6 hábitos que aumentam o peso e causam doenças e o que fazer

Ficar muito tempo sem comer, não ler o rótulo dos alimentos e não consumir alimentos ricos em fibras, são alguns dos hábitos alimentares que podem favorecer o desenvolvimento de doenças e o ganho de peso.

Isso porque ao ficar muito tempo sem comer, a pessoa pode sentir dificuldade para controlar a fome depois, aumentando o volume de alimentos consumidos. Além disso, devido ao pouco consumo de fibras, não é possível que exista melhora no processo de absorção das gorduras e nem que exista maior sensação de saciedade, contribuindo para o ganho de peso e desenvolvimento de doenças.

Assim, é importante que se tenha uma alimentação saudável e equilibrada, dando preferências aos alimentos naturais e ticos em fibras, pois assim é possível promover uma melhora no metabolismo, reduzindo o acúmulo de gordura e de radicais livres.

6 hábitos que aumentam o peso e causam doenças e o que fazer

Os principais hábitos alimentares que podem prejudicar a saúde são:

1. Ficar muito tempo sem comer

Ficar muito tempo sem comer é um dos erros alimentares mais comuns e que mais contribuem para o ganho de peso. Muitas pessoas dizem que não têm tempo ou que se comerem sempre irão engordar, mas fazer lanches entre as refeições principais é essencial para o bom funcionamento do corpo e para evitar engordar, no entanto é importante que os lanches sejam saudáveis e pouco calóricos.

Ao ficar muito tempo sem comer, é possível que a pessoa tenha mais dificuldade para controlar a fome e maior vontade para consumir alimentos mais calóricos, principalmente os ricos em açúcar. Além disso, quando se pula refeições com frequência, no momento da refeição o intestino está "pronto" para absorver o máximo de nutrientes possível, enquanto que o resto do corpo passa a economizar energia. O resultado final é que se gasta menos calorias ao longo do dia e há maior chance de acúmulo de gordura.

O que fazer: É recomendado comer a cada 3-4h, pois assim é possível controlar a glicemia, evitar o excesso de comida nas grandes refeições e manter um metabolismo elevado no corpo. No entanto, caso se deseja fazer um jejum intermitente com o objetivo de perder peso e gordura, é fundamental que se tenha orientação do nutricionista, pois assim é possível definir o melhor período para realizar o jejum e o que se deve comer antes e depois do jejum. Veja como fazer o jejum intermitente corretamente.

2. Consumir carnes gordurosas

Comer muita carne é um hábito comum que pode trazer malefícios à saúde, como aumento do colesterol e do ácido úrico. As carnes, principalmente as vermelhas, são ricas em gorduras e normalmente seu preparo leva ainda mais gorduras como óleo e manteiga, além de farinha de trigo e ovo para fazer empanados, por exemplo.

Bacon e carnes embutidas como linguiça e salsicha são as piores escolhas, pois além de possuírem mais gordura e sal, também são ricos em conservantes, corantes e realçadores de sabor, aditivos que são tóxicos para o organismo e podem irritar o intestino.

O que fazer: É indicado dar preferência às carnes brancas e peixes, e comer cerca de 120 g de carne por refeição, que corresponde ao tamanho da palma da mão. Apesar de estar associada a riscos para a saúde, em alguns casos, é possível também incluir a carne vermelha na alimentação, desde que seja um corte mais magro e sem gordura.

3. Tomar refrigerante

Os refrigerantes são bebidas ricas em frutose, um tipo de açúcar que aumenta o risco de resistência à insulina e diabetes. Além disso, também são ricos em ácidos que desmineralizam o esmalte dos dentes, favorecendo o aparecimento de cáries, e em gases que causam dores abdominais, gases intestinais e gastrite.

Além disso, essas bebidas contêm sódio e cafeína, o que provoca alterações na pressão arterial e retenção de líquidos. Conheça outros malefícios do refrigerante.

O que fazer: É importante evitar o consumo de refrigerantes, dando preferência a bebidas naturais como sucos sem açúcar, chás, água e água de côco. Outra opção é tomar água com gás saborizada com frutas para conseguir tomar mais líquidos durante o dia.

4. Consumir poucas fibras

As fibras são essenciais para regular os níveis de glicose e colesterol circulantes e promover a sensação de saciedade, sendo encontrado principalmente em verduras, frutas, sementes e alimentos integrais. No entanto, ao consumir maior quantidade de produtos industrializados, há menor quantidade de fibras consumidas.

Uma dieta pobre em fibras aumenta a sensação de fome, favorece a prisão de ventre e aumenta o risco de doenças como o câncer de cólon. Além disso, quem consome poucas fibras também tem uma alimentação pobre em vitaminas e minerais essenciais para a prevenção de doenças como câncer e envelhecimento precoce.

O que fazer: É fundamental que as fibras sejam incluídas na alimentação do dia a dia, sendo recomendado que seja consumida pelo menos 1 porção de fruta por dia e que nas refeições principais tenha pelo menos uma fonte de fibras. Confira quais são os alimentos ricos em fibras.

5. Não ler o rótulo dos alimentos

Os alimentos industrializados são ricos em gorduras, açúcares e sal, pois esses ingredientes são baratos e ajudam a preservar o alimento por mais tempo, aumentando a sua validade. Por não lerem os rótulos, as pessoas não sabem os ingredientes usados e não percebem que estão tendo uma alimentação prejudicial à saúde.

Uma dieta rica em gorduras, açúcares e sal favorece o aparecimento de doenças como obesidade, diabetes, hipertensão e aterosclerose.

O que fazer: Antes de comprar ou consumir o produto, é importante ler o rótulo afim de identificar qualquer ingrediente que possa ser prejudicial para a saúde. Saiba como ler o rótulo dos alimentos corretamente.

6. Adicionar muito sal nas refeições

É comum que o sal seja utilizado no preparo das refeições como forma de realçar o sabor dos alimentos, no entanto o excesso de sal pode provocar aumento da retenção de líquido e favorecer o desenvolvimento de hipertensão.

O que fazer: É indicado diminuir o consumo de sal, podendo utilizar como alternativa ervas aromáticas, que também ajudam a realçar o sabor dos alimentos e são mais saudáveis.

Assista o vídeo seguinte e saiba como corrigir estes e outros erros alimentares:

Esta informação foi útil?
Atualizado por Equipe Tua Saúde - em Outubro de 2021. Revisão clínica por Tatiana Zanin, Nutricionista - em Outubro de 2021.
Mais sobre este assunto: