10 benefícios da amamentação para a saúde do bebê

setembro 2022

O leite materno é um alimento essencial para o bebê que, além de garantir que todos os nutrientes necessários para um crescimento e desenvolvimento normais, traz vários benefícios para a saúde, como evitar diarreias, fortalecer o sistema imunológico ou prevenir o surgimento de deficiências nutricionais.

O leite materno é o único alimento que o bebê precisa até os 6 meses de vida, não sendo necessário complementar sua alimentação com nenhum outro alimento ou líquidos, nem mesmo água.

Por todos os benefícios do leite materno, sempre que possível, a mulher deve ser encorajada a amamentar. Porém, existem algumas situações em que a amamentação pode ser contraindicada, como quando a mãe tem HIV, utiliza drogas ou está fazendo tratamentos contra o câncer, por exemplo. Veja as principais contraindicações da amamentação.

Os principais benefícios do leite materno para o bebê são:

1. Fornecer todos os nutrientes para o bebê

O leite materno é produzido de forma equilibrada, possuindo uma composição adequada de proteínas, carboidratos, gorduras e água, para favorecer o crescimento e o desenvolvimento do bebê.

O ideal é que o bebê mame todo o leite de um peito antes de passar para o outro, pois assim ele recebe todos os nutrientes da mamada completa.

2. Facilitar a digestão

O leite materno é facilmente digerido pelo intestino do bebê, o que favorece uma adequada absorção de nutrientes e o aumento da frequência das mamadas.

Por norma, quando a criança consome fórmulas infantis em pó, a digestão é mais lenta, o que pode causar algum desconforto gástrico.

3. Reduzir as cólicas

A facilidade na digestão do leite materno também ajuda a evitar problemas como gases e cólicas intestinais, além de conter substâncias responsáveis por proteger e reparar o intestino do recém-nascido.

4. Prevenir a anemia

O leite materno contém um tipo de ferro que é altamente absorvido pelo intestino do bebê, além de conter vitamina B12 e ácido fólico, importantes para a produção dos glóbulos vermelhos, as células responsáveis pelo transporte de oxigênio no sangue.

Veja todos os nutrientes do leite materno.

5. Evitar diarreias

O leite materno é rico em bactérias que povoam o intestino do recém-nascido e criam uma flora intestinal equilibrada, atuando como uma barreira protetora que também ajuda na digestão e na regulação do trânsito intestinal.

6. Fortalecer o sistema imunológico

Por ser rico em anticorpos produzidos pela mãe, o leite materno é uma forma natural de fortalecer as defesa do organismo do bebê, protegendo a criança contra problemas como asma, pneumonia, gripes, dor de ouvido e problemas intestinais, por exemplo.

O leite materno ajuda até a evitar doenças graves no início de vida do recém-nascido. Caso o bebê fique doente, o organismo da mãe aumenta a quantidade de proteínas e células de defesa no leite, facilitando a recuperação do bebê.

7. Estimular o desenvolvimento do sistema nervoso

O leite materno é rico em DHA, um tipo de gordura boa que participa da formação dos neurônios e favorece a memória, o aprendizado e a atenção.

O DHA é um dos componentes do ômega-3, nutriente importante também para prevenir problemas neurológicos como TDAH, Alzheimer e demência.

8. Prevenir obesidade

Por seu efeito anti-inflamatório, crianças que mamaram durante a infância têm menor risco de ter problemas como obesidade, diabetes e problemas cardíacos ao longo de toda a vida.

9. Prevenir alergias

Bebês que são amamentados exclusivamente até os 6 meses de vida têm uma menor chance de desenvolver alergias alimentares, especialmente alergias ao leite, à soja, a peixes e mariscos, ao ovo e ao amendoim.

Saiba ainda o que não comer durante a amamentação para evitar problemas para o bebê.

10. Estar sempre pronto para ser consumido

Por fim, e além de ser o melhor alimento para o bebê, o leite materno está sempre pronto, na temperatura adequada e livre de contaminações que poderiam causar diarreias e infecções no recém-nascido.

Benefícios da amamentação para a mulher

A amamentação também pode trazer benefícios para mulher, sendo os principais:

  • Favorecer a perda de peso de maneira mais rápida depois do parto, já que a amamentação ajuda a queimar cerca de 500 calorias adicionais por dia para criar a manter a reserva de leite;
  • Ajudar a ter uma recuperação mais rápida depois do parto, já que estimula as contrações do útero para que volte ao tamanho normal e a diminuir o risco de sangramento pós parto;
  • Diminuir o risco de desenvolver câncer de mama e de ovários, diabetes do tipo e e hipertensão;
  • Diminuir o risco de infecção do trato urinário;
  • Reduzir a chance de anemia;
  • Aumentar a confiança e a auto-estima da mulher.

Além disso, a amamentação ajuda a mulher a manter o estado emocional mais saudável, diminuindo o risco de depressão pós-parto, já que a amamentação produz hormônios calmantes naturalmente, como a oxitocina e a prolactina, que promovem a redução do estresse.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em setembro de 2022. Revisão clínica por Tatiana Zanin - Nutricionista, em setembro de 2022.

Bibliografia

  • SBP. A importância do aleitamento materno. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-para-familias/nutricao/a-importancia-do-aleitamento-materno/>. Acesso em 04 ago 2022
  • CLEVELAND CLINIC. The Benefits of Breastfeeding for Baby & for Mom. Disponível em: <https://my.clevelandclinic.org/health/articles/15274-the-benefits-of-breastfeeding-for-baby--for-mom#:~:text=Breast%20milk%20provides%20abundant%20and,her%20baby%20have%20been%20exposed.>. Acesso em 04 ago 2022
Mostrar bibliografia completa
  • NHS. Benefits of breastfeeding. Disponível em: <https://www.nhs.uk/conditions/baby/breastfeeding-and-bottle-feeding/breastfeeding/benefits/>. Acesso em 04 ago 2022
  • SBP. Amamentação traz benefícios para o bebê e a mãe. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/filiada/goias/noticias/noticia/nid/amamentacao-traz-beneficios-para-o-bebe-e-a-mae/>. Acesso em 04 ago 2022
Revisão clínica:
Tatiana Zanin
Nutricionista
Formada pela Universidade Católica de Santos em 2001, com registro profissional no CRN-3 nº 15097.