7 tipos de micose de pele e como tratar

novembro 2022

A micose de pele é uma doença causada pela presença de fungos na pele causando o aparecimento de sintomas como coceira, vermelhidão e descamação, podendo acontecer em qualquer parte do corpo.

A micose de pele pode ser classificada em diferentes tipos de acordo com o local que o fungo se desenvolve e causa os sintomas. Por exemplo, quando os sintomas surgem na virilha, recebe o nome de tinea inguinal, enquanto que quando acontece na unha, passa a ser conhecida como onicomicose.

O surgimento da micose de pele é mais comum no verão, pois o calor e o suor favorecem a multiplicação dos fungos que habitam a pele, causando a infecção. Veja mais sintomas da micose.

1. Micose de unha

Também conhecida por onicomicose, é uma infecção que deixa a unha amarelada, deformada e grossa, podendo ser transmitida para áreas em torno da unha ou para outras unhas, sendo mais frequente nas unhas do pé.

Como tratar: A micose de unha pode ser tratada com remédios em comprimidos, receitados pelo dermatologista, como o Fluconazol ou o Itraconazol, ou passando uma pomada ou esmalte para a micose de unha, como o Loceryl, a Micolamina ou o Fungirox, por exemplo. Outra opção, é o uso de laser, que elimina o fungo da micose através dos raios infravermelhos emitidos por este.

O tratamento para micose de unha é demorado porque o fungo só é totalmente eliminado quando a unha cresce. Por isso, o tratamento demora geralmente cerca de 6 meses para a micose das unhas das mãos e 12 meses para a micose das unhas dos pés. Saiba mais sobre a micose de unha.

2. Candidíase

A candidíase é uma infecção provocada pelo fungo Candida albicans que está naturalmente presente na boca e na região genital de homens e mulheres, no entanto devido a alterações na imunidade, por exemplo, pode ter sua quantidade aumentada, levando ao aparecimento dos sinais e sintomas da candidíase.

A candidíase vaginal é uma infecção muito comum na mulher devido ao aumento da população deste fungo, o que acontece principalmente quando o sistema imune está enfraquecido, em casos de diabetes, quando existem maus hábitos de higiene ou após o tratamento com alguns antibióticos ou corticoides.

A candidíase oral é uma infecção que afeta principalmente bebês, devido à sua imunidade ainda pouco desenvolvida, ou em adultos com o sistema imune enfraquecido devido a gripes, doenças crônicas ou HIV, por exemplo.

Como tratar: O tratamento para a candidíase oral pode ser feito em casa com a aplicação de antifúngicos na forma de gel, líquido ou enxaguante bucal, como a Nistatina, durante 5 a 7 dias, no entanto, nos casos mais graves, o tratamento pode ser feito com remédios antifúngicos orais, como o Fluconazol, segundo indicação do médico.

No caso da candidíase nos genitais, é possível utilizar pomadas e comprimidos orais ou de uso local, como o fluconazol, clotrimazol ou cetoconazol. Confira mais detalhes sobre a candidíase e como deve ser o tratamento.

3. Pitiríase versicolor

Também conhecida por pano branco ou micose de praia, é um tipo de micose causado pelo fungo Malassezia furfur, que produz uma substância que impede a pele de produzir melanina quando exposta ao sol. Assim, nos locais onde o fungo está, a pele não fica bronzeada, levando ao surgimento de pequenas manchas brancas. Conheça mais sobre o pano branco.

Como tratar: O tratamento para a micose de praia faz-se com o uso de remédios como Fluconazol, ou antifúngicos aplicados no local, como cremes, pomadas, loções ou sprays, dependendo do grau de comprometimento da pele. Se a micose voltar logo após o tratamento, deve-se ir ao dermatologista para um tratamento específico.

4. Pé-de-atleta

Também conhecida por tinha pedis ou frieira, este é um tipo de micose da pele causada pelos fungos Trichophyton, Microsporum ou Epidermophyton, que afeta principalmente regiões na sola e entre os dedos do pé.

Como tratar: O tratamento consiste geralmente na aplicação de cremes ou pomadas antifúngicas, porém, em alguns casos, os sintomas podem não melhorar apenas com o uso deste tipo de cremes e, por isso, pode ser necessário que o médico receite comprimidos antifúngicos de Itraconazol, Fluconazol ou Terbinafina, por cerca de 3 meses. Veja mais detalhes do tratamento para o pé de atleta.

5. Micose na virilha

Também chamada de tinha crural, esta micose é causada pelo fungo Tinea cruris, sendo mais frequente em obesos, atletas ou pessoas que usem roupas demasiado apertadas, devido à criação de um ambiente quente e úmido, favorável ao seu desenvolvimento.

Como tratar: O tratamento consiste geralmente na aplicação de cremes ou pomadas antifúngicas como clotrimazol ou econazol.

6. Tinha do couro cabeludo

Também conhecida por Tinea capitis, esta é uma micose que pode ser causada por diferentes fungos, podendo provocar queda de cabelo.

Como tratar: O tratamento consiste no uso medicamentos antifúngicos orais, shampoos ou loções.

7. Impingem

Esta micose, também conhecida por tinha corporis, pode desenvolver-se em qualquer região do corpo, e caracteriza-se por uma erupção cutânea vermelha com uma pele mais clara no meio. Saiba como identificar e tratar a Impingem.

Como tratar: Na maior parte dos casos, o tratamento é feito com a aplicação de cremes e pomadas antifúngicas como clotrimazol, cetoconazol, isoconazol ou terbinafina, porém, se os sintomas não melhorarem apenas com o uso deste tipo de cremes, deve-se ir ao médico, para que receite comprimidos antifúngicos como fluconazol ou terbinafina por exemplo.

Durante o tratamento de uma micose, podem ainda ser utilizados alguns remédios caseiros para aliviar mais rapidamente os sintomas.

Possíveis causas

Os fungos são os principais causadores de micoses na pele, no entanto, para que a doença se desenvolva, é necessário que se reúnam outras condições, como a depressão do sistema imune, um ambiente quente e úmido e, além disso, na maioria dos casos é necessário haver contágio.

A infecção pode aparecer com mais frequência após a toma de antibióticos, porque as bactérias presentes na pele diminuem, deixando que os fungos se proliferem. Além disso, andar descalço em locais públicos como praias, piscinas e banheiros, ter má circulação sanguínea, apresentar lesões na unha, ter relações sexuais desprotegidas, tomar duches em excesso, suar muito, usar roupas apertadas e frequentar locais demasiado úmidos e quentes, aumenta o risco de desenvolver micose.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em novembro de 2022. Revisão clínica por Dr. Leonardo Rotolo Araújo - Dermatologista, em novembro de 2022.
Revisão clínica:
Dr. Leonardo Rotolo Araújo
Dermatologista
Dermatologista, graduado pela Unisul, com CRM-RJ 100411-5 e membro da SBD e SBCD. Coordenador da Dermatologia do Hospital Caxias D'Or.