Líquen plano na boca: o que é, sintomas, causas e tratamento

setembro 2022
  1. Sintomas
  2. Causas
  3. Tratamento

O líquen plano na boca é uma inflamação crônica das mucosas da boca que pode surgir em qualquer região, como bochechas, gengivas, língua ou céu da boca, por exemplo, provocando sintomas como lesões ou feridas brancas ou avermelhadas muito dolorosas, sendo semelhantes a aftas, sensação de queimação na boca ou vermelhidão ou descamação das gengivas.

O líquen plano na boca, também conhecido como líquen plano oral, pode afetar homens e mulheres de qualquer idade, e não é considerada uma doença contagiosa. No entanto, esta condição pode surgir devido a infecção pelo vírus da hepatite C, que pode ser transmitido através do contato íntimo desprotegido, ou compartilhamento de seringas e agulhas, por exemplo. Saiba mais a transmissão da hepatite C.

O tratamento do líquen plano na boca deve ser feito com orientação do dermatologista ou do dentista, que pode indicar o uso de corticoides ou imunossupressores, por exemplo, de forma individualizada de acordo com a gravidade dos sintomas.

Sintomas de líquen plano na boca

Os sintomas mais comuns do líquen plano na boca incluem:

  • Manchas esbranquiçadas, semelhantes a teias;
  • Feridas abertas ou úlceras na boca persistentes, semelhantes a aftas;
  • Dor no local da ferida;
  • Placas vermelhas, com aspecto brilhante;
  • Sensação de queimação na boca;
  • Sensibilidade excessiva para comidas quentes, ácidas ou picantes;
  • Dor ou desconforto ao consumir bebidas alcoólicas, café ou consumir alimentos crocantes;
  • Desconforto ou dificuldade para falar, mastigar ou engolir;
  • Vermelhidão ou descamação das gengivas;
  • Inflamação na gengiva próximas a locais de restaurações dentárias;
  • Sangramento na gengiva ao escovar os dentes.

As manchas do líquen plano oral são mais comuns na parte de dentro das bochechas, na língua, no céu da boca ou nas gengivas.

Quando surgem manchas na boca e existem suspeitas de líquen plano é aconselhado consultar um dermatologista ou um dentista para avaliar a possibilidade de ser outro problema, como candidíase oral, por exemplo, e iniciar o tratamento mais adequado. Veja mais o que é candidíase oral e como tratar.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do líquen plano oral é feito pelo dentista, clínico geral ou dermatologista através da avaliação dos sintomas, histórico de saúde e exame físico das lesões, além da realização de biópsia que é a retirada de uma pequena parte da lesão para ser analisada em laboratório. Veja como é feita a biópsia.

Além disso, o médico deve solicitar um exame de sangue para detectar a infecção pelo vírus da hepatite C, que é uma das causas de líquen plano na boca.

Outro exame que o médico ou o dentista pode solicitar é uma cultura microbiológica da lesão, que é feita passando um swab, que é semelhante a um cotonete, na região afetada, para ser analisada no laboratório e avaliar a presença de infecção por fungos, bactérias ou vírus.

Possíveis causas

As causas de líquen plano na boca não são completamente conhecidas, porém, sabe-se que as lesões surgem porque as células de defesa do corpo atacam as células que fazem parte do revestimento da boca, como se fosse estranhas ao organismo, levando ao surgimento dos sintomas.

Alguns fatores podem aumentar o risco de desenvolvimento do líquen plano oral, como:

  • Histórico familiar de líquen plano;
  • Infecção pelo vírus da hepatite C;
  • Uso de remédios antimaláricos, anti-inflamatórios não esteroides, antidiabéticos ou diuréticos tiazídicos;
  • Pancadas ou traumas na boca;
  • Alergia a materiais usados para restauração dentária, como mercúrio, cobre, cobalto, níquel, ouro ou acrílico;
  • Hábito de morder as bochechas ou a língua;
  • Alergias a alimentos;
  • Cirrose biliar primária.

Além disso, o estresse e a ansiedade também parecem contribuir para o surgimento de lesões de líquen plano na boca. Veja mais sobre outras causas de feridas na boca.

Como é feito o tratamento

O tratamento do líquen plano oral deve ser feito com orientação do dermatologista ou dentista com o objetivo de aliviar os sintomas e evitar o surgimento de novas lesões na boca, por isso, nos casos em que o líquen plano não provoca qualquer incômodo, pode não ser necessário fazer qualquer tipo de tratamento.

Os principais tratamentos que podem ser indicados para o líquen plano na boca são:

  • Pasta de dentes sem laurilsulfato de sódio: é uma substância que pode causar irritação da boca;
  • Anestésicos locais, como a lidocaína, na forma de pomada ou spray: ajuda a aliviar a dor e o desconforto na boca;
  • Corticoides, como propionato de clobetasol, dexametasona ou triancinolona acetonida: pode ser usado sob a forma de comprimido, gel ou enxaguante bucal, e alivia rapidamente os sintomas. No entanto, só deve ser usado durante crises para evitar os efeitos secundários dos corticoides;
  • Imunossupressores, como tacrolimo, pimecrolimo ou ciclosporina, na forma de pomada ou comprimido: diminuem a ação do sistema imune, aliviando os sintomas e evitando as lesões.

Durante o tratamento também é muito importante manter uma higiene bucal adequada e fazer consultas regulares no médico e no dentista, especialmente para fazer exames que ajudem a identificar sinais precoces de câncer, uma vez que pessoas com feridas de líquen plano na boca têm maiores chances de desenvolver câncer de boca. Saiba como identificar os sintomas de câncer de boca.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em setembro de 2022.

Bibliografia

  • NASCIMENTO, I. S. B.; et al. Níveis de cortisol salivar e estresse em indivíduos com líquen plano bucal: um estudo de caso controle. Anais dos Seminários de Iniciação Científica. 22. 2018
  • RAJ, G.; RAJ, M. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Oral Lichen Planus. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK578201/>. Acesso em 09 set 2022
Mostrar bibliografia completa
  • LAVANYA, N.; et al. Oral lichen planus: An update on pathogenesis and treatment. J Oral Maxillofac Pathol. 15. 2; 127–132, 2011
  • ALSASHDAN, M. S.; et al. Oral lichen planus: a literature review and update. Arch Dermatol Res. 308. 8; 539-51, 2016
  • WERNECK, Juliana T et al. Desafios na distinção de lesões de Líquen Plano Oral e Reação Liquenóide. Rev. Bras. Odontol. Vol.73, n.3. 247-252, 2016
  • NICO, Marcello M.S. et al. Líquen plano oral. An Bras Dermatol. Vol.86. n.4. 633-643, 2011
  • SOUSA, Fernando A.C.G.; ROSA, Luiz E. B. Líquen plano bucal: considerações clínicas e histopatológicas. Rev Bras Otorrinolaringol. Vol.74, n.2. 284-292, 2008
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.