Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que significa Linfonodos Inchados e quando pode ser Câncer

Os linfonodos, também conhecidos como ínguas, caroços ou gânglios linfáticos, são pequenas glândulas em forma de 'feijão', que estão distribuídas por todo o corpo, e que ajudam o sistema imune a funcionar corretamente, uma vez que filtram a linfa para remover vírus e bactérias que podem ser um risco para o organismo. Depois de removidos, esses micro-organismos são destruídos pelos linfócitos, que são células de defesa presentes dentro dos linfonodos.

Estes linfonodos podem ser encontrados isolados pelo corpo, mas, maioritariamente, estão presentes em grupos em locais como o pescoço, axilas e virilhas. Cada grupo geralmente é responsável por ajudar a combater infecções que se desenvolvem por perto, ficando inchados quando isso acontece. Assim, é comum que durante uma infecção urinária, os linfonodos da virilha sejam mais fáceis de sentir, por exemplo.

O que significa Linfonodos Inchados e quando pode ser Câncer

O que pode deixar os linfonodos inchados

Os linfonodos incham quando existe um trauma ou infecção por perto e, por isso, o local onde ficam inchados pode ajudar no diagnóstico. Cerca de 80% dos linfonodos aumentados em pessoas com menos de 30 anos de idade, se devem a infecções próximas do local, mas eles também podem ser: 

1. Íngua nas axilas

As causas mais comuns de inchaço dos linfonodos axilares são feridas ou infecções na mão, no braço ou na axila, devido a um corte, pelo encravado ou furúnculo, por exemplo. No entanto, pode indicar problemas mais graves como um linfoma, principalmente quando existe febre noturna e suor, mas outras situações, como mordida de animais, brucelose, esporotricose, e o câncer da mama também pode estar na origem dessa alteração.

2. Íngua no pescoço

Os linfonodos do pescoço podem inchar na região lateral, mas também por baixo do maxilar ou perto das orelhas. Quando isso acontece pode ser possível sentir ou, até, ver um pequeno caroço nessas regiões, que pode ser sinal de:

  • Abscesso dentário;
  • Cisto de tireoide,
  • Alterações nas glândulas salivares;
  • Garganta inflamada;
  • Faringite ou laringite;
  • Corte ou mordida na boca;
  • Caxumba;
  • Infecção do ouvido ou olho.

Nos casos mais raros, este inchaço das ínguas também pode ser sinal de algum tipo de tumor nessa região, como na garganta, laringe ou tireoide.

O que significa Linfonodos Inchados e quando pode ser Câncer

3. Íngua na virilha

Já os linfonodos da virilha podem ficar inchados por infecções ou traumas nas pernas, pés ou na região genital. Uma das causas mais comuns é a infecção urinária, mas também pode acontecer após uma cirurgia íntima, e em caso de doenças sexualmente transmissíveis, infecção nas pernas ou pés, e alguns tipos de câncer ginecológico.

Confira os sintomas mais comuns de doenças sexualmente transmissíveis.

4. Íngua na clavícula

Caroços na parte superior do osso da clavícula podem indicar infecções, linfoma, tumor nos pulmões, seios, pescoço ou no abdômen. O gânglio endurecido na região supraclavicular esquerda, pode indicar neoplasia gastrointestinal.

5. Ínguas em todo o corpo

Embora seja mais comum que os linfonodos inchem apenas em uma região, pode acontecer de surgirem caroços por todo o corpo e, isso, normalmente está relacionado com doenças como:

  • Doenças autoimunes, 
  • Linfoma;
  • Leucemia;
  • Citomegalovírus;
  • Mononucleose;
  • Sífilis secundária;
  • Sarcoidose;
  • Lúpus eritematoso sistêmico;
  • Hipertireoidismo;
  • Efeito colateral de medicamentos, como hidantoinato, agentes antitireoidianos e isoniazida. 

Veja os 10 principais sintomas de linfoma.

6. Ínguas na nuca 

Os carocinhos perto da nuca podem indicar Infecções do couro cabeludo, rubéola, picadas de insetos, leucemia linfóide crônica ou metástases. 

7. Ínguas perto da orelha 

Os gânglios linfáticos aumentados perto da orelha podem indicar sitações como rubéola, infecções de pálpebras ou conjuntivite, por exemplo. 

Quando os linfonodos aumentados podem ser câncer

Os linfonodos inchados quase sempre são sinal de uma infecção perto da região, no entanto, existem alguns casos em que esse inchaço pode ser sinal de câncer e, a única forma de ter a certeza consiste em consultar um clínico geral para fazer exames, como exame de sangue, biópsia ou tomografia, por exemplo.

A avaliação do gânglio aumentado ajuda a indetificar o que pode ser, e por isso o médico apalpa a área e verifica se o gânglio se mexe, qual seu tamanho e se dói. Os ganglios doloridos tem menos chances de ser cancerosos. Ter vários gânglios aumentados pelo corpo, aumenta as chances de ser uma leucemia, sarcoidose, lúpus eritematoso sistêmico, reações a drogas, e em algumas infecções. Os gânglios nas leucemias e linfomas têm consistência firme e não causam dor.

O risco de uma íngua ser câncer é maior quando dura mais de 6 semanas ou surgem sinais como:

  • Vários linfonodos inchados pelo corpo;
  • Consistência endurecida;
  • Ausência de dor ao tocar nos caroços e
  • Aderência.

Além disso, a idade também é importante porque nas pessoas com mais de 50 anos de idade, existe maior probabilidade de ser um tumor, do que em pessoas mais jovens. Assim, em caso de dúvida o médico pode solicitar uma biópsia aspirativa com agulha fina para verificar se contém células cancerígenas.

Algumas doenças neoplásicas que podem causar aumento dos gânglios são: linfoma, leucemia, e em caso de metástase de mama, pulmão, rins, próstata, melanoma, cabeça e pescoço, trato gastrointestinal e tumores de células germinativas. 

Quando ir ao médico

A maior parte dos casos de inchaço das ínguas não precisam de qualquer tratamento e, por isso, desaparecem em menos de 1 semana. Porém, é recomendado ir ao clínico geral se:

  • Os linfonodos ficam inchados por mais de 3 semanas;
  • Com ou sem dor ao tocar na íngua;
  • O caroço aumenta de tamanho com o passar do tempo;
  • Emagrecimento;
  • Aparecem outros sintomas como febre, cansaço excessivo, perda de peso ou suor noturno.

Nestes casos, o médico pode pedir vários exames, especialmente de sangue, para tentar identificar a causa, de acordo com os linfonodos afetados, iniciando o tratamento mais adequado.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar