Incontinência fecal: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
junho 2022
  1. Sintomas
  2. Diagnóstico
  3. Causas
  4. Tratamento

A incontinência fecal é a perda involuntária ou incapacidade de controlar a eliminação do conteúdo do intestino através do ânus, podendo ocorrer a eliminação de fezes ou gases intestinais, sendo mais comum em mulheres com idade acima dos 70 anos, mas também pode surgir em homens, jovens ou crianças a partir dos 4 anos.

A incontinência fecal pode ser causada por alterações no funcionamento dos músculos que formam o reto e o esfíncter do ânus devido a parto, cirurgias ou defeitos na anatomia da região, mas também pode ser desencadeada por diarréia, prisão de ventre, uso de medicamentos ou doenças neurológicas, por exemplo.

Apesar desta situação não trazer graves consequências para a saúde, pode provocar constrangimento e muita ansiedade. Por isso, é recomendado consultar o coloproctologista para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento mais adequado que pode ser feito com mudanças nos hábitos alimentares, uso de remédios, fisioterapia e, em alguns casos, a cirurgia.

Sintomas de incontinência fecal

Os principais sintomas de incontinência fecal são:

  • Perda involuntária de fezes líquidas, semilíquidas ou sólidas;
  • Perda de fezes ao liberar gases intestinais;
  • Eliminação de gases intestinais de forma involuntária;
  • Vazamento de fezes pelo ânus ao fazer esforços ou exercícios físicos;
  • Urgência para defecar;
  • Ausência ou diminuição da sensação de vontade de evacuar;
  • Dificuldade de controlar os esfíncteres anais;
  • Presença de fezes na roupa íntima, após uma evacuação;
  • Perda completa do controle intestinal.

Além disso, a incontinência fecal pode ser acompanhada por coceira anal, irritação da pele perianal, infecções do trato urinário, incontinência urinária, prolapso retal, hemorróidas ou fístula retal, por exemplo.

A incontinência fecal também pode causar intenso constrangimento, ansiedade e diminuição da qualidade de vida.

Sempre que há presença de um destes sintomas, deve-se consultar um coloproctologista para diagnosticar a incontinência fecal e iniciar o tratamento mais adequado.

Assista o vídeo seguinte e saiba como identificar os sintomas da incontinência fecal:

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da incontinência fecal é feito pelo proctologista através da avaliação dos sintomas, início e duração dos sintomas, histórico de saúde, de cirurgias anteriores e do uso de medicamentos, além do exame físico do ânus e do toque retal.

Além disso, o médico pode solicitar exames como ultrassom retal, proctografia, ressonância magnética ou colonoscopia, por exemplo.

Possíveis causas

As principais causas de incontinência fecal são:

  • Enfraquecimento dos músculos do reto ou do ânus, causados pelo envelhecimento natural do corpo ou por diarréia ou prisão de ventre crônica;
  • Danos da musculatura do períneo causados pelo parto normal, cirurgias ou algum traumatismo na região;
  • Danos no esfíncter anal, causados por episiotomia ou uso de fórceps durante o parto;
  • Lesões nos nervos da região, causados por parto normal, neuropatia diabética, esclerose múltipla, lesão na medula espinhal, AVC ou excesso de esforço durante a evacuação devido a prisão de ventre crônica;
  • Perda da elasticidade dos músculos do reto, causados por doença de Crohn;
  • Inflamação na mucosa do reto, provocadas por infecções ou por radioterapia;
  • Alterações na consistência das fezes, tanto por diarréia como prisão de ventre;
  • Existência de prolapso retal ou megacólon, provocado pela doença de chagas, por exemplo;
  • Doenças inflamatórias intestinais, como doença de Crohn, colite ulcerativa ou síndrome do intestino irritável;
  • Doenças metabólicas, como hipertireoidismo ou diabetes;
  • Uso de medicamentos, como metformina, acarbose, antidepressivos ou laxantes.

Nas crianças acima de 4 anos de idade, a incontinência fecal também é chamada de encoprese, e pode estar associada a dificuldades em controlar o funcionamento do esfincter anal devido a causas psicológicas, podendo estar ligada ao estresse, medo ou angústia, por exemplo.

Além disso, a incontinência fecal em crianças também pode ser causada pela prisão de ventre, já que o acúmulo de fezes ressecadas no intestino pode provocar o vazamento de fezes amolecidas ao redor do acúmulo fecal. Saiba como identificar e combater a prisão de ventre na criança.

Como é feito o tratamento

O tratamento da incontinência fecal deve ser feito com orientação do coloproctologista e varia de acordo com a causa e a gravidade da doença.

Os principais tratamentos para incontinência fecal são:

1. Mudança dos hábitos alimentares

Os problemas mais simples podem ser tratados com mudança de hábitos alimentares, como aumento do consumo de fibras e líquidos na dieta, como forma de regularizar o trânsito intestinal, além da diminuição de álcool, cafeína, gorduras e açúcares na dieta. Saiba mais sobre como deve ser a dieta na incontinência fecal.

2. Uso de remédios

Os remédios para incontinência fecal, como a loperamida ou o cloridrato de difenoxilato e sulfato de atropina, podem ser indicados pelo médico para melhorar a consistência das fezes e reduzir os episódios de perda involuntária das fezes.

Além disso, no caso da incontinência fecal ter sido causada por outras condições de saúde, o médico deve indicar o tratamento específico para a causa, de forma a aliviar os sintomas da incontinência fecal e tratar a doença.

3. Exercícios de Kegel

Os exercícios de kegel são indicados para a incontinência fecal, porque ajudam a fortalecer os músculos da região pélvica, que dão sustentação para o intestino e a bexiga, além do útero em mulheres.

Para fazer os exercícios de Kegel de forma correta, deve-se esvaziar a bexiga, interrompendo o jato de urina, e mantendo a contração por cerca de três segundos. Depois, deve-se repetir as contrações a fim de fazer, no mínimo, 10 vezes seguidas. Veja outros exercícios de Kegel para fortalecer a região pélvica.

4. Exercícios de biofeedback

Os exercícios de biofeedback podem ser indicados pelo coloproctologista nos casos de enfraquecimento dos músculos anais e perda da elasticidade dos músculos retais e devem ser feitos com orientação do fisioterapeuta, com exercícios de fortalecimento muscular da região anal, abdominal e do assoalho pélvico.

Esses exercícios são importantes para recondicionar os músculos da pelve, pois aumentam a força e resistência, estimulam o fluxo sanguíneo, o funcionamento dos nervos, além de aumentarem a consciência corporal.

O tratamento com exercícios de biofeedback deve ser realizado pelo próprio fisioterapeuta e geralmente dura cerca de 4 a 8 sessões.

5. Cirurgia

A cirurgia para a incontinência fecal pode ser indicada pelo médico quando os outros tratamentos não foram eficazes para melhorar os sintomas ou nos casos em que a incontinência fecal foi causada por traumas obstétricos durante o parto, prolapso retal ou lesões no esfíncter anal, por exemplo.

Assim, o coloproctologista pode indicar a cirurgia corrigir os músculos que estejam lesionados, reforçar a musculatura do canal anal enfraquecida, colocar um implante de esfincter anal artificial, ou até fazer uma colostomia, por exemplo.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em junho de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em janeiro de 2020.

Bibliografia

  • BROWN, H. W.; et al. Management of Fecal Incontinence. Obstet Gynecol. 136. 4; 811-822, 2020
  • SHAH, R.; VILLANUEVA HERRERO, J. A. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Fecal Incontinence. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK459128/>. Acesso em 14 jun 2022
Mostrar bibliografia completa
  • PARK, S-H.; et al. Effect of Kegel exercise to prevent urinary and fecal incontinence in antenatal and postnatal women: systematic review. J Korean Acad Nurs. 43. 3; 420-30, 2013
  • PASRICHA, T.; STALLER, K. Fecal Incontinence in the Elderly. Clin Geriatr Med. 37. 1; 71-83, 2021
  • BROWN, H. W.; et al. Management of Fecal Incontinence. Obstet Gynecol. 136. 4; 811-822, 2020
  • RUIZ, N. S.; KAISER, A. M. Fecal incontinence - Challenges and solutions. World J Gastroenterol. 23. 1; 11-24, 2017
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.

Tuasaude no Youtube

  • Incontinência Fecal: causas, sintomas e tratamento | @Mirca Fisioterapia e Bem-estar

    07:18 | 45216 visualizações