Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Para que serve o Difosfato de Cloroquina

O Difosfato de cloroquina é um medicamento indicado para o tratamento da malária causada por Plasmodium vivax, Plasmodium malariae e Plasmodium ovale, amebíase hepática, artrite reumatoide, lúpus e doenças que provocam sensibilidade dos olhos à luz.

Este medicamento pode ser comprado em farmácias, mediante a apresentação de receita médica.

Para que serve o Difosfato de Cloroquina

Como usar

A posologia de cloroquina depende da doença que se pretende tratar:

1. Malária

Em crianças entre 1 e 2 anos, a dose recomendada é de um comprimido em dose única, dos 3 a 6 anos, a dose recomendada é de um comprimido por dia, durante três dias e dos 7 aos 11 anos, a posologia indicada são dois comprimidos no primeiro dia e um comprimido e meio no segundo e no terceiro dia.

Para pessoas com 15 anos ou mais, a dose recomendada é de quatro comprimidos no primeiro dia e três comprimidos no segundo e no terceiro dia. O tratamento da malária causada por P. vivax e P. ovale com cloroquina deve ser associado com a primaquina, durante 7 dias.

2. Lúpus eritematoso e artrite reumatoide

A dose máxima recomendada em adultos é de 4 mg/Kg por dia, durante um a seis meses, dependendo da resposta do tratamento.

3. Amebíase hepática

A dose recomendada em adultos é de 600 mg de cloroquina no primeiro e segundo dias, seguidos de 300 mg por dia, por duas a três semanas.

Em crianças, a dose recomendada é de 10 mg/Kg/dia de cloroquina, durante 10 dias ou a critério médico. 

Quem não deve usar

Este medicamento não deve ser usado em pessoas que tenham hipersensibilidade a qualquer um dos componentes presentes na fórmula, pessoas com epilepsia, miastenia gravis, psoríase ou outra doença esfoliativa.

Além disso, não deve ser usado para tratar a malária em pessoas com porfiria cutânea tardia e deve ser usado com cautela em pessoas com doença hepática e distúrbios gastrointestinais, neurológicos e sanguíneos.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer com o uso de cloroquina são dor de cabeça, enjoo, vômitos, diarreia, dor de barriga, coceira, irritação e manchas avermelhadas na pele.

Além disso, pode também ocorrer confusão mental, convulsões, queda da pressão sanguínea, alterações no electrocardiograma e visão dupla ou borrada.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar