Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Dor pélvica: o que pode ser e como tratar

A dor pélvica é uma dor sentida na região abaixo do abdome, também conhecida como "pé da barriga" e, geralmente, é sinal de problemas ginecológicos, urológicos, intestinais ou relacionados à gravidez.

Este sintoma é mais comum na mulher, mas também pode surgir no homem, estando mais relacionado com problemas intestinais ou na próstata, por exemplo.

Para fazer o diagnóstico correto da causa desta dor deve-se ir ao médico e fazer exames como urina, ultra-sonografia ou tomografia computadorizada, se o médico achar necessário. Dependendo da causa, o tratamento pode incluir o uso de analgésicos, anti-inflamatórios ou antibióticos, havendo até casos em que pode ser necessária a realização de uma cirurgia, como nos casos de mioma ou tumor, por exemplo.

Dor pélvica: o que pode ser e como tratar

1. Cólica menstrual

É mais comum em adolescentes e é causada pela contração uterina involuntária durante a menstruação, tendendo a melhorar com o passar dos anos e com a gravidez. A cólica menstrual que surge mais tarde, que apresenta piora progressiva ao longo dos meses ou que dura mais que o período da menstruação pode indicar outras situações, como a endometriose. Algumas mulheres referem dor pélvica com o uso do DIU, na maioria das vezes ela ocorre devido ao mau posicionamento do dispositivo dentro do útero.

Como tratar: o ginecologista pode indicar medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios para serem usados nos períodos de dor. Em alguns, casos, pode ser feito o uso de pílulas hormonais que ajudam a regular a menstruação e aliviar a dor pélvica.

2. Gravidez

A dor pélvica na gravidez é bastante comum e pode ter como causas a produção de um hormônio chamado relaxina que é responsável por tornar os ligamentos mais elásticos, tornando as articulações mais soltas para o parto, e pelo aumento da pressão nos órgãos e músculos da região da pelve com o avançar da gravidez. 

A dor não é intensa, e pode ter início logo no primeiro trimestre de gestação ou pode surgir apenas poucos dias antes do parto. Em grande parte das vezes a dor surge no final da gravidez quando o peso da barriga começa a ser maior. 

Entretanto, em alguns casos, pode indicar uma complicação mais séria deste período, como gravidez ectópica ou um abortamento, por isso, sempre que a dor pélvica surge no início de uma gravidez ou após um atraso menstrual, é importante consultar-se com um ginecologista.

3. Infecção urinária ou problemas nos rins

Existem várias causas urológicas que podem causar dor na região pélvica. Estas incluem:

  • Infecção urinária;
  • Cálculo renal ou das vias urinárias;
  • Tumor de bexiga;
  • Alterações da próstata, no homem, como inflamações ou tumores;

Caso a dor pélvica seja acompanhada de dor para urinar, presença de sangue na urina ou febre, as causas urológicas ficam mais prováveis, sendo necessário consultar-se com o médico para realização de exames de urina e ultrassom das vias urinárias, se necessário.

Como tratar: normalmente o tratamento da infecção urinária é feito com antibióticos receitados pelo médico, que precisam ser utilizados durante todo o período orientado pelo ginecologista. Entenda melhor como é feito o tratamento da infecção urinária.

Dor pélvica: o que pode ser e como tratar

4. Endometriose

A endometriose é o crescimento de tecido do endométrio fora do útero, o que causa inflamação e dor pélvica que piora na menstruação, aumento do fluxo menstrual, além de dor durante o contato íntimo e dificuldade para engravidar. Não é fácil identificar a endometriose, podendo ser necessário realizar exames como ultrassom ou até cirurgia com biópsia. Entenda os principais sintomas que indicam endometriose.

Como tratar: quando leve, o tratamento pode ser feito com medicamentos para aliviar a dor, como Ibuprofeno, entretanto, nos casos mais graves podem ser usados remédios hormonais ou cirurgia para endometriose, que ajudam a reduzir a quantidade de tecido endometrial fora do útero. 

5. Mioma uterino

Os miomas uterinos são tumores benignos formados no tecido muscular que forma o útero, e apesar de nem sempre causarem sintomas, podem provocar dor pélvica, sangramentos ou dificuldade para engravidar. Saiba mais sobre o que é e o que causa o mioma.

Como tratar: nem sempre é necessário tratar, sendo indicado uso de medicamentos analgésicos para aliviar a dor pélvica, quando necessários. Entretanto, quando provoca sintomas intensos ou dificuldade para engravidar, o ginecologista pode indicar a realização de cirurgia ou outras técnicas, como embolização ou cauterização da parede do útero, para remoção do tumor. 

6. Doenças do ovário 

A presença de cistos, tumores ou infecções ovarianas podem causar dor pélvica, pois causam distensão, contração ou inflamação da musculatura do sistema reprodutor, além de aumentarem o risco de torção ovariana, situação chamada torção anexial. Nestes casos, pode ser necessário o uso de medicamentos anti-inflamatórios, antibióticos ou a realização de cirurgia, de acordo com cada caso.

Outra causa comum de dor pélvica é dor ovulatória, também conhecida como "dor do meio", pois surge durante a ovulação, já que neste período há uma intensa estimulação hormonal, com liberação dos ovócitos pelo ovário, o que pode causar dor que, geralmente, dura 1 a 2 dias.

Como tratar: o problema no ovário deve ser sempre corretamente identificado pelo ginecologista, que poderá indicar o uso de analgésicos ou anti-inflamatórios para aliviar os sintomas quando surgem ou, até, cirurgia.

7. Doença inflamatória pélvica 

É uma doença que causa inflamação nos órgãos genitais internos da mulher, geralmente, quando uma infecção genital alcança o colo uterino e atinge o útero, podendo subir até às trompas e ovários. Geralmente é causada por bactérias que podem ser sexualmente transmissíveis, e podem ser infecções agudas ou crônicas, podendo persistir por vários meses ou anos.

Como tratar: o tratamento para doença inflamatória pélvica pode ser feito com o uso de antibióticos por via oral ou por via intramuscular por cerca de 14 dias, sendo necessário, em alguns casos, cirurgia para tratar a inflamação das tubas uterinas ou para drenagem de abscesso tubo ovariano. Também é recomendado que o parceiro seja tratado, mesmo que não tenha sintomas, para evitar a re-contaminação. Saiba mais sobre o tratamento deste transtorno.

Dor pélvica: o que pode ser e como tratar

8. Vulvovaginites

Outros tipos de infecções genitais, como as causadas por candidíase, vaginose bacteriana ou tricomoníase, por exemplo, também podem causar dor pélvica. Embora este tipo de infecção possa surgir em todas as mulheres e em qualquer idade, é mais frequente nas que já iniciaram a atividade sexual, uma vez que o contato íntimo facilita o contato com micro-organismos. Confira como identificar e tratar a vulvovaginite.

Como tratar: o tratamento varia de acordo com a causa da infecção, sendo que podem ser prescritos remédios antifúngicos ou antibióticos. Assim, o ideal é que se consulte um ginecologista se existir suspeita de vulvovaginite, para confirmar o diagnóstico, identificar a causa e iniciar o tratamento mais adequado.

9. Apendicite ou diverticulite

Doenças do intestino, como gastroenterites, apendicite, diverticulite, doença inflamatória intestinal, doença do intestino irritável ou, até, câncer, também são causas de dor pélvica. Geralmente, estão associadas a mudanças do ritmo intestinal, como diarreia, além de náuseas e vômitos.

Como tratar: a apendicite é uma emergência médica e, por isso, se existir suspeita é muito importante ir ao hospital para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento, que geralmente inclui a realização de uma cirurgia. Já no caso das outras doenças intestinais, o ideal é consultar um gastroenterologista, para identificar o problema e iniciar o tratamento mais adequado.

10. Hérnia inguinal

A presença de uma hérnia na região pélvica pode causar dor nesta região, assim como a inchaço na virilha e sensação de peso. A hérnia inguinal é mais comum em pessoas com excesso de peso ou que fizeram algum tipo de cirurgia abdominal.

Como tratar: na maior parte dos casos é indicada a cirurgia para correção da hérnia, especialmente quando causa dor e outros tipos de sintomas. Entenda melhor como se trata a hérnia inguinal.

O que fazer em caso de dor pélvica

Como as causas de dor pélvica são muito variadas, sempre que a dor for intensa ou persistir por mais de 1 dia, é importante procurar a avaliação médica para que o diagnóstico e tratamento sejam feitos de forma eficaz.

Além disso, a consulta anual com o ginecologista ou urologista é importante para a detecção de alterações que podem não ser percebidas de início, o que pode prevenir sérios problemas e evitar complicações futuras, melhorando a saúde e o bem-estar. 

Entretanto pode experimentar alguns analgésicos naturais, que pode assistir no vídeo seguinte:

Como aliviar a dor com ANALGÉSICOS NATURAIS

321 mil visualizações

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem