Menorragia: o que é, sintomas, causas e tratamento

Atualizado em fevereiro 2024

Menorragia é o sangramento menstrual intenso ou prolongado podendo ser identificada através de sintomas como, necessidade frequente de trocar o absorvente, menstruação por mais de uma semana ou cansaço excessivo.

A menorragia, também chamada de sangramento uterino anormal, pode ser causado por adenomiose, pólipos uterinos, alterações na coagulação sanguínea, câncer no útero ou até pelo uso de contraceptivos como o DIU.

Leia também: Sangramento de escape: o que pode ser e quando ir ao médico tuasaude.com/o-que-pode-ser-o-sangramento-fora-do-periodo-menstrual

O tratamento da menorragia é feito pelo ginecologista e varia de acordo com sua causa e gravidade dos sintomas, podendo ser indicado uso de remédios, anticoncepcionais ou cirurgia.

Imagem ilustrativa número 1

Sintomas de menorragia

Os principais sintomas de menorragia são:

  • Menstruação intensa;
  • Presença de coágulos, com tamanho maior ou igual a uma moeda;
  • Sangramento menstrual por mais de 1 semana;
  • Necessidade de trocar o absorvente a cada 2 ou 3 horas;
  • Dor abdominal;
  • Dificuldade de realizar as atividades do dia a dia.

Além disso, a mulher pode apresentar cansaço excessivo, fadiga ou tontura, pois o sangramento excessivo pode resultar em anemia. Saiba identificar os sintomas de anemia

Na presença de sintomas de menorragia, é importante consultar o ginecologista, para identificar a causa e iniciar o tratamento mais adequado.

O que é considerado menorragia?

É considerado menorragia quando a perda de sangue menstrual é de 80 mL ou mais, enquanto em uma menstruação normal, a quantidade é de 35 a 40 mL.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da menorragia é feito pelo ginecologista através da avaliação dos sintomas, histórico de saúde, obstétrico, sexual e de cirurgias ginecológicas, além de uso de medicamentos.

Marque uma consulta com um ginecologista na região mais próxima de você:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Ginecologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Além disso, o médico deve fazer o exame ginecológico e solicitar exames de sangue, como hemograma completo, painel de coagulação sanguínea, teste de gravidez, hormônios da tireoide e avaliação dos níveis de ferro e ferritina.

Para verificar a causa da menorragia, o médico deve solicitar exames, como ultrassom abdominal ou transvaginal, biópsia do endométrio ou histeroscopia, por exemplo. Saiba como é feita a histeroscopia

Possíveis causas

As principais causas da menorragia são:

  • Miomas ou pólipos endometriais;
  • Adenomiose;
  • Fragilidade do tecido endometrial, que pode se desfazer com facilidade;
  • Câncer no útero ou colo do útero;
  • Alterações na coagulação sanguínea, como na síndrome de von Willebrand;
  • Uso de DIU não hormonal ou anticoncepcionais com estrogênio e progesterona. 

Além disso, outros fatores que aumentam o risco de menorragia são hipo ou hipertireoidismo, síndrome dos ovários policísticos ou uso de anticoagulantes, por exemplo.

Leia também: Alterações na menstruação devido a tireoide tuasaude.com/tireoide-e-menstruacao

Como é feito o tratamento

O tratamento da menorragia deve ser feito com orientação do ginecologista, de acordo com a gravidade dos sintomas e da causa do sangramento uterino anormal.

Assim, o médico pode indicar o uso de anti-inflamatórios não esteroides, como o ibuprofeno ou ácido mefenâmico, que ajudam a reduzir o fluxo menstrual e aliviar as cólicas ou dor abdominal.

Nos casos da menorragia ser causada por alterações hormonais, podem ser indicados anticoncepcionais com estrogênio e progesterona ou DIU hormonal. 

A troca do anticoncepcional também pode ser indicada, caso a menorragia tenha sido causada pelo uso de anticoncepcionais.

Além disso, o médico pode recomendar o tratamento cirúrgico, como curetagem e dilatação uterina, embolização da artéria uterina, ablação uterina, remoção do mioma ou histerectomia, para remoção do útero. Saiba como é feita a histerectomia e recuperação.

Leia também: Como parar a hemorragia menstrual: remédios e cirurgia tuasaude.com/como-tratar-a-hemorragia-menstrual

Qual a diferença entre hemorragia e menorragia?

Hemorragia é a perda de sangue devido ao rompimento de vasos sanguíneos em qualquer parte do corpo, podendo ser interna ou externa, e causada por ferimentos, pancadas, alterações na coagulação sanguínea ou uso de anticoagulantes.

Já a menorragia é um tipo de hemorragia menstrual que ocorre devido ao sangramento uterino excessivo, de 80 mL ou mais, e/ou por mais de 7 dias, durante a menstruação.

Leia também: Sangramento após a relação: 6 causas (e o que fazer) tuasaude.com/sangramento-apos-relacao