Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Cisto na cabeça: o que é, principais sintomas e como tratar

O cisto na cabeça normalmente é um tumor benigno que pode ser preenchido por líquido, tecido, sangue ou ar e que geralmente surge durante a gestação, logo após o nascimento ou ao longo da vida e pode ocorrer tanto na pele quanto no cérebro. O cisto na cabeça pode desaparecer, aumentar de tamanho ou gerar sintomas quando está localizado no cérebro, como dor de cabeça, náusea, tontura e problemas no equilíbrio.

O diagnóstico do cisto na cabeça é feito por um neurologista, no caso de cisto no cérebro, e pode ser realizado durante a gestação, por meio de ultrassonografia, ou após o aparecimento dos primeiros sintomas através de tomografia computadorizada ou ressonância magnética. O cisto de pele é diagnosticado por um dermatologista por meio da avaliação das características do cisto. Após o diagnóstico, deve haver acompanhamento médico, pois a depender do tamanho e sintomas causados pelo cisto, pode ser indicado realizar a remoção por meio de cirurgia.

Cisto na cabeça: o que é, principais sintomas e como tratar

Principais tipos de cisto na cabeça

Os cistos na cabeça normalmente são formados durante a gestação, mas também podem aparecer devido a alguma pancada na cabeça ou infecções no cérebro ou útero materno. Saiba quais são as causas e outros tipos de cisto no cérebro.

Os principais tipos de cisto na cabeça são:

1. Cisto aracnóide

O cisto aracnóide pode ter causa congênita, ou seja, pode estar presente no recém-nascido, sendo chamado de cisto primário, ou ser decorrente de alguma infecção ou traumatismo, sendo chamado de cisto secundário. Esse tipo de cisto normalmente é assintomático e é caracterizado pelo acúmulo de líquido entre as membranas que recobrem o cérebro. Porém, dependendo do seu tamanho, pode causar alguns sintomas, como desmaios, tontura ou problemas de equilíbrio. Saiba quais são os sintomas, causas e tratamento do cisto aracnóide. 

2. Cisto do plexo vascular

O cisto do plexo vascular é raro, ocorrendo em apenas 1% dos fetos, e é caracterizado pelo acúmulo de líquidos em uma cavidade do cérebro, geralmente em uma região do cérebro em que há tecido morto. Esse tipo de cisto pode ser diagnosticado através do ultrassom a partir a 14ª semana de gestação e não necessita de terapia, apenas acompanhamento, pois não representa risco nem para o bebê e nem para a mãe. Normalmente ele é reabsorvido pelo próprio organismo após a 28ª semana de gestação.

3. Cisto epidermoide e dermoide

O cisto epidermoide e dermoide são semelhantes, e também são resultado de alterações durante o desenvolvimento do feto, mas também podem surgir ao longo da vida. São cisto de pele que podem surgir em qualquer região do corpo, incluindo a cabeça, principalmente na testa e atrás das orelhas. São caracterizados pelo acúmulo de células na pele, não causam sintomas e são livres, ou seja, podem se deslocar na pele. 

O diagnóstico é feito a partir da avaliação das características do cisto, como tamanho, se há inchaço e se os cistos são livres. O tratamento pode ser feito com a drenagem do líquido presente no cisto, com antibióticos, para evitar possíveis infecções, ou através de cirurgia de acordo com a recomendação médica.

Cisto na cabeça: o que é, principais sintomas e como tratar

Principais sintomas de cisto na cabeça

Os cistos na cabeça normalmente são assintomáticos, porém os cistos no cérebro podem causar alguns sintomas caso aumentem de tamanho, como:

  • Dor de cabeça;
  • Enjoo;
  • Tontura;
  • Problemas de equilíbrio;
  • Confusão mental;
  • Crises convulsivas;
  • Sonolência.

O diagnóstico dos cistos na cabeça é feito por um neurologista, no caso dos cistos do cérebro, através de tomografia computadorizada, ressonância magnética ou ultrassonografia ou pelo dermatologista por meio de um exame físico, quando se tratar de um cisto de pele, como o cisto epidermoide.

Como tratar

Assim que houver a identificação de um cisto na cabeça, deve ser iniciado acompanhamento periódico com o neurologista para que seja feito um monitoramento do tamanho do cisto, além da observação do surgimento dos sintomas.

Caso seja observada a ocorrência de algum sintoma, o médico pode indicar o uso de algum analgésico ou remédios para tontura ou enjoo. Mas caso ocorra aumento no tamanho do cisto e persistência ou aumento na frequência dos sintomas, pode ser indicado pelo médico a realização de cirurgia.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...