Cisto no fígado: o que é, sintomas, causas e quando é grave

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
fevereiro 2022

O cisto no fígado, também chamado de cisto hepático, é uma pequena bolsa cheia de líquidos localizada no fígado, que geralmente não causa sintomas. No entanto, quando o cisto é grande ou se rompe, pode causar sintomas como dor do lado direito da barriga, inchaço abdominal ou náuseas, por exemplo.

Este tipo de cisto pode afetar mulheres e homens, mas é mais comum em mulheres, podendo estar presente desde o nascimento devido a uma malformação dos ductos biliares, mas também ocorrer na vida adulta devido a uma infecção por parasitas, ou uso de anticoncepcionais orais.

O cisto no fígado geralmente não necessita de tratamento, mas em muitos casos é indicado pelo hepatologista, ou clínico geral, consultas e exames periódicos para acompanhar o crescimento do cisto. Em situações mais graves, o médico pode indicar cirurgia para a retirada do cisto.

Principais sintomas

O cisto no fígado geralmente não apresenta sintomas, sendo que a maioria dos casos são descobertos em exames de rotina. 

No entanto, quando o cisto é grande, aumenta de tamanho ou se rompe, podem surgir sintomas como: 

  • Dor abdominal do lado direito, por baixo da costela;
  • Inchaço abdominal;
  • Perda de peso ou anorexia;
  • Náuseas ou vômitos;
  • Sensação de barriga cheia;
  • Febre acima de 38ºC;
  • Pele e olhos amarelados;
  • Cansaço excessivo.

Além disso, em alguns casos podem surgir sintomas como tosse com sangue ou coceira no corpo, dor intensa no abdômen e no ombro direito.

No caso de se apresentar esses sintomas, deve-se consultar um hepatologista ou um clínico geral, para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento mais adequado.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do cisto no fígado é feito pelo hepatologista ou clínico geral através da avaliação dos sintomas e exames de imagem, como ultrassonografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética. 

Além disso, o médico pode solicitar exames de sangue, como provas de função hepática ou pesquisa de antígenos, para verificar se existe infecção pelo parasita Echinococcus granulosus que é um dos principais causadores do cisto no fígado. Entenda o que é a infecção pelo Echinococcus granulosus

Possíveis causas

A causa exata do cisto no fígado não é conhecida, no entanto, são observados vários casos em que o cisto está presente desde o nascimento, devido a uma malformação dos ductos biliares ou por alterações genéticas que causam doença hepática policística.

Além disso, o cisto no fígado também pode se desenvolver ao longo da vida, devido à infecção pelo parasita Echinococcus granulosus ou pelo uso de anticoncepcionais orais ou anabolizantes, por exemplo.

Tipos de cisto no fígado

O cisto no fígado pode ser classificado de acordo com a sua causa, sendo os principais:

  • Cisto simples: é o tipo mais comum de cisto que tende a estar presente desde o nascimento e que geralmente apresenta tamanho menor que 4 cm, sem causar sintomas;
  • Cisto hidático: esse tipo de cisto é provocado por parasitas, como o equinococo, que se transmitem pela comida e água contaminadas;
  • Cisto neoplásico: é o tipo mais raro de cisto no fígado que pode ser benigno ou maligno, como cistoadenoma ou cistoadenocarcinoma. Geralmente, são múltiplos e de grande tamanho.

Para identificar o tipo correto de cisto, deve-se consultar um hepatologista ou clínico geral para realização de exames, como ultrassom ou tomografia computadorizada, por exemplo.

Quando o cisto no fígado é perigoso?

Na maioria das vezes, o cisto no fígado não é grave e também não é sinal de câncer, no entanto, em alguns casos, o cisto pode ser perigoso, especialmente se aumentar de tamanho ao longo do tempo. 

Além disso, quando o cisto no fígado é do tipo neoplásico benigno, como o cistoadenoma, existe um risco maior de se tornar maligno (cistoadenocarcinoma) e levar ao surgimento de câncer no fígado. Nesse caso, o médico pode recomendar o tratamento com cirurgia para retirar o tumor. Saiba mais sobre como é feito o tratamento do câncer no fígado

Como é feito o tratamento

O tratamento para cisto no fígado deve ser orientado por um hepatologista ou clínico geral e depende do tipo de cisto e da sua causa. No caso de cisto simples, em que não existem sintomas ou o cisto tem até 4 cm, normalmente não é necessário fazer qualquer tipo de tratamento específico, sendo apenas recomendado pelo médico consultas e exames periódicos, a cada 3 a 12 meses, para avaliar o crescimento do cisto.

Já no caso de cistos que provocam sintomas, pode ser indicado pelo médico a cirurgia para retirada do cisto, que pode ser feita por aspiração percutânea ou laparoscopia, por exemplo. Quando há suspeita de malignidade, o cirurgião pode retirar o cisto, coletar uma amostra do líquido e fazer uma biópsia no laboratório, de forma a entender se existem células cancerígenas ou não.

Caso sejam identificadas células cancerígenas, o tratamento pode ainda incluir uma nova cirurgia, para retirar uma parte do fígado, realização quimioterapia ou radioterapia, ou, em alguns casos, transplante de fígado, por exemplo. Veja como é feito o transplante do fígado.  

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em fevereiro de 2022.

Bibliografia

  • MAZZA, O. M.; et al. Management of nonparasitic hepatic cysts. J Am Coll Surg. 209. 6; 733-9, 2009
  • MORINO, M.; et al. Laparoscopic management of symptomatic nonparasitic cysts of the liver. Indications and results. Ann Surg. 219. 2; 157-64, 1994
Mostrar bibliografia completa
  • RECINOS, A.; et al. Congenital Hepatic Cyst. Clin Med Insights Pediatr. 11. 1179556517702853, 2017
  • BERNSHTEYN, M. A.; MASOOD, U. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Hepatic Cyst. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK526052/>. Acesso em 13 jan 2022
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.