Melanoma metastático: o que é, sintomas, causas e tratamento

Atualizado em dezembro 2023

O melanoma metastático é um termo usado para classificar o estágio mais grave do melanoma, sendo caracterizado pela multiplicação das células cancerígenas para outras regiões do corpo, como linfonodos, pulmões, fígado, ossos e sistema nervoso central.

Assim, a pessoa com melanoma metastático pode apresentar sintomas como caroços duros na pele, dor no corpo e perda de peso sem motivo aparente, cansaço excessivo e barriga inchada, por exemplo.

Na presença de sintomas e sinais indicativos de melanoma, é recomendado consultar o dermatologista ou clínico geral, para que seja feito o diagnóstico e recomendado o tratamento mais adequado, podendo incluir a cirurgia, a imunoterapia, a quimioterapia ou a radioterapia.

Imagem ilustrativa número 1

Principais sintomas

Os sintomas do melanoma metastático variam conforme a região em que acontece a metástase, podendo incluir:

  • Cansaço excessivo;
  • Perda de peso sem causa aparente;
  • Pele e olhos amarelos;
  • Dificuldade para respirar;
  • Convulsões;
  • Dor de cabeça;
  • Caroços duros na pele;
  • Dor no corpo.

Além disso, também podem ser percebidos sinais e sintomas característicos do melanoma, como a presença pintas, manchas ou sinais na pele com bordas irregulares e diferentes cores e feridas que demoram a cicatrizar. Saiba como reconhecer os sintomas do melanoma.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do melanoma metastático é confirmado pelo dermatologista ou oncologista, através da avaliação dos sinais e sintomas apresentados e do histórico de saúde da pessoa.

Se deseja confirmar o risco de melanoma metastático, marque uma consulta com o dermatologista mais próximo de você:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Dermatologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Para confirmar o diagnóstico, o médico também solicita alguns exames de imagem como radiografia, tomografia computadorizada, ressonância magnética e ultrassonografia do tórax, cabeça ou abdômen.

Além disso, o médico também pode prescrever a biópsia, um exame que avalia a integridade de tecidos como pele, pulmão, músculo, osso, fígado, rim e baço. Conheça melhor o que é a biópsia e para que serve.

Possíveis causas

O melanoma metastático pode acontecer quando esse tipo de câncer não é identificado nos estágios iniciais, favorecendo a proliferação das células cancerígenas para outros locais do corpo, como pulmões, fígado, ossos e trato gastrointestinal.

Além disso, alguns fatores também podem favorecer o desenvolvimento do melanoma metastático, como pele mais clara, exposição frequente à radiação ultravioleta, história pessoal ou familiar de melanoma e enfraquecimento do sistema imunológico devido a outras condições, como HIV, linfoma ou história de transplante.

Como é feito o tratamento

O melanoma metastático não tem cura, porém o tratamento tem como objetivo diminuir a multiplicação das células cancerígenas e, dessa forma, aliviar os sintomas, atrasar o espalhamento e a progressão da doença, e aumentar a expectativa e qualidade de vida da pessoa.

Assim, de acordo com o estágio e a localização do melanoma metastático, o médico pode indicar realização de imunoterapia, um tratamento que fortalece o sistema imunológico, melhorando a capacidade do corpo para combater câncer, infecções e doenças autoimunes.

Além disso, o médico também pode recomendar a cirurgia e sessões de quimioterapia e radioterapia para tentar eliminar as células cancerosas que encontram-se espalhadas. Entenda melhor como é feito o tratamento do melanoma.