O que você precisa saber?

Entenda o que é Autismo e como ele se manifesta

O autismo infantil é uma síndrome geralmente diagnosticada entre os 2 e 3 anos de idade, que é caracterizada por problemas na comunicação, na socialização e no comportamento, que faz com a criança apresente algumas características específicas, como dificuldade na fala e em expressar ideias e sentimentos, mal-estar em meio aos outros e pouco contato visual, além de padrões repetitivos e movimentos estereotipados, como ficar muito tempo sentado balançando o corpo para frente e para trás.

Sintomas e características 

São sintomas e características do autismo infantil:

  • Dificuldade na interação social, como contato visual, expressão facial, gestos, dificuldade em fazer amigos, dificuldade em expressar emoções;
  • Prejuízo na comunicação, como dificuldade em iniciar ou manter uma conversa, uso repetitivo da linguagem;
  • Alterações comportamentais, como não saber brincar de faz de conta, padrões repetitivos de comportamentos, ter muitas "manias" e apresentar intenso interesse por algo específico, como a asa de um avião, por exemplo.

Será Autismo?

Começar o teste
Imagem ilustrativa do questionário
Imagem ilustrativa da questão
A criança gosta de brincar, pular no seu colo e demostra gostar de estar perto de adultos e de outras crianças?
  • Sim
  • Não
Imagem ilustrativa da questão
A criança parece ter alguma fixação por alguma parte do brinquedo, como somente a roda do carrinho e fica olhando fixamente para ela de forma frequente?
  • Sim
  • Não
Imagem ilustrativa da questão
A criança gosta de brincar de esconde-esconde mas ri enquanto brinca e procura pela outra pessoa?
  • Sim
  • Não
Imagem ilustrativa da questão
A criança usa a imaginação nas brincadeiras? Por ex: Fingir que está cozinhando e comendo a comida imaginária?
  • Sim
  • Não
Imagem ilustrativa da questão
A criança leva a mão do adulto diretamente para o objeto que ela deseja ao invés de pegar com suas próprias mãos?
  • Sim
  • Não
Imagem ilustrativa da questão
A criança parece não brincar corretamente com os brinquedos e apenas empilha, colocando uns em cima dos outros, fica balançando ou joga os objetos para longe?
  • Sim
  • Não
Imagem ilustrativa da questão
A criança gosta de te mostrar os objetos, trazendo-os para você?
  • Sim
  • Não
Imagem ilustrativa da questão
A criança olha nos olhos quando você fala com ela?
  • Sim
  • Não
Imagem ilustrativa da questão
A criança sabe identificar as pessoas ou objetos? Por ex. Se alguém perguntar onde está a mamãe ela sabe apontar para ela?
  • Sim
  • Não
Imagem ilustrativa da questão
A criança fica repetindo o mesmo movimento várias vezes seguidas, como se balançar para frente e para trás e fica agitando os braços?
  • Sim
  • Não
Imagem ilustrativa da questão
A criança gosta de carinho ou afeto que podem ser demostrados por beijos e abraços?
  • Sim
  • Não
Imagem ilustrativa da questão
A criança tem falta de coordenação motora, anda somente nas pontas dos pés ou se desequilibra facilmente?
  • Sim
  • Não
Imagem ilustrativa da questão
A criança fica muito agitada quando ouve música ou está num ambiente que desconhece, como uma lanchonete cheia de gente, por exemplo?
  • Sim
  • Não
Imagem ilustrativa da questão
A criança gosta de se machucar com arranhões ou mordidas fazendo isso de propósito?
  • Sim
  • Não

Como saber se é autismo

O diagnóstico é feito pelo psiquiatra através da observação da criança e da realização de alguns testes de diagnóstico, entre os 2 e 3 anos de idade.

Para o diagnóstico do autismo a criança deverá apresentar características das 3 áreas que são afetadas nesta síndrome: interação social, alteração comportamental e falhas na comunicação, não sendo necessário apresentar uma extensa lista de sintomas para que o médico chegue ao diagnóstico porque esta síndrome manifesta-se em diferentes graus e, por isso, a criança pode ser diagnosticada com autismo leve, por exemplo.

O autismo, por vezes, pode ser quase que imperceptível e pode confundir-se com timidez, falta de atenção ou excentricidade, como ocorre no caso da síndrome de Asperger e no autismo de alto funcionamento, por exemplo. E por isso em caso de suspeita deve-se ir ao médico para que seja ele a avaliar o desenvolvimento e o comportamento da criança para indicar o que ela tem e como tratar.

Como tratar

O tratamento vai depender do tipo de autismo que a criança possui e do seu grau de comprometimento, mas pode ser feito com:

  • Uso de medicamentos prescritos pelo médico;
  • Sessões de fonoaudiologia para melhorar a fala e a comunicação;
  • Terapia comportamental para facilitar as atividades diárias;
  • Terapia de grupo para melhorar a socialização da criança.

Apesar do autismo não ter cura, o tratamento, quando é realizado corretamente, pode facilitar o cuidado com a criança, tornando a vida dos pais um pouco mais facilitada. Nos casos mais leves, a ingestão de medicamentos nem sempre é necessária e a criança pode levar uma vida bem próxima do normal, podendo estudar e trabalhar sem restrições.

Veja também:

Existem diferentes tipos de autistas?

O "espectro autista" é amplo, pois existem diferentes tipos de autistas, alguns apresentam comprometimento grave e outros leve, como é o caso do autismo de alto funcionamento. Neste último caso o indivíduo pode ser muito inteligente e desenvolver sofisticados softwares ou ter uma facilidade extrema para alguma atividade específica, como a matemática como o americano que inspirou o filme “Rain Man”, por exemplo.

Alguns livros que falam sobre esta síndrome são: “O estranho caso do cachorro morto”, da Ed. Record, e “Um Antropólogo em marte”, da Companhia das Letras. Estas costumam ser boas leituras para pais de crianças diagnosticadas com autismo porque ajudam a entender a síndrome e como pode ajudar o seu filho.

O que pode causar autismo

As causas não são totalmente esclarecidas, mas sabe-se que esta síndrome pode estar relacionada a:

  • Deficiência e anormalidade cognitiva de causa genética e hereditária, pois observou-se que alguns autistas apresentam cérebros maiores e mais pesados e que a conexão nervosa entre suas células era deficiente;
  • Fatores ambientais, como o ambiente familiar, complicações durante a gravidez ou parto;
  • Alterações bioquímicas do organismo caracterizadas pelo excesso de serotonina no sangue;
  • Anormalidade cromossômica evidenciada pelo desaparecimento ou duplicação do cromossomo 16.

A dificuldade em saber as causas ocorrem porque nem todas estas alterações estão presentes em todos os autistas.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...