Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é o melanoma, principais tipos e tratamento

O melanoma é um tipo de câncer maligno que se desenvolve muito rápido na pele e que, por isso, pode afetar facilmente outros órgãos através de metástases, quando o tratamento não é iniciado rapidamente.

Este tipo de câncer se inicia nos melanócitos, que são as células da pele responsáveis pela produção de melanina, a substância que dá cor à pele. Assim, o melanoma é mais frequente quando existem lesões frequentes nessas células, o que pode acontecer principalmente devido à exposição prolongada ao sol e, principalmente, queimaduras solares.

Ao contrário da maior parte dos tipos de câncer, o melanoma surge na pele e, por isso, pode ser fácil de identificar precocemente, facilitando o tratamento e aumentando as chances de cura. Por isso, é preciso que a pessoa esteja atenta a alterações na pele, especialmente aparecimento ou crescimento de sinais, fazendo uma inspeção completa pelo menos a cada 1 ou 2 meses.

O que é o melanoma, principais tipos e tratamento

Principais tipos de melanoma 

O tipo de melanoma varia de acordo com o local de surgimento e a sua forma de desenvolvimento, sendo que os principais 4 tipos são:

  • Melanoma extensivo superficial: é o tipo mais comum de melanoma que se desenvolve inicialmente nas células mais superficiais da pele, demorando mais tempo para chegar em outros órgãos;
  • Melanoma lentiginoso acral: atinge inicialmente as camadas mais superficiais da pele, especialmente das palmas das mãos, solas dos pés e unhas, sendo o melanoma mais comum em negros, asiáticos e hispânicos;
  • Melanoma lentigo maligno: observado em áreas que estão mais expostas ao sol, como rosto, pescoço e dorso das mãos, geralmente em idosos;
  • Melanoma nodular: é o tipo de melanoma mais agressivo, atingindo outros locais do corpo desde o início. Começa como uma mancha elevada preta, azulada ou vermelha azulada.

Os tipos mais fáceis de curar completamente são os que se desenvolvem nas camadas mais superficiais da pele, desde que diagnosticados numa fase menos avançada. Quando o câncer começa a atingir camadas mais profundas ou outros órgãos, o tratamento é mais difícil e as chances de cura são menores.

Em casos mais raros, o melanoma também pode se desenvolver nas mucosas da vagina, esôfago, ânus ou intestinos e também nos olhos, sendo neste caso chamado melanoma orbital.

Melanoma tem cura?

O melanoma tem alta taxa de cura quando ainda não se desenvolveu para outros locais do corpo e quando o diagnóstico é realizado logo assim que o primeiro sinal aparece. Por isso, é muito importante observar frequentemente os sinais e manchas de pele, procurando alterações.

Além disso, pacientes que já tiveram algum tipo de câncer de pele ou que têm familiares diretos com esse historial devem ir no dermatologista, pois apresentam um risco maior.

O que é o melanoma, principais tipos e tratamento

Quem tem maior risco de ter melanoma

Além da exposição ao sol e das queimaduras solares frequentes, o melanoma também pode ser provocado por qualquer outro tipo de exposição aos raios UV, como câmaras de bronzeamento artificial, por exemplo. Isso acontece porque este tipo de luz é capaz de penetrar nas células, podendo causar alterações malignas que levam ao crescimento do câncer.

No entanto, o melanoma pode surgir em qualquer local do corpo, mesmo que protegido da luz UV e, por isso, mesmo sendo mais raro, também pode se desenvolver em quem evita a exposição solar, estando relacionado com fatores familiares, genéticos e ambientais.

Alguns fatores que parecem aumentar o risco de desenvolver um melanoma incluem:

  • Ter olhos azuis, pele clara e cabelo loiro;
  • Dificuldade para bronzear;
  • Ter facilidade para ficar com sardas;
  • Ter histórico de câncer de pele na família;
  • Ter uma doença que afeta o sistema imune.

Pessoas com 1 ou mais destes fatores devem fazer consultas regulares no dermatologista para fazer uma avaliação completa da pele, de forma a identificar possíveis alterações que possam ser um sinal precoce de câncer.

Como é feito o tratamento

O tratamento para este tipo de câncer deve ser orientado por um oncologista ou dermatologista, pois dependendo do grau de desenvolvimento pode ser necessário apenas fazer cirurgia para retirar o tumor e atingir a cura, ou pode ser necessário fazer outros tratamentos como quimioterapia ou radioterapia, para eliminar as células cancerígenas que ficam na pele, mesmo depois da remoção da mancha.

Caso existam metástases, a quimioterapia e a radioterapia devem ser iniciadas o mais rápido possível. No entanto, as taxas de sucesso são relativamente baixas, já que as metástases surgem em fases mais avançadas do câncer.

Saiba mais sobre as diferentes formas de tratamento do melanoma.

Bibliografia >

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Câncer de pele: o que é, causas, sintomas, tratamento e prevenção. Disponível em: <http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/cancer-de-pele>. Acesso em 27 Set 2019
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA. Câncer da pele. Disponível em: <https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/cancer-da-pele/64/>. Acesso em 27 Set 2019
  • INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER - INCA. Câncer de pele melanoma. Disponível em: <https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-pele-melanoma>. Acesso em 27 Set 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:


Publicidade

LIVE | Saúde da Prostata

A Tatiana e o Manuel vão estar te esperando num encontro informal para falar tudo sobre problemas na próstata.

A sua presença vai fazer o evento ser mais especial.

Se inscreva e receba uma notificação quando começar, para não perder nenhum minuto.

Inscreva-se
* Não perca a oportunidade de fazer perguntas e participar deste momento em homenagem ao Novembro Azul.

Estamos ao vivo agora! Vem falar com a gente!

A Tati e o Manuel falam sobre problemas na próstata, o preconceito dos homens a respeito do exame de toque retal, e até sobre impotência sexual, que pode ser um complicação da detecção tardia desse tipo câncer.

Participe agora
* Vamos responder todas as perguntas que chegarem, sem tabus. Estamos te esperando!
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem