Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Candidíase oral: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
setembro 2022

A candidíase oral, também conhecida como candidíase na boca, é uma infecção causada pelo excesso de fungo Candida albicans na boca, que causa infecção, geralmente, em bebês, devido a sua imunidade ainda pouco desenvolvida, ou em adultos com o sistema imune enfraquecido devido a gripes, doenças crônicas ou HIV, por exemplo.

Apesar de habitar na pele, é possível que esse fungo prolifere e leve ao aparecimento de sinais e sintomas de infecção, como placas brancas na boca e dor e ardência na região.

O tratamento para a candidíase oral deve ser feito com enxaguantes bucais, antifúngicos e correta higiene oral, devendo ser orientado por um clínico geral, dentista ou pediatra, no caso das crianças.

Foto de candidíase na boca
Foto de candidíase na boca

Principais sintomas

Os principais sintomas de candidíase oral são:

  • Camada esbranquiçada na boca;
  • Placas de uma substância cremosa na boca;
  • Aparecimento de aftas na língua ou na bochecha;
  • Sensação de algodão dentro da boca;
  • Dor ou ardência nas regiões afetadas;

Em casos mais graves, pode haver também sinais de inflamação no esôfago, o que pode causar dor e dificuldade para engolir.

Esse tipo de candidíase é mais comum em bebês e recebe o nome de sapinho, isso porque como o fungo pode ser passado através do beijo e o sistema imunológico do bebê ainda está em desenvolvimento, é possível que apresente os sinais e sintomas de candidíase em bebê. Saiba como identificar e tratar o sapinho em bebê.

Possíveis causas

O fungo do gênero Candida é encontrado naturalmente na pele e nas mucosas, sem causar qualquer tipo de problema. No entanto quando existem alterações na imunidade ou presença de fatores que favoreçam o seu crescimento, é possível que o fungo se desenvolva mais que o normal, levando ao aparecimento de candidíase.

Alguns fatores que aumentam o risco de desenvolver candidíase oral são:

  • Doenças endócrinas, como diabetes ou hipotireoidismo;
  • Deficiências nutricionais, como falta de ferro, vitamina b12 ou ácido fólico;
  • Doenças do sistema imunológico, como AIDS;
  • Doenças do sangue, como leucemia ou agranulocitose.
  • Boca seca (xerostomia), que pode ser causada pela síndrome de Sjögren ou pelo uso de certos medicamentos;
  • Dieta rica em carboidratos;
  • Uso de alguns tipos de medicamentos, especialmente antibióticos ou corticoides;
  • Uso de dentaduras à noite, trauma ou má higiene bucal;
  • Tabagismo ou uso de drogas.

Além disso, crianças, idosos e mulheres grávidas também têm mais tendência a apresentar candidíase oral, já que o sistema imune está ligeiramente mais enfraquecido.

Como é feito o tratamento

O tratamento para candidíase na boca deve ser indicado pelo clínico geral, dentista ou pediatra, no caso dos bebês e das crianças, e pode ser feito em casa por meio da aplicação de antifúngicos na forma de gel, líquido ou enxaguante bucal, como a Nistatina, durante 5 a 7 dias.

Além disso, durante o tratamento é importante ter alguns cuidados, como escovar os dentes pelo menos 3 vezes por dia com escova de dentes de cerdas macias e evitar comer alimentos gordurosos ou com açúcar, como bolos, doces, bolachas ou balas, pois favorecem o desenvolvimento e proliferação dos fungos.

No casos mais graves, em que o uso de enxaguante bucal não tem o efeito desejado, o médico por indicar o uso de remédios antifúngicos orais, como Fluconazol, que devem ser tomados de acordo com a orientação do médico mesmo que os sintomas tenham desaparecido.

Um ótimo tratamento caseiro para a candidíase é o chá de poejo, porque possui propriedades que diminuem a proliferação dos fungos e ajudam a acelerar o combate à infecção. Conheça outras opções de remédios caseiros para candidíase.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em setembro de 2022. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • RODRÍGUEZ ORTEGA, Judy et al. Candidiasis de la mucosa bucal. Revisión bibliográfica. Revista Cubana de Estomatología. Vol.39. 2.ed; 2002
  • GÜMRÜ, Birsay . Oral Candidosis: Aetiology, Clinical Manifestations, Diagnosis and Management. Journal of Marmara University Institute of Health Sciences. Vol.1. 2.ed; 140-148, 2011
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.

Tuasaude no Youtube

  • Como CURAR NATURALMENTE a candidíase

    06:24 | 2004534 visualizações