Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Líquen escleroso atrófico: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
janeiro 2023
  1. Sintomas
  2. Diagnóstico
  3. Causas
  4. Tratamento

O líquen escleroso, ou escleroso atrófico, é uma doença crônica da pele que causa o aparecimento de lesões esbranquiçadas na região anal e genital, além de coceira, irritação local e descamação.

O líquen escleroso pode acontece em homens e mulheres de qualquer idade, mas é mais frequente em mulheres pós-menopausa. A causa do líquen escleroso ainda não é muito bem estabelecida, mas acredita-se que o seu surgimento esteja relacionado a alterações genéticas e imunológicas.

O tratamento para líquen escleroso tem o objetivo de aliviar os sintomas e prevenir surgimento de novas alterações, sendo importante que o tratamento seja feito conforme a recomendação do ginecologista ou dermatologista, em que pode ser indicado o uso de pomadas com corticosteroides, por exemplo.

Imagem ilustrativa número 1

Sintomas do líquen escleroso

Os principais sintomas de líquen escleroso são:

  • Aparecimento de bolhas na pele ao redor do ânus e dos genitais;
  • Surgimento de manchas branco-avermelhadas;
  • Descamação e fissuras na pele;
  • Coceira e irritação na pele, principalmente durante a noite;
  • Dor ao urinar, defecar e durante o contato íntimo;
  • Presença de prurido;
  • Alteração da cor do local.

Em alguns casos, a pele do local afetado também pode sofrer alterações, podendo ficar mais fina ou grossa.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do líquen escleroso deve ser feito pelo ginecologista, urologista ou dermatologista a partir da observação e avaliação dos sintomas apresentados pela pessoa.

Além disso, deve ser solicitado pelo médico a realização de uma biópsia, devendo ser coletada uma amostra do tecido lesionado para que sejam verificadas as características das células e possa ser descartada a hipótese de câncer de pele.

O que causa o líquen escleroso

Ainda não se conhecem as reais causas do líquen escleroso atrófico, mas alguns estudos sugerem que o seu surgimento possa estar relacionado com a infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV) ou com uma superexpressão do p53, que é uma proteína envolvida na regulação do ciclo celular. Acredita-se ainda que o desenvolvimento do líquen escleroso esteja relacionado com fatores genéticos e imunológicos.

Como é feito o tratamento

O tratamento para líquen escleroso atrófico deve ser orientado pelo dermatologista, por um ginecologista, no caso da mulher, ou por um urologista, no caso do homem, e, normalmente é feito com o uso de pomadas corticoides, como Propionato de Clobetasol, aplicado diariamente sobre a região afetada. Além disso, durante o tratamento, é importante:

  • Evitar coçar os locais afetados;
  • Usar roupa pouco apertada e, preferencialmente, de algodão;
  • Evitar usar roupa interior durante a noite, quando o líquen escleroso surge na região genital;
  • Manter a higiene adequada do local com água e sabão neutro.

Em alguns casos, o médico também pode recomendar o uso de remédios anti-histamínicos, como Cetirizina ou Desloratadina, para aliviar a coceira e o inchaço de locais da pele.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em janeiro de 2023. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • NATIONAL ORGANIZATION FOR RARE DISEASES. Lichen Sclerosus. Disponível em: <https://rarediseases.org/rare-diseases/lichen-sclerosus/>. Acesso em 11 dez 2019
  • CURI, Daniella G. et al. Líquen escleroso vulvar: descrição de cinco casos de sucesso com laser Erbium-YAG 2940. Surg Cosmet Dermatol 2017;9(3):264-4.. Vol 9. 3 ed; 265-268, 2017
Mostrar bibliografia completa
  • COELHO, Weber S.; DINIZ, Lucia M.; FILHO, João Basílio S. Líquen escleroso e atrófico – relato de dois casos de apresentação atípica. Anais Brasileiros de Dermatologia. Vol 5. 3 ed; 297-300, 2006
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.