Zika: o que é, sintomas, causas, diagnóstico e tratamento

A Zika é uma doença causada por um vírus transmitido pela picada do mosquito Aedes Aegypti, que também é responsável por propagar outras doenças infeciosas como a dengue ou a chikungunya, por exemplo.

Os sintomas mais comuns de Zika tendem a surgir cerca de 10 dias após a picada do mosquito e incluem dor de cabeça forte, febre acima de 38ºC e manchas vermelhas no corpo.

Atualmente não existe qualquer tratamento específico para eliminar o vírus do corpo, no entanto, é importante consultar um médico já que existem alguns medicamentos e cuidados que podem aliviar os sintomas, facilitando a recuperação.

Zika: o que é, sintomas, causas, diagnóstico e tratamento

Principais sintomas

Os primeiros sintomas de Zika surgem cerca de 10 dias após a picada do mosquito e incluem dor de cabeça, febre acima de 38ºC e manchas vermelhas no rosto. Porém, com a evolução da infecção, os sintomas podem ir se tornando mais específicos, incluindo:

  • Dor de cabeça muito intensa que não melhora;
  • Dor de garganta;
  • Dor nas articulações;
  • Dor muscular e cansaço excessivo.

Estes sinais duram até 5 dias e podem ser confundidos com os sintomas de gripe, COVID-19, dengue ou rubéola. Por isso, é importante ir ao pronto-socorro quando surgem mais que 2 destes sintomas, para que seja feita uma avaliação médica, de forma a identificar a causa e iniciar o tratamento mais adequado.

Conheça outros sintomas causados pelo Zika vírus e como aliviar.

Sintomas de Zika em bebês

No caso do bebê, pode ser um pouco mais complicado identificar os sintomas de Zika. Por isso, é muito importante que os pais fiquem atentos a sinais como:

  • Muito choro;
  • Inquietação;
  • Aparecimento de manchas vermelhas na pele;
  • Febre acima de 37,5ºC;
  • Olhos vermelhos.

Além disso, algumas mulheres podem ser infectadas pelo vírus Zika ainda durante o período gestacional, o que pode interferir no desenvolvimento neurológico e resultar no nascimento do bebê com microcefalia, em que a cabeça e o cérebro do bebê são menores que o normal para a idade. Saiba como reconhecer a microcefalia.

Se houver suspeita de Zika, deve-se levar a criança ao pediatra para que sejam feitos exames de diagnóstico e, assim, inciado o tratamento mais adequado.

Como se pega o vírus

O Zika vírus é transmitido através da picada do mosquito Aedes Aegypti, que geralmente pica ao final da tarde e à noite. Assista o vídeo para saber como se proteger do Aedes Aegypti:

Mas o vírus também pode passar de mãe para filho durante a gravidez o que pode causar uma grave sequela no bebê, chamada microcefalia. Além disso, existe também a possibilidade de que o vírus possa ser transmitido através da relação sexual desprotegida com pessoas que estejam com a doença.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico para identificar a presença do Zika vírus é feito por meio de exames de sangue que devem ser feitos, de preferência, quando existem sintomas da infecção, que é quando há maior chance de detectar o vírus.

O exame mais utilizado no diagnóstico do Zika vírus é o RT-PCR que é um teste molecular que pode ser realizado utilizando uma amostra o sangue, urina ou da placenta, no caso de ser realizado nas gestantes. Apesar da análise do sangue ser a mais frequente, a urina garante maior probabilidade de detecção, além de também ser mais fácil de coletar. Pela RT-PCR, além de identificar a presença ou ausência do vírus, é possível verificar em que concentração o vírus está presente, sendo essa informação útil para o médico estabelecer o melhor tratamento.

Devido à similaridade entre os sintomas da Zika, Dengue e Chikungunya, há também um teste molecular de diagnóstico que permite diferenciar os três vírus, permitindo que seja feito o diagnóstico correto e início do tratamento. Saiba mais sobre as diferenças entre Zika, Dengue e Chikungunya.

Como é feito o tratamento

Não existe um tratamento ou remédio específico para eliminar o Zika vírus do corpo, por isso, geralmente é indicado repouso e boa hidratação, que pode ser feita através da ingestão de água, soro de reidratação ou sucos, por exemplo.

Além disso, o médico pode ainda receitar o uso de alguns medicamentos para aliviar o desconforto, como:

  • Analgésicos como Paracetamol ou Dipirona, de 6 em 6 horas, para combater a dor e a febre;
  • Anti-alérgicos, como Loratadina, Cetirizina ou Hidroxizina, para aliviar a vermelhidão na pele, nos olhos e a coceira no corpo;
  • Colírios lubrificantes como Moura Brasil, para aplicar nos olhos 3 a 6 vezes ao dia.

Os remédios que contêm ácido acetilsalicílico, como a aspirina, não devem ser utilizados, assim como ocorre nos casos de dengue, porque podem aumentar o risco de hemorragias. Confira uma lista dos remédios contraindicados nessas duas doenças.

Veja no vídeo a seguir como se alimentar para se recuperar da Zika mais rapidamente:

Possíveis complicações

O Zika vírus pode, em alguns casos, afetar gravemente o sistema imune, facilitando o desenvolvimento de algumas complicações. As principais doenças relacionadas ao Zika são:

1. Microcefalia

Acredita-se que a microcefalia possa acontecer devido a uma alteração no sistema imune da grávida que faz com que o vírus atravesse a placenta e chegue até o bebê, causando má formação cerebral.

Normalmente a microcefalia é mais grave quando a mulher foi infectada no primeiro trimestre de gestação, mas ter Zika em qualquer fase da gravidez pode levar a esta mal formação no bebê, sendo muito importante evitar a infecção e seguir todas as recomendações do obstetra.

2. Síndrome de ​Guillain- Barré

A Síndrome de Guillain-Barré pode acontecer porque, após a infecção pelo vírus, o sistema imune engana-se e começa a atacar as células saudáveis do corpo. Neste caso, as células afetadas são as do sistema nervoso, que deixam de possuir a bainha de mielina, que é a principal característica do Guillain-Barré.

Assim, meses após os sintomas do Zika vírus diminuírem e serem controlados, algumas pessoas podem apresentar esta síndrome que começa por causar sensação de formigamento em algumas áreas do corpo e fraqueza nos braços e nas pernas. Saiba identificar os sintomas da Síndrome de guillain-barré.

Em caso de suspeita, deve-se ir ao médico rapidamente para impedir a progressão da síndrome, que pode até mesmo causar paralisia dos músculos do corpo e também da respiração, sendo potencialmente fatal.

3. Lúpus

Apesar de aparentemente não causar Lúpus, já foi registrada uma morte de um paciente diagnosticado com Lúpus após a infecção com o Zika vírus. Por isso, embora não se saiba exatamente qual é a ligação entre esta doença e o lúpus, o que se sabe é que o lúpus, é uma doença autoimune, onde as células de defesa atacam o próprio corpo, e existe a suspeita de que a infecção por Zika possa enfraquecer ainda mais o organismo, sendo potencialmente fatal.

Assim, todas as pessoas que são diagnosticadas com Lúpus, ou com qualquer outra doença que afete o sistema imune, devem ter cuidados redobrados para se proteger e não pegar Zika.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Diagnóstico Laboratorial do Zika Vírus. 2016. Disponível em: <https://mosquito.saude.es.gov.br/Media/dengue/Zika/GUIA%20RAPIDO%20DIAGNOSTICO%20%20LABORATORIAL%20DO%20ZIKAV%2014-03%20pdf.pdf>. Acesso em 09 Dez 2019
  • Agência Nacional de Saúde Suplementar. Vírus Zika: diagnóstico. 2016. Disponível em: <http://www.ans.gov.br/images/stories/Legislacao/camara_tecnica/2016_gt_viruszika/gt_viruszika_1_reuniao_apresentacaocosaude.pdf>.
  • SILVA, Antônia Letícia P.; SPALDING, Silvia Maria. Vírus zika – Epidemiologia e diagnóstico laboratorial. Rev Med Minas Gerais. 2018
Mais sobre este assunto: