Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Fratura na costela: Sintomas, Tratamento e Recuperação

A fratura das costelas pode provocar intensa dor, dificuldades na respiração e lesões nos órgãos internos, inclusive perfuração no pulmão, quando a fratura possui uma borda irregular. No entanto, quando a fratura da costela não tem ossos separados ou borda irregular, ela é mais simples de resolver não tendo grandes riscos para saúde.

A principal causa de fratura nas costelas são o traumatismo, provocado por acidentes de carro, agressões ou esportes nos adultos e jovens, ou quedas, mais comuns nos idosos. Outras causas possíveis incluem enfraquecimento dos ossos pela osteoporose, tumor localizado na costela ou a fratura por stress, que surge em pessoas que fazem movimentos repetitivos ou exercícios sem o adequado preparo ou de forma excessiva. 

Pra tratar a fratura da costela, geralmente, o médico irá indicar medicamentos analgésicos para aliviar a dor, além de repouso e fisioterapia. A cirurgia é indicada somente em alguns casos, em que não há melhora com o tratamento inicial, ou quando a fratura provoca lesões graves, incluindo a perfuração dos pulmões ou outras vísceras do tórax. 

Fratura na costela: Sintomas, Tratamento e Recuperação

Principais sintomas

Os sintomas mais comuns em uma fratura de costela incluem:

  • Dor no tórax, que piora com a respiração ou palpação do tórax;
  • Dificuldade respiratória;
  • Hematomas no tórax;
  • Deformidade nos arcos costais;
  • Sons de creptação durante a palpação do tórax;
  • A dor piora ao tentar torcer o tronco.

Geralmente, a fratura na costela não é grave, entretanto, em alguns casos, pode provocar perfuração dos pulmões e de outros órgãos e vasos sanguíneos do tórax. Esta situação é preocupante, pois pode provocar sangramento que provoca risco de vida, por isso, é necessária uma rápida avaliação médica e início do tratamento. 

A fratura é mais comum em pessoas jovens que sofrem um acidente de carro ou moto, mas nos idosos pode acontecer devida a quedas, e no bebê ou na criança, existe a suspeita de maus tratos, já que as costelas nessa fase são mais complacentes, indicando a repetição de empurrões ou traumatismo direto sobre o tórax.  

Fratura na costela: Sintomas, Tratamento e Recuperação

Quando ir ao médico 

Deve-se ir ao médico se apresentar sintomas como:

  • Dor intensa no tórax (localizada ou não);
  • Se teve algum traumatismo importante, como queda ou acidente;
  • Se houver dificuldade para respirar profundamente por causa o aumento da dor na região das costelas;
  • Se estiver tossindo com catarro verde, amarelo ou com sangue;
  • Se houver febre.

Nesses casos é indicado ir a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) mais próxima de sua casa. 

Como confirmar a fratura

O diagnóstico de fratura no tórax é feito pela avaliação física do médico, que também poderá solicitar exames como raio X de tórax, para identificar os locais da lesão e observar outras complicações como sangramentos (hemotórax), escape de ar do pulmão para o tórax (pneumotórax), contusão pulmonar ou lesões na aorta, por exemplo. 

Outros exames que também podem ser feitos são a ultrassonografia do tórax, que poderá identificar de forma mais precisa complicações como escape de ar e sangramentos. Já a tomografia de tórax pode ser feita quando ainda há dúvidas sobre as lesões em pacientes com maior risco e em pacientes com indicação de cirurgia. 

No entanto, o raio X detectam menos de 10% das fraturas, especialmente as que não são deslocadas e a ultrassonografia também não evidencia todos os casos, sendo por isso de grande importância a avaliação física.

Como é feito o tratamento

A principal forma de tratar das fraturas dos arcos costais é com o tratamento conservador, ou seja, apenas com medicamentos para aliviar a dor, como Dipirona, Paracetamol, Ibuprofeno, Cetoprofeno, Tramadol ou Codeína, por exemplo, além de repouso, pois o próprio organismo se encarregará de curar a lesão.

Não é recomendado amarrar nada em volta do tórax porque pode dificultar a expansão dos pulmões, causando maiores complicações, como a pneumonia, por exemplo.

Em casos de dor intensa, é possível fazer injeções, chamadas de bloqueios com anestesia, para aliviar a dor. Já a cirurgia não costuma ser indicada de rotina, entretanto, pode ser necessária para casos mais graves, em que há sangramentos intensos ou comprometimentos de órgãos da caixa torácica. 

A fisioterapia também é muito importante, pois são indicados exercícios que ajudam a manter a força muscular e amplitude das articulações do tórax, além de exercícios respiratórios que auxiliam a encontrar melhores formas de expandir o tórax. 

Cuidados para o dia a dia

  • Durante a recuperação da fratura não é recomendado dormir de lado, nem de barriga para baixo, a posição ideal é dormir de barriga para cima e colocar uma almofada por baixo dos joelhos e outra sobre a cabeça;
  • Também não é recomendado dirigir nas primeiras semanas após a fratura, nem torcer o tronco;
  • Se desejar tossir, pode ajudar a diminuir a dor se segurar uma almofada ou cobertor contra no peito no momento da tosse. Ao sentir do no peito pode-se sentar numa cadeira, reclinando o tronco para frente para conseguir respirar melhor;
  • Não praticar esporte ou atividade física até a liberação do médico;
  • Evitar ficar na mesma posição por muito tempo (exceto durante o sono);
  • Não fumar, para ajudar na cicatrização mais rápido. 

Tempo de recuperação 

A maior parte das fraturas de costela são curadas dentro de 1-2 meses, e durante este período é muito importante o controle da dor para que se possa respirar profundamente, evitando complicações que podem surgir por causa dessa dificuldade em respirar normalmente. 

Quais são as causas

As principais causas de fratura na costela são:

  • Traumatismos no tórax por acidentes automobilísticos, quedas, prática de esportes ou agressões;
  • Situações que provocam impactos repetitivos nas costelas, devido a tosse, em esportistas ou durante a realização de trabalhos com movimentos repetitivos;
  • Tumor ou metástase nos ossos.

Pessoas com osteoporose têm maior risco de desenvolver fraturas na costela, pois esta doença causa fraqueza dos ossos e pode provocar fraturas mesmo sem impacto.


Bibliografia

  • CLEVELAND CLINIC. Positions to Reduce Shortness of Breath. 2018. Link: <my.clevelandclinic.org>. Acesso em 23 Mai 2019
  • NHS. Broken or bruised ribs. 2017. Link: <www.nhs.uk>. Acesso em 23 Mai 2019
Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem