Cisto coloide: o que é, sintomas, causas, tipos e tratamento

Atualizado em dezembro 2023

Cisto coloide é uma bolsa de tecido conjuntivo que contém em seu interior uma substância semelhante a um gel, chamado coloide, podendo não causar sintomas ou pode levar ao surgimento de dor de cabeça, sonolência ou rouquidão, por exemplo, dependendo de onde se desenvolveu.

O cisto coloide pode surgir no cérebro ou na tireoide e ser redondo ou oval e varia de tamanho, no entanto, não tende a crescer muito e nem se espalhar para outros locais do corpo.

O tratamento do cisto coloide é feito pelo neurologista ou endocrinologista, e varia de acordo com o tipo de cisto, podendo ser indicado acompanhamento médico regular para avaliar seu crescimento ou cirurgia para sua remoção.

Imagem ilustrativa número 1

Sintomas de cisto coloide

Os principais sintomas de cisto coloide são:

  • Dor de cabeça;
  • Náuseas ou vômitos;
  • Tontura ou sonolência;
  • Problemas de memória;
  • Alterações de humor e comportamento;
  • Dificuldade para caminhar;
  • Incontinência urinária.

Esses sintomas podem surgir no caso do cisto coloide no cérebro, no entanto, na maioria das vezes é assintomático, sendo descoberto em exames de imagem para diagnosticar outras doenças.

Da mesma forma, o cisto coloide na tireoide pode não apresentar sintomas, no entanto, quando é grande pode causar sintomas como rouquidão, dor ou presença de um caroço no pescoço, ou dificuldade para engolir.

Na presença de sintomas de cisto coloide, deve-se consultar o neurologista ou o endocrinologista, para que sejam realizados exames, confirmado o diagnóstico e iniciado o tratamento mais adequado.

Não ignore os seus sintomas!

Priorize sua saúde. Descubra a causa dos seus sintomas e receba o cuidado que precisa.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do cisto coloide é feito pelo clínico geral, endocrinologista ou neurologista através da avaliação dos sintomas, histórico de saúde e exames de imagem.

Os principais exames de imagem que podem ser solicitados pelo médico são ressonância magnética ou tomografia computadorizada, por exemplo.

Além disso, no caso do cisto coloide na tireoide, o médico também pode solicitar um ultrassom ou uma biópsia do cisto, chamada punção aspirativa com agulha fina (PAAF). Veja como é feita a PAAF da tireoide.

Possíveis causas

A causa exata do cisto coloide não é completamente conhecida, mas sabe-se que ocorre devido a um crescimento excessivo dos tecidos da tireoide.

Já no caso do cisto coloide no cérebro, acredita-se que possa ocorrer durante o desenvolvimento do sistema nervoso central à medida que o feto se desenvolve na gravidez.

Tipos de cisto coloide

Os principais tipos de cisto coloide são:

1. Cisto coloide na tireoide

O cisto coloide na tireoide é o tipo mais comum de nódulo tireoidiano benigno.

Esse tipo de cisto pode causar o aumento da produção de hormônios pela tireoide, sendo chamado de nódulo autônomo (quente), e pode ocasionalmente, levar ao hipertireoidismo. No entanto, se o nódulo é preenchido com fluido ou sangue, é chamado de cisto da tireoide.

Diferentemente do cisto, o nódulo corresponde a uma lesão arrendondada e macia que normalmente cresce e pode apresentar aspecto maligno, sendo esta uma das principais preocupações quanto ao aparecimento dessas lesões na tireoide.

Esses nódulos podem ser percebidos ao palpar o pescoço, sendo importante consultar um médico para que sejam solicitados exames e possa ser feito o diagnóstico. Saiba mais sobre o nódulo na tireoide e como é feito o tratamento.

2. Cisto coloide no cérebro

O cisto coloide no cérebro pode ocorrer nos ventrículos cerebrais, que são regiões responsáveis pela produção e armazenamento do líquido cefalorraquidiano (LCR).

Assim, a presença do cisto pode obstruir a passagem do LCR e levar ao acúmulo de líquido nessa região, causando hidrocefalia, aumento da pressão intracraniana e, em casos mais raros, morte súbita.

Apesar de normalmente ser benigno e assintomático, quando diagnosticado é importante que o médico avalie o tamanho e a posição do cisto coloide para que seja verificada a possibilidade de obstrução da passagem do LCR e, assim, se possa definir o tratamento.

Como é feito o tratamento

O tratamento do cisto coloide no cérebro é feito pelo neurologista, e no caso do cisto coloide na tireoide, o tratamento é feito pelo endocrinologista, e variam de acordo com o tamanho do cito ou se a pessoa apresenta ou não de sintomas.

De forma geral, para o cisto coloide que não causa sintomas, o médico pode indicar o acompanhamento periódico com exames de imagem para verificar se o cisto cresceu.

No entanto, no caso do cisto coloide cerebral, se a pessoa apresenta hidrocefalia ou outros sintomas, o neurologista pode indicar a colocação de um dreno ventricular para aliviar drenar o líquido cefalorraquidiano, ou cirurgia para remoção do cisto. Veja como é feito o tratamento da hidrocefalia.

Já para o cisto na tireoide, o endocrinologista pode indicar a cirurgia ablação por radiofrequência se o cisto for muito grande, ou cirurgia para retirada total ou parcial da tireoide. Se houver produção descontrolada de hormônios ou se este for maligno, além da cirurgia pode ser realizado tratamento com iodo radioativo.

Após a cirurgia de remoção do cisto coloide, o médico normalmente envia parte do cisto para o laboratório para que seja feita a biópsia e se possa confirmar se é um cisto benigno ou se é maligno.