Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como cuidar da colostomia e ileostomia

A ostomia consiste em uma ligação do intestino diretamente à pele para permitir a saída de fezes quando o intestino já não está ligado ao ânus. Isto normalmente acontece após cirurgias de tratamentos para problemas no intestino, como câncer ou diverticulite, por exemplo. 

Embora a maioria das ostomias sejam temporárias, pois geralmente só são utilizadas para facilitar a cicatrização do intestino após a cirurgia, algumas podem ser mantidas por toda a vida, especialmente quando é preciso remover uma parte muito grande do intestino, que não permite voltar a ligar ao ânus.

Dependendo da sua localização, a ostomia pode liberar fezes moles ou sólidas, sendo conhecida como colostomia, ou líquidas, sendo chamada de ileostomia.

Como cuidar da colostomia e ileostomia

Depois da cirurgia ao intestino é normal que o estoma esteja muito vermelho e inchado, pois o intestino está ferido, porém, esses sinais vão reduzindo ao longo da primeira semana com os tratamentos feitos pelo enfermeiro.

Como trocar a bolsa da ostomia

Para trocar a bolsa da colostomia ou da ileostomia é recomendado que:

  1. Retire a bolsa, descolando lentamente para não magoar a pele. Uma boa dica consiste em colocar um pouco de água morna na região para ajudar a descolar mais facilmente;
  2. Lave a ostomia e a pele em volta com um pano macio limpo e água morna. Não é necessário utilizar sabão, mas se preferir, pode utilizar um sabão neutro, que deve ser bem retirado antes de colocar a nova bolsa;
  3. Seque bem a pele em volta da ostomia para permitir que a nova bolsa fique colada na pele. Não é recomendado utilizar qualquer creme ou produto na pele sem indicação do médico;
  4. Corte um pequeno buraco na bolsa nova, do mesmo tamanho da sua ostomia e cole o saco de volta no local correto.

O conteúdo da bolsa suja deve ser colocado no vaso sanitário e depois a bolsa deve ser jogada no lixo, pois não deve ser reutilizada devido ao risco de desenvolver infecções. Porém, se a bolsa for reutilizável, deve-se seguir as instruções do fabricante para a lavar corretamente.

Bolsa com 2 peçasBolsa com 2 peças

Existem ainda alguns tipos de bolsas de ostomia que têm 2 peças, facilitando a remoção do saco, pois uma peça permanece sempre colada na pele enquanto a outra é retirada e substituída. A peça que fica colada na pele deve ser substituída, pelo menos a cada 2 ou 3 dias.

Quando se deve trocar

A quantidade de vezes que a bolsa deve ser substituída varia de acordo com a ostomia e o próprio funcionamento do intestino, mas o ideal é que se faça a troca sempre que a bolsa está quase cheia.

Onde se pode utilizar a bolsa de ostomia

A bolsa de ostomia pode ser utilizada sem qualquer problema em todas as atividades diárias, mesmo para tomar banho, nadar na piscina ou entrar num jacuzzi, pois a água não afeta o sistema. No entanto, apenas é recomendado que se substitua a bolsa antes de entrar na água por uma questão de higiene.

Algumas pessoas podem não se sentir confortáveis utilizando a bolsa o tempo todo e, por isso, existem uns pequenos objetos, semelhantes a tampas, que podem ser colocados na colostomia e que evitam que a saída das fezes durante um tempo. No entanto, é preciso conhecer muito bem o trânsito intestinal para evitar o acúmulo excessivo de fezes no intestino.

Como cuidar da pele em volta da ostomia

A melhor forma de evitar irritações na pele em volta da ostomia é manter a bolsa no local correto, pois isso evita que as fezes entrem em contato direto com a pele. Assim, o passo mais importante é medir corretamente a ostomia e cortar o buraco, na bolsa, do tamanho certo.

Porém, outros cuidados que também se deve ter são lavar bem a pele após tirar a bolsa e verificar, com a ajuda de um espelho, se ficou alguma lixeira na parte inferior da ostomia, por exemplo.

Caso a pele fique muito irritada ao longo do tempo, é recomendado consultar um dermatologista ou falar com o médico responsável pela ostomia para utilizar um creme de barreira próprio que não impede a bolsa de colar na pele.

Como deve ser a alimentação

Cada indivíduo reage de maneira diferente à alimentação, sendo necessário estar atento aos alimentos que causam transtornos como prisão de ventre, odor forte e gases. Para isso, deve-se experimentar novos alimentos em pequenas quantidades, observando os efeitos que eles causam na ostomia.

Em geral, é possível ter uma alimentação normal, mas deve-se estar atento a alimentos que favorecem o aparecimento de problemas intestinais, como mostrado na tabela a seguir:

ProblemaColostomiaIleostomiaO que fazer
Fezes líquidasFrutas e vegetais verdesFrutas e vegetais verdesConsumir frutas e legumes cozidos, e evitar vegetais folhosos
Prisão de ventreBatata, arroz branco, inhame, banana prato e farinha de trigo brancaBatata, arroz branco, inhame, banana prato e farinha de trigo brancaPreferir arroz e alimentos integrais e beber pelo menos 1,5L de água
GasesVegetais verdes, feijão e cebolaVegetais verdes, feijão e cebolaConsumir chás de noz-moscada e de erva-doce
OdorOvo cozido, peixe, frutos do mar, queijo, cebola e alho crus, álcoolVegetais verdes, repolho, álcool e cebola e alho crus apenas em excessoConsumir alimentos que neutralizam o cheiro, mostrados abaixo

Os alimentos que devem ser consumidos para ajudar a neutralizar o cheiro das fezes são: cenoura, chuchu, espinafre, maizena, iogurte natural, coalhada integral sem soro, chá concentrado de salsinha ou salsão, chá de casca de maçã, de hortelã e de casca e folha de goiaba.

Além disso, é importante lembrar que pular refeições e ficar muito tempo sem comer não impede a produção de gases, sendo necessário comer regularmente para melhorar o funcionamento da ostomia.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...