido, como lã ou jeans;
  • Substâncias ou materiais irritantes como detergente, sabão de lavar roupa, produtos de beleza e cosméticos, maquiagem, shampoo, desodorante, gel de banho, sabonete, cera ou mesmo ao creme depilatório.

A alergia na pele pode manifestar-se causando diversos sintomas, sendo muito importante conseguir identificar a causa da alergia para que esta possa ser evitada.

Tratamento para alergia na pele

O tratamento recomendado para a alergia na pele deve ser indicado pelo médico dermatologista ou alergologista e o tipo de tratamento vai depender da causa e intensidade dos sintomas. Geralmente, o tratamento é feito com anti-histamínicos como desloratadina ou ebastina, por exemplo, ou com corticoides como a hidrocortisona ou mometasona, na forma de cremes, pomadas, xaropes ou comprimidos, que servem para aliviar e tratar os sintomas da alergia.

Além disso, nos casos onde a coceira é muito intensa, o médico pode também recomendar o uso de uma pomada para alergia, que vai hidratar a pele e aliviar a coceira e vermelhidão.

Como saber se é alergia na Pele

O diagnóstico da alergia na pele pode ser feito pelo alergologista ou pelo dermatologista, de acordo com as causas, que avalia os sintomas manifestados na pele. Em alguns casos o diagnóstico pode ser confirmado através de testes de alergia, feitos através de picadas no braço e com resposta ao fim de 15-20 minutos, ou através de outro teste que consiste em aplicar (habitualmente nas costas), diferentes substâncias conhecidas por causar alergias na pele, deixando-as atuar entre 48 a 72 horas, ou mesmo através de um exame de sangue.

Após o tempo indicado, o médico irá então observar se o teste deu positivo ou negativo, observando se ocorreu vermelhidão, coceira ou se surgiram borbulhas na pele, identificando também assim o agente responsável por causar a alergia. As análises ao sangue também poderão indicar uma causa para a alergia. Veja como é feito o teste de alergia clicando aqui.

Alergia na pele é mais comum na gravidez?

A alergia na pele na gravidez pode acontecer devido às alterações hormonais e do sistema imune que ocorrem naturalmente durante este período, o que pode deixar a grávida mais sensível ao surgimento de uma alergia na pele indesejada.

Nestes casos, é recomendado que tente acalmar a pele com cremes ou loções que ajudam a aliviar o desconforto e a irritação na pele, sendo recomendado que consulte o dermatologista ou alergologista logo que possível.

Geralmente, a alergia na pele na gravidez não prejudica o bebê, porém se os sintomas da alergia forem intensos é recomendado ir no pronto socorro ou hospital.

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em dezembro de 2021.

Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA. Fotossensibilidade. Disponível em: <https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/fotossensibilidade/8/>. Acesso em 17 fev 2020
  • NHS. Food allergy. Disponível em: <https://www.nhs.uk/conditions/food-allergy/>. Acesso em 17 fev 2020
Mostrar bibliografia completa
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA. Dermatite de contato. Disponível em: <https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/dermatite-de-contato/2/>. Acesso em 17 fev 2020
  • ANTUNES, Adriana A. et al. Guia prático de atualização em dermatite atópica - Parte I: etiopatogenia, clínica e diagnóstico. Arq Asma Alerg Imunol. Vol.1, n.2. 131-156, 2017
  • AMERICAN ACADEMY OF ALLERGY, ASTHMA & IMMUNOLOGY.. Drug Allergy. Disponível em: <https://www.aaaai.org/conditions-and-treatments/allergies/drug-allergy>. Acesso em 17 fev 2020
  • ROSMANINHO, Isabel; MOREIRA, Ana; SILVA, José P. M. Dermatite de contacto: revisão da literatura. Rev Port Imunoalergologia. Vol.24, n.4. 197-209, 2016
  • UNIVALI. Reações adversas a cosméticos e o profissional da estética. 2010. Disponível em: <http://siaibib01.univali.br/pdf/Ana%20Ang%C3%A9lica%20Candiotto,%20Ana%20Fl%C3%A1via%20Freire%20Wayhs.pdf>. Acesso em 17 fev 2020
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.