Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Candida auris: principais sintomas e tratamento do "Superfungo"

Candida auris é um tipo de fungo que vem ganhando destaque na saúde devido à dificuldade de tratamento pelo fato de ser resistente a diversos antifúngicos e dificuldade de identificação, já que pode ser confundida com outras espécies de Candida, e é atualmente conhecido como superfungo.

A Candida auris foi primeiramente isolada em 2009 a partir de uma amostra de secreção no ouvido de um paciente Japonês e em 2016 foi determinado que a ocorrência desse fungo fosse de notificação obrigatória, já que o tratamento e controle dessa infecção é difícil.

Candida auris: principais sintomas e tratamento do

Como identificar a infecção

A infecção por Candida auris é mais comum em pessoas que permanecem internadas no hospital por longos períodos e possuem sistema imunológico comprometido. Esse fungo foi primeiramente identificado no ouvido, no entanto está mais associado a infecções urinárias e do sistema respiratório, podendo ser confundido com outros microrganismos.

Além disso, como a Candida auris é mais frequente no ambiente hospitalar, é possível que seja verificada a presença desse fungo na corrente sanguínea, havendo febre alta, tontura, fadiga, aumento da frequência cardíaca e vômitos, por exemplo. Saiba como identificar a infecção no sangue.

O diagnóstico da infecção por Candida auris é difícil, já que os métodos de identificação disponíveis são pouco específicos para a identificação dessa espécie, sendo importante a realização de exames mais específicos, como a PCR, por exemplo, para confirmar a espécie. Além disso, esse fungo pode ser isolado de diversos materiais biológicos, como por exemplo sangue, secreção de ferida, secreções respiratórias e urina, por exemplo.

Quem tem mais risco?

O risco de infecção por Candida auris é maior quando a pessoa permanece internada por um longo período no hospital, fez uso anteriormente de antifúngicos, possuem cateter venoso central ou outros tubos no corpo, já que esse fungo possui capacidade de aderir a equipamentos médicos, dificultando o tratamento e favorecendo a sua proliferação.

O uso prolongado ou indiscriminado de antibióticos também pode favorecer a infecção por esse superfungo, pois os antibióticos em excesso podem eliminar bactérias capazes de combater a entrada da Candida auris no organismo, evitando a infecção. Dessa forma, quanto mais antibióticos utilizados, maior o risco de infecção por esse superfungo, principalmente quando a pessoa se encontra em ambiente hospitalar.

Além disso, pessoas que foram submetidas recentemente a procedimentos cirúrgicos, possuem doenças crônicas, como diabetes, por exemplo, e encontram-se com o sistema imunológico debilitado possuem mais risco de infecção pela Candida auris.

Por isso, é importante que o hospital tenha um sistema de controle de infecção eficiente e estimule medidas de prevenção de infecção tanto relacionadas com o paciente e a equipe quanto com os visitantes do hospital. Saiba como prevenir infecções hospitalares.

Outro fator qua favorece a infecção por Candida auris é a temperatura elevada. Devido ao aumento da temperatura devido aos fatores ambientais, o fungo têm desenvolvido mecanismos de resistência às altas temperaturas, conseguindo sobreviver e proliferar no ambiente e no corpo humano com mais facilidade.

Tratamento para Candida auris

O tratamento para Candida auris é difícil, já que esse fungo tem demonstrado resistência aos antifúngicos normalmente utilizados no tratamento das infecções por Candida, sendo, por isso, também chamado de superfungo. Dessa forma, o tratamento é definido pelo médico de acordo com a gravidade da infecção e com o sistema imunológico do paciente, podendo ser indicado o uso de antifúngicos da classe das Equinocandinas ou a combinação de vários antifúngicos em altas doses.

É importante que a infecção por Candida auris seja identificada e tratada o mais rápido possível para evitar que esse fungo espalhe-se pela corrente sanguínea e dê origem à infecção generalizada, o que é muitas vezes fatal.


Bibliografia

  • CDC. Candida auris. Link: <www.cdc.gov>. Acesso em 02 Abr 2019
  • CDC. General Information about Candida auris. Link: <www.cdc.gov>. Acesso em 02 Abr 2019
  • SPIVAK, Emily S.; HANSONA, Kimberly E. Candida auris: an Emerging Fungal Pathogen. Journal of Clinical Microbiology. Vol 56. 2 ed; 1-10, 2018
  • SARDI, Janaina de C. O.; SILVA, Diego R.; GIANNINI, Maria J. S. M.; ROSALEN, Pedro L. Candida auris: Epidemiology, risk factors, virulence, resistance, and therapeutic options. Microbial Pathogenesis. 2018
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem