Hemorragia menstrual: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
maio 2022

A hemorragia menstrual é uma situação caracterizada por sangramento intenso e abundante durante a menstruação e que pode durar mais de 7 dias, podendo ser também acompanhada por outros sintomas, como dor na região íntima, inchaço abdominal e cansaço, por exemplo.

A hemorragia menstrual excessiva, cientificamente chamada de menorragia, pode ser perigosa porque provoca a diminuição acentuada de ferro e aparecimento de anemia, reduzindo a quantidade de oxigênio no organismo. Além disso, em alguns casos a hemorragia menstrual pode ser sinal de alguma doença mais séria, como câncer, por exemplo.

Assim, na presença de sangramento abundante, é importante que o ginecologista seja consultado para que seja feita uma avaliação e sejam indicados exames para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado.

Sintomas da hemorragia menstrual

O principal sintoma de hemorragia menstrual é a perda de sangue excessiva que dura mais de 7 dias. No entanto, podem surgir outros sintomas além do sangramento, como:

  • Dor na região íntima;
  • Presença de coágulos na menstruação;
  • Inchaço abdominal;
  • Cansaço fácil;
  • Pode haver febre.

Além disso, como a perda de sangue é muito grande, há, consequentemente, a diminuição da quantidade de hemoglobina e de ferro, o que pode levar ao surgimento de sinais e sintomas de anemia, como tonturas, palidez, dor de cabeça, queda de cabelo e falta de apetite, por exemplo. Saiba reconhecer os sintomas de anemia.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da hemorragia menstrual deve ser feito pelo ginecologista a partir da avaliação dos sinais e sintomas apresentados pela pessoa, assim como por meio da análise do fluxo menstrual. Além disso, para identificar a causa da hemorragia menstrual, o médico pode indicar a realização de exames laboratoriais, como dosagem dos hormônios femininos progesterona, estrogênio e LH, exame de urina, coagulograma e hemograma, além de exames de imagem, como ultrassom abdominal e transvaginal. Veja quais são os exames indicados pelo ginecologista.

Principais causas

A hemorragia menstrual pode ter diferentes causas e pode acontecer com qualquer mulher, porém é mais frequente em mulheres obesas, que estejam entrando na menopausa ou que tenham história na família de hemorragia menstrual. As principais causas de hemorragia menstrual são:

  • Modificações do útero, como mioma, pólipos, adenomiose e câncer;
  • Alterações na coagulação sanguínea;
  • Problemas hormonais, como hipotireoidismo ou hipertireoidismo ou falta de ovulação;
  • Infecção no útero, aparelho urinário ou bexiga;
  • Uso de contraceptivos orais;
  • Gravidez ou aborto espontâneo.

​​Quando não é possível identificar a causa da hemorragia excessiva, pode ser considerado que a mulher sofre de hemorragia uterina disfuncional, em que não há uma causa específica mas que leva ao crescimento descontrolado do revestimento do útero, provocando sangramento e aumentando as chances de desenvolver câncer do endométrio.

Tratamento para hemorragia menstrual

O tratamento para hemorragia menstrual depende da causa do sangramento excessivo. Assim, nos casos relacionados com a produção de hormônios, o médico pode indicar o uso de remédios para parar a hemorragia menstrual, como os contraceptivos orais, além de poder recomendar o uso de suplemento de ferro e ácido fólico e a colocação de um DIU, em alguns casos. Caso a hemorragia seja consequência de uma infecção, o médico pode indicar o uso de antibióticos.

Em casos mais graves, como mioma uterino ou câncer, a cirurgia de histerectomia pode ser indicada para remover uma parte ou a totalidade do útero. Entenda como é feito o tratamento para hemorragia menstrual.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em maio de 2022. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em fevereiro de 2016.
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.